Capa da Publicação

Constantine 2: O que gostaríamos de ver no filme

Por Gus Fiaux

Na semana passada, fomos todos pegos de surpresa com uma informação bem chocante. Após quinze anos, uma continuação de Constantine está sendo planejada, de acordo com o ator Peter Stormare. Lançado em 2005, o filme estrelado por Keanu Reeves não é muito fiel às HQs do herói, fazendo mudanças em sua nacionalidade e sua origem. Por outro lado, o longa conquistou o carinho de muitos fãs, tornando-se uma adaptação bem interessante do demonologista da DC Comics.

Ainda não temos certeza se essa continuação vai sair algum dia, dado todo o histórico da Warner Bros. em relação ao planejamento de seus filmes. Ainda assim, o Constantine é um personagem bem complexo dos quadrinhos, cujas histórias mergulham no oculto e no sobrenatural com a presença de demônios, assombrações e outras criaturas malditas. Caso esse filme realmente saia do papel, aqui estão algumas coisas que gostaríamos de ver na sequência de Constantine!

Dirigido por Francis Lawrence (o mesmo diretor de Jogos Vorazes: Em Chamas e de Eu Sou a Lenda), o filme de 2005 é uma mistura de vários arcos do personagem. Em sua base, o filme adapta elementos de Hábitos Perigosos, a história na qual o exorcista se torna refém do câncer de pulmão, após anos fumando. Além de enfrentar a doença, ele acaba se metendo no meio de uma conspiração envolvendo o céu e o inferno.

O filme trouxe grandes nomes do cinema na época. Keanu Reeves deu vida ao icônico John Constantine, que é americano em vez de britânico. Rachel Weisz, por sua vez, dá vida a Angela Dodson, uma mulher que precisa investigar o misterioso suicídio de sua irmã gêmea. Shia LaBeouf vive Chas Kramer, importante aliado e motorista particular de Constantine.

Por outro lado, ainda temos Peter Stormare interpretando o próprio Diabo, em uma das atuações mais memoráveis do filme, além de Djimon Hounsou como o capcioso Papa Meia-Noite e Tilda Swinton, no memorável papel do Arcanjo Gabriel, uma figura moralmente ambígua que mostra como nem todos os anjos são bondosos.

Com um elenco desses, adoraríamos ver um segundo filme que pudesse mergulhar mais ainda na mitologia do Constantine, mesmo que seguisse as mudanças propostas pelo filme original de 2005. Seria bem interessante ter Keanu de volta como um Constantine mais velho e mais experiente, pronto para embarcar em mais uma missão infernal junto de seus aliados.

Em termos de histórias, há uma miríade de tramas dos quadrinhos que poderiam dar base para uma continuação. A nossa única expectativa é que a sequência não decidisse mais uma vez voltar a Newcastle para contar a história de origem de Constantine e como ele condenou a vida de uma garotinha inocente ao inferno. Não é uma história ruim, mas já não aguentamos mais ouvi-la, já que ela foi trabalhada na série de TV do personagem, no Arrowverse e nos filmes animados do anti-herói.

Em vez disso, temos vários arcos intocados dos quadrinhos que mereciam espaço e uma adaptação para os cinemas, como é o caso de Pecados Originais, Assombrado O Homem da Família, todas tramas que lidam com o lado sobrenatural das histórias do personagem, mas ao mesmo tempo com como demônios e seres abissais afetam a vida de vários humanos normais, como eu e você.

Outra possibilidade, que até condiz melhor com a proposta do filme de 2005, é criar uma história original que dê seguimento aos ganchos deixados pelo filme – como, por exemplo, o que aconteceu com Chas, que morre durante o longa, mas retorna em uma cena pós-créditos bem inusitada. Ou até mesmo uma nova trama envolvendo o Arcanjo Gabriel, depois de tudo o que ele fez no filme original.

Essa seria uma ótima oportunidade de trazer de volta o elenco do filme de 2005 em uma nova aventura, incorporando elementos soltos das HQs do herói sem necessariamente ser uma adaptação direta dos quadrinhos de Hellblazer – afinal, ainda devemos ter outra adaptação do personagem na série da Liga da Justiça Sombria, que fará parte do HBO Max. É melhor deixar as adaptações fiéis para esse “universo”.

Aliás, por falar na Liga da Justiça Sombria, uma outra ideia seria até mesmo fazer uma “equipe mística” para lutar ao lado do Constantine, trazendo novas versões de heróis como Zatanna e até mesmo o Monstro do Pântano. No entanto, é importante que nos lembremos que o filme de 2005 não é uma explosão de super-heróis e efeitos visuais – na verdade, trata-se de um filme de terror contido, um tom que deveria ser mantido em uma sequência.

Por essas e outras, é difícil imaginar o que veremos em uma sequência de Constantine – isto é, se o filme realmente for lançado, como esperamos. De qualquer forma, os fãs mais puristas que esperam adaptações totalmente fiéis e idênticas às HQs certamente não vão ficar felizes em ver mais um filme protagonizado por um americano de cabelos pretos, em vez do britânico loiro que conhecemos dos quadrinhos.

Porém, a visão de Francis Lawrence já funcionou antes e poderia funcionar mais uma vez, trazendo um personagem recontextualizado. Isso não quer dizer que o Constantine clássico deva ser esquecido, mas que o filme de 2005 (e sua potencial continuação) poderiam nos dar uma nova ideia para um personagem amado das HQs, em um universo que não depende de super-heróis e grandes batalhas, em uma proposta mais voltada para o horror que para a ação.

Abaixo, veja 10 coisas que você precisa saber sobre a Liga da Justiça Sombria:

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux