Capa da Publicação

Gotham Knights: Desenvolvedores explicam o motivo de restringir modo cooperativo no jogo

Por Gabriel Mattos

Quem sente falta da série de jogos Batman: Arkham pode ficar muito animado com o anúncio de Gotham Knights. O jogo continua o legado de seu antecessor, trazendo uma história nova que poderá ser jogada com a Batgirl, o Asa Noturna, o Capuz Vermelho ou o Robin.

O jogo conta com um modo cooperativo para apenas dois jogadores, o que fez com que as pessoas se perguntassem porque não poderiam jogar com toda a equipe de uma só vez. Em uma entrevista ao IGN, o diretor criativo Patrick Redding revelou que a equipe considerou a ideia, mas concluíram que forçar um co-op com 4 jogadores resultaria num jogo pior.

“Você consegue criar uma experiência de combate com quatro jogadores, [mas] eu acho que quanto mais você foca nisso, mais os cenários acabam se tornando funcionais apenas para esse caso.”

Redding continuou a explicar que para conseguir criar a melhor experiência de Bat-família, o melhor a se fazer era focar na dinâmica entre cada dupla.

“Se você parar para pensar na fantasia da Bat-família, quando esses heróis se juntam, costuma ser algo do momento e logo eles se separam de novo. Eles se encontram, descobrem que estão caçando o mesmo cara, derrotam ele juntos e depois voltam a seguir seus caminhos. O jogo precisava permitir essa liberdade, e essa dinâmica é possível do jeito que construímos. Pensamos assim: ‘OK, a gente consegue fazer um mundo que funciona perfeitamente tanto para um modo solo, quanto em duplas. Vamos focar nisso!'”

Isso fica bem evidente nos vídeos de jogabilidade já publicados, onde um herói pode se juntar a ação de modo bastante orgânico.

Gotham Knights chegará ao PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One e Xbox Series S e X em 2021.

Confira também:

 

 

 

 

Imagem de perfil
sobre o autor Gabriel Mattos

Redator que joga mais Switch do que deveria e já leu todo o novo cânone de Star Wars, até os livros ruins. • @gabeverse