Capa da Publicação

O que aconteceu no primeiro encontro do Batman e do Coringa?

Por Gus Fiaux

Batman é um herói bem conhecido por seus atributos – sua inteligência, sua perspicácia e, principalmente, seu dinheiro. Porém, para um herói assim, faz-se necessário um vilão de peso, que possa desafiá-lo em todas as suas forças e fraquezas. E foi aí que nasceu o Coringa. Ao longo dos anos, o Cavaleiro das Trevas e o Príncipe Palhaço do Crime tiveram uma relação quase simbiótica, enfrentando um ao outro com muita garra e determinação.

Um sabe que não pode viver sem o outro, e que os dois são forças da natureza em um jogo entre o bem e o mal. Mas muitos devem se perguntar como começou toda essa rivalidade entre Bruce Wayne e o maior vilão de sua galeria pessoal – e aqui, precisamos retornar vagarosamente aos anos 40 para explicar o que aconteceu no primeiro encontro do Batman e do Coringa!

Capa de Batman #1, de 1940, onde o Coringa apareceu pela primeira vez nas HQs.

A primeira aparição do Coringa nos quadrinhos

Coringa apareceu pela primeira vez nos quadrinhos em Batman Vol. 1 #1, publicada em abril de 1940. Criado por Jerry RobinsonBill Finger Bob Kane, o personagem veio para representar um desafio real, tanto para o Batman quanto para o Robin, já que a dupla estava acostumada a enfrentar bandidos menores em suas primeiras aparições – eles precisavam de um inimigo grandioso.

Quando fez sua primeira aparição, o Príncipe Palhaço do Crime teve uma inspiração bem evidente no filme mudo de 1928 O Homem Que Ri. Na trama do filme, seguimos um homem que é desfigurado por um sorriso macabro, mas que no fundo é uma pessoa boa que precisa aprender a viver em meio a uma sociedade intolerante e preconceituosa. Por outro lado, o Coringa nunca demonstrou traços de redenção.

E antes mesmo de criar o Coringa como conhecemos, Jerry Robinson decidiu fazer uma série de sketchs para ter uma noção clara de como seria o visual do vilão. A arte utilizada acabou sendo uma carta de baralho do curinga – e inclusive, essa mesmíssima carta seria incorporada ao arsenal de itens do vilão, geralmente sendo deixada nas cenas dos crimes como um “cartão de visitas”.

Já em sua primeira aparição, o Coringa apareceu em duas histórias (a revista tinha vários pequenos contos), tanto a segunda quanto a última do volume. Os planos originais de Bill Finger incluíam matar o personagem na segunda história, graças a uma facada – ele pretendia fazer isso pois tinha medo de que vilões recorrentes fariam o Batman parecer incapaz de deter seus inimigos. Contudo, o editor Whitney Ellsworth desbancou a ideia, e cá estamos.

Primeira aparição do Coringa, inspirada pelo filme mudo “O Homem Que Ri”.

O que aconteceu no primeiro confronto do Batman e o Coringa?

Nas páginas de Batman #1, de 1940, descobrimos que o Coringa é um mestre criminoso e serial killer, disposto a tudo para chamar a atenção das autoridades. Ele anuncia que à meia-noite matará um milionário chamado Henry Claridge, apenas para roubar o Diamante Claridge. Dito e feito, ele consegue ludibriar a polícia de Gotham City e termina seu plano com louvor, roubando o diamante.

Depois, ele anuncia um crime parecido, dessa vez para matar Jay Wilde e roubar o Rubi Ronkers. Ele consegue e usa um gás para paralisar a polícia, mas isso atrai a ira de um gângster chamado Bruto Nelson, que pretendia fazer todos esses crimes. Bruto desafia o Coringa para um confronto – e é aí que o Batman Robin saem de cena, indo até casa de Bruto para pegar o gângster e o assassino no flagra.

Eventualmente, o Coringa consegue escapar e é perseguido pelo Cavaleiro das Trevas, mas logo é despistado. Isso faz com que o Palhaço fique ainda mais louco e anuncie o assassinato do Juiz Drake. Porém, o Robin vai até a casa do Juiz e, quando o crime é cometido, ele consegue atrair o Coringa até lá. O Batman chega logo em seguida e consegue resgatar seu protegido, ao mesmo tempo que é paralisado pelo gás do vilão.

Porém, o que o Coringa não contava era com a resiliência incrível do Homem-Morcego. Ele consegue se livrar rápido dos efeitos do gás e persegue o vilão mais uma vez, e no fim, o Coringa termina atrás das grades jurando vingança. O personagem também aparece na última história dessa edição, intitulada “O Retorno do Coringa”, onde escapa da cadeia e começa a planejar sua vingança contra o Homem-Morcego e o Menino Prodígio.

O vilão volta roubando mais joias e é quando o Batman sugere ao Comissário Gordon uma armadilha para pegar o palhaço. Isso tudo o leva ao topo de um prédio, onde ele é acuado pelo Cavaleiro das Trevas e pelo Robin. Após jogar o Robin do alto (o sidekick se salva, agarrando-se em um mastro), o Coringa e o Batman se enfrentam, e no fim, o próprio vilão se esfaqueia sem querer. Batman e Robin saem de cena, mas a polícia chega a tempo de descobrir que o Coringa ainda está vivo.

Abaixo, veja 10 vezes que o Batman já perdeu uma luta:

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux