Borat 2: Amazon é processada por causa de participação de sobrevivente do holocausto

Capa da Publicação

Borat 2: Amazon é processada por causa de participação de sobrevivente do holocausto

Por Márcio Jangarélli

O novo filme de Sacha Baron Cohen, lançado pelo Amazon Prime Video, Borat: Subsequent Moviefilm, mal estreou e já está envolto em todo tipo de controvérsia – como o esperado. Mas a produção agora recebeu um processo um tanto “inusitado”, sem estar ligado exatamente às polêmicas causadas pelo Borat no título.

De acordo com a ComicBook, a produção de Borat 2 será levada à justiça por conta do depoimento de Judith Dim Evans, uma sobrevivente do holocausto que foi entrevistada para o filme. Evans faleceu antes do título ser lançado e o longa foi dedicado a ela.

A autora do processo é a filha de Judith, Michelle Dim St Pierre. Ela afirma que sua mãe não sabia do que se tratava a gravação, que os produtores lhe enganaram dizendo que a filmagem iria para um documentário sobre o holocausto e que até mesmo a assinatura de Judith teria sido falsificada para autorizar a veiculação.

No filme, Evans aparece em uma sequência onde o Borat “descobre” que o holocausto foi real, depois de anos fazendo zombaria com a comunidade Judaica. Cohen, que é judeu na vida real, explicou durante a divulgação do primeiro filme que a ideia era que seu personagem representasse as pessoas ignorantes que tentam contestar a perseguição de judeus pelo nazismo, educando o público de forma satírica sobre esse episódio histórico terrível.

A acusação de St Pierre diz que:

Minha mãe é uma pessoa que nunca participaria disso e nunca entraria no jogo se ela soubesse sobre o que ele era realmente. Ela era uma mulher incrível e muito inteligente. Mas isso é maior que a minha mãe. Eu acredito que estou lutando aqui não apenas por ela, mas por toda a comunidade Judaica, especialmente os sobreviventes do Holocausto.

 

Ela me disse o que aconteceu e eu tentei convencê-la de que estava tudo bem. Eu disse a ela que não acreditava que alguém no mundo colocaria o Holocausto e comédia juntos. É sem precedentes.

Ainda, segundo o Deadline, Dim Evans foi avisada da “pegadinha” depois da gravação e existe uma filmagem da explicação sendo dada. No vídeo, um dos produtores informaria Evans sobre o filme e que Cohen também é judeu, esclarecendo suas ideias e o personagem Borat.

Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.