Capa da Publicação

Projeto xCloud: Testamos a versão streaming do Xbox Game Pass no celular

Por Gabriel Mattos

A indústria dos games está em constante revolução e o Projeto xCloud — visionado pela equipe Xbox — veio para mudar de vez nosso jeito de jogar. A proposta é trazer uma grande biblioteca dos melhores jogos dos consoles por streaming diretamente no seu celular, do mesmo jeito que a Netflix faz com séries e filmes. Mas será que funciona mesmo, ainda mais no Brasil? 

O serviço entrou em testes em novembro por aqui. Tive o prazer de testá-lo, sem muitas expectativas. Nós sabemos que a internet no Brasil não é muito confiável, logo tinha minhas dúvidas se o serviço realmente entregaria a experiência de console no meu celular, mas o resultado é surpreendente.

Jogar no xCloud traz uma sensação muito próxima daquela proporcionada por um console mais robusto como o Xbox One S. Os gráficos são os mesmos e o processamento também. A única coisa que atrapalhou minha experiência foi a sintonia do controle, mas vamos falar sobre isso mais tarde.

Todas as imagens desse artigo foram capturadas diretamente no Projeto xCloud rodando em um dispositivo Android com tela Full HD de 6,67 polegadas.

Começando com Minecraft Dungeons

O melhor ponto de partida para conhecer a proposta do xCloud é Minecraft Dungeons. Essa é uma abordagem nova da franquia Minecraft, focada mais em ação e com suporte online a múltiplos jogadores. Coincidentemente é um dos dois jogos do serviço que não exigem um controle físico — podendo ser jogado simplesmente tocando na tela do celular.

Essa funcionalidade, além de deixar o jogo mais prático de jogar onde estiver, garantiu uma experiência otimizada para smartphones. Mesmo que funcionem muito bem, os demais jogos não foram pensados para as pequenas telas de celulares. Como consequência, apesar da resolução da imagem continuar incrível, outros aspectos como a interface são prejudicados.

Minha primeira experiência com Minecraft foi usando uma conexão Wi-Fi de 2,4GHz. Assim que eu vi na prática que o serviço exige uma internet estável, não adianta. Consegui até me conectar ao servidor sem problemas e os comandos responderam bem, mas a imagem ficou completamente distorcida, uma confusão pixelar absurda, tornando impossível entender o que acontecia na tela.

Foi só trocar para a conexão Wi-Fi de 5GHz, recomendada pela Microsoft, que a experiência se tornou incrivelmente suave. O serviço é tão estável quanto sua internet permitir. Mesmo ao usar um controle, no meu caso o Dualshock 4 do PS4, não existe um atraso perceptível. Jogar no celular se torna tão tranquilo quanto no console, o que é uma ótima notícia para quem não quer investir em um caríssimo aparelho dedicado para jogos.

Minecraft Dungeons está disponível no xCloud.

Tiro, Porrada e Bomba

Outro jogo que me deixou curioso para conferir a performance de jogar na nuvem foi Devil May Cry V. A mais recente entrada na história do caçador de demônios Dante é um verdadeiro esplendor visualmente com uma jogabilidade bastante acelerada, que exige bastante poder de processamento.

Mesmo nos momentos mais exigentes do combate, o jogo permaneceu bastante fluído. Sempre consegui trocar de armas imediatamente e conectar os combos sem interferência da conexão. Nunca deixa de ser impressionante ver gráficos tão realistas rodando num aparelho tão modesto como um celular. As coisas fluíram tão bem que eu tentei ser um pouco mais ambicioso.

Resolvi testar como o aplicativo se comportaria caso eu decidisse transmitir a tela do meu celular para a televisão. De certo modo funciona. A imagem continua com uma qualidade decente, mesmo não atingindo o nível de fidelidade de um console tradicional. Entretanto, o jogo se torna extremamente lento, rodando a uma taxa de frames muito baixa. Streamar para o celular já exige muita internet. Transmitir simultaneamente é demais por hora. Tecnicamente é possível, mas não funciona muito bem.

