Capa da Publicação

Homem de Ferro: Tecnologia Extremis retorna nas HQs

Por Gus Fiaux

Todo o Universo Marvel está tremendo perante a chegada de Knull, o Deus dos Simbiontes, como os fãs estão podendo conferir na saga King in Black, um grande evento que gira em torno de Venom e outros simbiontes, conforme a Terra reúne seus maiores campeões para enfrentar essa ameaça cósmica. E na mais recente edição da saga, tivemos o retorno de uma importante tecnologia do Homem de Ferro.

Em King in Black #2, liberada na última quarta-feira, vemos a monstruosa investida de Knull contra outros heróis da Marvel. Após assassinar friamente o Sentinela, o vilão agora se prepara para atacar o próprio Venom, consumindo seu simbionte e o atirando do topo de um prédio.

Eddie Brock sobrevive a queda, mas fica à beira da morte com ferimentos bem evidentes. E é aí que Tony Stark entra em ação, tentando inserir no herói uma nova versão do Vírus Extremis, para tentar “hackear” seu DNA e salvá-lo com nanotecnologia. Infelizmente, a tecnologia não basta e Eddie acaba morrendo.

A saga King in Black lida com a chegada de Knull, o Deus dos Simbiontes, à Terra.

O curioso é a forma como Tony tenta reverter a situação: ele usa o vírus para reescrever o DNA de um dos dragões de Knull, transformando-o em um simbionte para ser usado por Eddie Brock. Ainda assim, essa tecnologia precisa ser mais refinada para que possa ser utilizada contra o Deus dos Simbiontes.

Para quem não se lembra, o Extremis foi uma tecnologia introduzida nas HQs do Homem de Ferro nos anos 2000, como um comentário sobre o crescente uso da nanotecnologia. Milagroso, ele é capaz de reescrever o DNA de pessoas, aprimorando-os como super-soldados modernos, embora seja usada para propósitos nefastos por uma célula terrorista.

Após um tempo, o próprio Tony passou a usar uma versão modificada do Extremis, que o permitia guardar sua própria armadura dentro de seus ossos, conferindo a ele um tipo de tecnopatia. Nos cinemas, a ideia do Extremis foi vagamente adaptada em Homem de Ferro 3, embora seja algo bem diferente do que vemos nas HQs.

King in Black #1 e #2 estão à venda nas bancas norte-americanas, sem previsão de publicação no Brasil. A saga conta com roteiros de Donny Cates – que também estava trabalhando na revista do Venom – e arte de Ryan Stegman. Além da revista central, temos vários tie-ins ao longo das publicações da Marvel.

Abaixo, veja tudo o que você precisa saber sobre Knull, o Deus dos Simbiontes:

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux