Capa da Publicação

Disney está sendo processada por uso de personagens de computação gráfica, entenda

Por Gabriel Mattos

Basta você crescer muito no mundo entretenimento para aparecer alguma empresa decidida a processar você. Dessa vez, quem não escapou do tribunal foi a Disney, que pode ter que pagar uma fortuna por usar personagens de computação gráfica.

O processo foi aberto por uma empresa responsável pelos programas de captura facial usados em filmes como A Bela e a Fera e Vingadores. São esses programas que permitem que a atuação de nomes como Vin Diesel e Bradley Cooper seja transferida para personagens virtuais como Groot e Rocket Racoon.

Essa empresa, a Rearden, vem tentando processar não só a Disney, como outras gigantes do cinema como a Paramount e a Fox, alegando que o uso de sua tecnologia de captura facial para ganhar milhões no cinema lhe dá o direito a parte desses lucros.

Segundo The Hollywood Reporter, a acusação já foi recusada por vários juízes, mas depois de cuidadosamente reescrever o caso, parece que a Readen finalmente encontrou uma brecha na legislação. Um advogado da Disney comentou o caso:

“Mesmo [considerando] o uso desse programa, que não é protegido por direitos autorais, ele é apenas um processo preliminar que precisa do trabalho de inúmeros artistas e programadores da Disney com incontáveis horas de ajustes adicionais para criar sequer um personagem de computação gráfica.” 

Caso a Disney perca o processo, isso pode impactar futuras decisões de usar personagens de computação gráfica, incluindo possíveis vilões do MCU e personagens de seus remakes em live action de desenhos clássicos.

Que você acha disso tudo? A Rearden está certa ou errada com o processo? Responde aí nos comentários.

Aproveite e confira:

Imagem de perfil
sobre o autor Gabriel Mattos

Redator que joga mais Switch do que deveria e já leu todo o novo cânone de Star Wars, até os livros ruins. • @gabeverse