Modo Foto de Devil May Cry V impressiona pelo visual

Resolvi então me aventurar com Tekken 7. Partidas de jogos de luta em um geral são extremamente competitivas. Cada fração de segundo pode ser a diferença entre a vitória e a derrota, logo um atraso considerável na transmissão poderia inviabilizar o gênero no xCloud. Felizmente, mesmo em partidas online, o serviço se mostrou bastante confiável. Se eu perdi, com certeza não foi culpa do xCloud. Pelo menos não nesse jogo…

Testar a coletânea Halo: The Masterchief Collection acendeu um alerta para mim. Ao testar a campanha do primeiro jogo, tive dificuldades consideráveis com minha mira. O xCloud não entendia bem quando eu soltava o analógico, empurrando minha mira por mais segundos que necessário. Acertar qualquer inimigo foi um sacrifício, colocando em questão a viabilidade de shooters em que a precisão é a chave. Não tive os mesmos problemas em PlayersUnknown’s Battleground ou Gears 5, mas a mira também não funcionou como devia em algumas sessões de Borderlands 2. O servidor não está preparado para lidar com qualquer oscilação na internet.

É possível que esses problemas ainda sejam corrigidos até o momento que o xCloud seja lançado oficialmente. Afinal, esse período de testes serve exatamente para a empresa refinar a experiência. Num geral, o xCloud impressiona e entrega basicamente tudo que promete, mesmo que jogar pela nuvem ainda pareça uma ideia bastante futurista. A tendência é que o serviço só melhore e acabe se tornando o novo padrão da industria num futuro não muito distante. Esse ambicioso projeto da Microsoft pode ser o primeiro passo efetivo para o declínio da era dos consoles, consolidando o Xbox como pioneiro no futuro dos jogos.

Conexão estável é crucial em shooters como Halo

Convite para a beta

Se você ficou interessado em testar, saiba que atualmente o Projeto xCloud se encontra em Beta Fechado no Brasil. Isto é, o serviço ainda não foi lançado oficialmente e só pode ser acessado por quem for convidado pela própria Microsoft. Felizmente, qualquer um pode se inscrever no teste do xCloud. Basta preencher o formulário e aguardar que a Xbox entrará em contato, caso seja selecionado.

Vale lembrar que você precisa ter um dispositivo Android compatível, acesso a conexão Wi-Fi de 5GHz e um controle Bluetooth que se conecte com seu celular. A demonstração não está disponível para iOS no momento.

Preço

Testar o projeto xCloud é completamente gratuito, afinal você está ajudando a Microsoft a melhorar seu produto. Quando for lançado oficialmente, o serviço será incluído na assinatura do Xbox Game Pass Ultimate que custa R$ 44,90 mensais. Além de jogar onde quiser usando seu celular, você também terá acesso à biblioteca do Game Pass em qualquer console Xbox e no PC.

Forza Horizon 4 rodando no xCloud

Games disponíveis

A prévia do xCloud permite acessar mais de 25 jogos do Xbox diretamente por streaming em um celular ou tablet. O melhor é que não precisa baixar nada além do próprio aplicativo do projeto, mais prático até que o próprio console. Basta selecionar o jogo, esperar pouco tempo (para que o app conecte no servidor de um Xbox) e jogar.

Segue a lista completa de jogos disponíveis no serviço:

  • ARK: Survival Evolved
  • Batman: Arkham Knight
  • Black Desert
  • Bloodstained: Curse of the Moon
  • Borderlands: The Handsome Collection
  • CODE VEIN
  • DayZ
  • Dead by Daylight
  • Destiny 2
  • Devil May Cry 5
  • eFootball PES 2020
  • F1 2019
  • Forza Horizon 4
  • Gears 5
  • Halo Wars 2: Standard Edition
  • Halo: The Master Chief Collection (Inclui os jogos principais da franquia, com excessão de Halo 5)
  • Hellblade: Senua’s Sacrifice (inclui controles touch)
  • HITMAN
  • Just Cause 4
  • Minecraft Dungeons (inclui controles touch)
  • Ori and the Will of the Wisps
  • PLAYERUNKNOWN’S BATTLEGROUNDS
  • RESIDENT EVIL 7 biohazard
  • Sea of Thieves
  • Shadow of the Tomb Raider
  • Sid Meier’s Civilization VI
  • Skyforge
  • SMITE
  • Stellaris: Console Edition
  • Tekken 7
  • WWE 2K20
  • Yakuza 0

O que você achou do Projeto xCloud? Acha que esse é o futuro dos games ou não põe muita fé? Não deixe de comentar!

Se você gostou do xCloud, então conheça também os melhores exclusivos de Xbox dessa geração:

Imagem de perfil
sobre o autor Gabriel Mattos

Redator que joga mais Switch do que deveria e já leu todo o novo cânone de Star Wars, até os livros ruins. • @gabeverse