Capa da Publicação

[Review] Astro’s Playroom: O primeiro game de PlayStation 5 é surpreendente

Por Márcio Jangarélli

Quer saber uma coisa muito satisfatória? Rodar um game sem muitas expectativas e acabar se surpreendendo com o que encontra lá. Esse é o caso de Astro’s Playroom, o primeiro jogo de PlayStation 5. Ainda que seja uma produção totalmente institucional, a aventura do robôzinho pelos cenários fantásticos do hardware do console é a melhor maneira de dar início à nova geração. Vou te explicar o porquê.

A Sony nos mandou um PlayStation 5 para testar e o primeiro game que tivemos acesso no console foi Astro’s Playroom. Pré-instalado e pronto para jogar assim que o aparelho estiver configurado, esta é uma criação do SIE Japan Studios e do Team ASOBI! e entrega uma experiência única, extremamente divertida, nostálgica e viciante.

Veja bem, este é um título totalmente institucional, autoreferente para todas as criações PlayStation, sejam jogos, consoles ou acessórios, mas também é um game de plataforma sensacional, cativante, e isso te faz esquecer que você está literalmente jogando em uma vitrine da Sony. Na verdade, o fato do jogo servir como um museu do console é uma das melhores partes dessa jornada!

Ao longo dos anos, a PlayStation teve vários mascotes e o Astrobot é um dos mais recentes. Introduzido nos jogos do PlayStation VR, dessa vez o robôzinho vem para te apresentar o poder do DualSense, o controle de PS5, enquanto te leva em uma aventura pelo mundo fantástico que existe dentro do hardware dos consoles da Sony. Você vai encontrar referências, easter-eggs e homenagens ao legado grandioso da PlayStation em cada canto do game e no lugar de te deixar com um sentimento “comercial” sobre o assunto, tudo isso te faz ficar imerso em nostalgia.

Curtinho, com quatro mundos de quatro fases cada – além de desafios extras – alguns chefões e um design fenomenal que transforma hardware de console em todo tipo de coisa, o Astro segue uma jornada pela história do PlayStation, da primeira demo de PSOne até as novas tecnologias de PS5, explorando ao máximo as funções inéditas que essa geração tem para oferecer.

A grande chave aqui é que, além de ser um game muito divertido por si só, apelar para sua nostalgia diante do legado da PlayStation e ser criativo ao extremo em seu design de mundo, Astro’s PlayRoom te apresenta as capacidades do DualSense e elas são algo quase inexplicável de tão legais.

A introdução ao DualSense é gradual e, quando você vê, já caiu de amores pelo controle e o que ele proporciona. O Astro te faz usar desde o início o touchpad, o sensor de movimentos, os gatilhos adaptáveis e coloca o sensor háptico em 100%, te levando em uma saga sensorial.

Você vai “sentir” todas as ações e texturas desse mundo e isso é assustador e incrível! Se utilizando de um conjunto de vibrações distintas, empregadas ao mesmo tempo ou separadas, o sensor háptico te passa uma imagem sensorial do que o Astro está enfrentando no jogo, sejam texturas de terreno, como areia, madeira, vidro, concreto, lama, como momentos de impacto, alta ou baixa velocidade, e por aí vai. Algumas dessas interações ficam lá no fundo da sua cabeça e você quase nem percebe que estão acontecendo, mas compõem a peça completa dessa experiência.

Duas partes do game que me impressionaram demais foram uma fase onde você controla o Astro com um boneco de mola, onde essa simulação realmente faz você sentir que está manipulando uma mola em suas mãos; e um nível onde o herói assume a forma de um macaco robô, escalando um penhasco com o sensor de movimentos e os gatilhos adaptáveis. É um absurdo de tão bacana.

Não posso esquecer de comentar que a trilha sonora e o tratamento de áudio do jogo também são impecáveis. Algumas das músicas que eu encontrei por lá estão em looping na minha cabeça desde então de tão chicletes e bem feitas. O som é uma parte essencial dessa geração e Astro’s Playroom faz um uso primoroso das melhores funções disponíveis.

Vale nota que você vai querer procurar todos os easter-eggs da PlayStation ali no meio, de hardware ou jogos. Não são apenas os exclusivos da PS que ganharam espaço, mas todos os games que marcaram de alguma forma a história do console, representados de maneira divertida e super fofa. Na parte de referências de acessórios e tudo mais, nostalgia é pouco para o que você pode sentir, ainda mais se cresceu com esses videogames do seu lado.

Astro’s Playroom me fez lembrar de um sentimento bem, bem antigo já, de quando eu joguei aquele disco de demos do PSOne pela primeira vez. É uma mistura de empolgação, surpresa e deslumbramento sobre as possibilidades dessa geração, ao mesmo tempo em que me diverti muito mais do que imaginava.

A recomendação é: comprou o PS5? É obrigatório dar uma chance para o Astro. Astro’s Playroom leva 5 estrelas da Legião e algumas palmas pelo “case de sucesso” que a Sony montou em forma de jogo.

Ansioso pelo PlayStation 5? Comenta aí o que você mais quer saber sobre o console!

O PlayStation 5 tem lançamento marcado para 19 de Novembro no Brasil.

Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.