Capa da Publicação

Crash Bandicoot 4: Jogamos a demo e esse pode ser o melhor game da franquia

Por Márcio Jangarélli

Quando Crash Bandicoot 4: It’s About Time foi anunciado, este redator que vos fala não poderia ter ficado mais feliz. Além de ser uma sequência direta do clássico Crash Bandicoot 3: Warped de PSOne, esse é o primeiro jogo original dos responsáveis pelos remakes da trilogia e de Crash Team Racing, a Toys For Bob.

A demo do game fica disponível hoje, 16, para quem fez a compra na pré-venda e nós já experimentamos – cortesia da Activision. E olha, vou contar pra vocês: a criança que ainda vive nesse corpo não muito bem cuidado de 26 anos pulou de alegria. Nessa pequena prévia do jogo, deu para sentir que o espírito dos games originais foi honrado com excelência.

Na demo, estão disponíveis três níveis para você experimentar, apresentando algumas das funções inéditas do game: as Máscaras Quantum e os novos personagens jogáveis. Você consegue usar duas máscaras – o Lani-Loli, dos poderes “fásicos”, de atravessar objetos, e a Kapuna-Wa, que pode parar o tempo. Além disso um dos níveis é com o queridíssimo gênio do mal, Dr. Neo Cortex.

Enquanto o título parece entregar tudo o que você espera de um game do Crash, com os comandos originais, fases insanas, os inimigos mais divertidos e um nível de dificuldade desafiador, ele vai muito além com as novas mecânicas. Você se sente nostálgico, sim, mas a experiência de jogar com o Neo Cortex, por exemplo, é um mundo completamente novo, não apenas uma troca de skin divertidinha.

As habilidades das máscaras Quantum dão um choque na nossa memória muscular, senso de espaço e tempo desses games. Você precisa adquirir um novo timing e percepção porque, ainda que pareça familiar, não é a mesma coisa.

Jogar com o Cortex é o ponto alto da demo. É uma mecânica nova e extremamente divertida, com o vilão transformando inimigos em tipos diferentes de plataforma para prosseguir, além de ter uma super-cabeçada que te permite atravessar abismos e armadilhas voando.

Aliás, as fases são interconectadas. Assim, durante o jogo com o Crash, você acaba encontrando uma armadilha do Cortex. Do outro lado, na pele do vilão, seu destino é ativar a tal armadilha no caminho do Crash. É uma dinâmica interessante, que deixa a aventura mais encorpada.

Vale dizer que o game está REALMENTE desafiador. Lembra até a dificuldade do Crash Bandicoot original. Isso pode assustar, mas ainda é a demo, né? Não dá pra saber onde ou como essas fases estão alocadas no produto final. 

Conhecemos também os modos moderno e retrô, mas a demo não se aprofunda tanto nessas funções. Ao que parece, no moderno você avança sem game over, apenas acumulando seu número de mortes, enquanto o retrô segue o sistema original, com contagem de vidas.

Com a demo de Crash Bandicoot 4, deu para ver que a Toys For Bob escutou os fãs e produziu algo digno da franquia, mas com uma identidade muito própria e brilhante. Ouso dizer que esse game tem potencial para ser o melhor Crash, sem levar em conta nostalgia e impacto dos originais, apenas os títulos em si. 

Ainda é cedo para julgar, porém. Temos que esperar o lançamento logo mais – mas que a demo deu aquela injeção de adrenalina e ansiedade, deu.

E aí, estão ansiosos para a nova aventura desse marsupial maluco? Não esqueçam de comentar!

Terminou a leitura? Confira nossa lista com tudo que você precisa saber sobre a franquia Crash:

Crash Bandicoot 4: It’s About Time tem lançamento marcado para 2 de Outubro, disponível para PS4 e XOne.

Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.