Capa da Publicação

Johnny Depp perde processo contra jornal britânico

Por Leo Gravena

Johnny Depp oficialmente perdeu seu caso de difamação contra o tabloide britânico The Sun. O ator de Piratas do Caribe havia processado o jornal após ele chamar Depp de “wife beater”, algo como “espancador de esposa”, noticiando que ele havia sido abusivo fisicamente contra a atriz Amber Heard em seu tumultuoso e breve casamento.

Tudo isso ocorreu após um artigo publicado no The Sun em abril de 2018, cuja manchete fez com que Depp decidisse processar o jornal. A manchete em si, “Gone Potty: How Can J.K. Rowling Be ‘Genuinely Happy’ Casting Wife Beater Johnny Depp in the New Fantastic Beasts Film?” pode ser traduzida como “Enlouqueceu: Como J.K. Rowling pode estar ‘genuinamente feliz’ escalando o espancador de esposas Johnny Depp no novo filme de Animais Fantásticos?”.

Nos processos de difamação da Inglaterra, o réu acusado, neste caso o The Sun, precisa provar que o que foi escrito é verdade, ao invés do requerente (Depp), provar que é falso. Foi um longo e tumultuoso processo, contudo, o juiz Andrew Nicol determinou que o News Group Newspapers, que diretamente é dono do The Sun, conseguiu provar que eles estavam certos.

O juiz explicou sua decisão (via Variety), dizendo:

“O requerente [Depp] não teve sucesso em sua ação de difamação. Mesmo ele tendo provado os elementos necessários para sua causa da ação no processo, os acusados provaram que o que eles publicaram, no sentido que decidi que as palavras significavam, era consideravelmente verdade. Eu cheguei a essas conclusões tendo examinado em detalhe os 14 incidentes nos quais os réus contaram, assim como as abrangentes considerações que o requerente sujeitaram que eu levasse em conta”. 

Como o juiz notou, o The Sun conseguiu mostrar evidências de diversos momentos nos quais Depp foi supostamente abusivo contra Heard. Durante o tribunal, os advogados de Depp tentaram provar que era, Amber Heard, na verdade, que era a abusiva no relacionamento. Contudo, parece que Depp reconheceu que houve diversas brigas que se tornaram físicas durante seu casamento, de forma que, mesmo que ele provasse que Heard era a pessoa primariamente abusiva, ele a agrediu o bastante para ser chamado de “espancador de esposa” pelo jornal sem que isso fosse considerado algo falso ou mentiroso.

Ainda esse ano, Depp e Heard voltarão a se enfrentar nos tribunais, já que eles ainda terão um caso sendo julgado em Virgínia, nos Estados Unidos, no qual Johnny Depp está processando Amber Heard em $50 milhões devido a um artigo que ela escreveu para o Washington Post repetindo suas alegações de abuso contra Depp.

Imagem de perfil
sobre o autor Leo Gravena

Editor-Chefe | @LeoGravena
"...It was never going to be okay..."