Capa da Publicação

Assassin’s Creed Valhalla: Ubisoft pede desculpas por capacitismo no jogo

Por Leo Gravena

Assassin’s Creed Valhalla já está disponível para ser jogado em várias plataformas diferentes. E mesmo trazendo uma ótima história e jogabilidade, o jogo também recebeu críticas após a descrição de uma personagem ter sido compartilhada nas redes sociais.

No tuite de Courtney Craven, a fundadora do site de acessibilidade de jogos “Can I Play That?” (“Posso Jogar Isso?” em tradução livre), ela cita uma descrição que fala sobre uma personagem do jogo cujo rosto foi queimado. A descrição diz: “Tendo se queimado horrivelmente em um acidente na infância, Eorforwine é aterrorizada pela ideia de que alguém verá seu rosto desfigurado. Ela revive sua fúria com explosões de violência”.

Courtney foi ao twitter dizer sobre como ela inaceitável a descrição da personagem, principalmente devido a termos capacitistas como “rosto desfigurado”, dizendo:

“Eu não inclui isso nas minhas impressões sobre Assassin’s Creed Valhalla, mas é importante citar isso. Essa é a descrição de um personagem no jogo. É absolutamente inaceitável falar sobre diferenças faciais dessa forma. Escritores de video games e semelhantes precisam fazer melhor”.

A Ubisoft respondeu ao tuite, dizendo:

“Muito obrigado por apontar isso – nos desculpamos por termos reforçado  capacitismo involuntariamenteatravés dessa linguagem. Iremos remover essa linguagem em uma atualização futura”. 

 

Confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Leo Gravena

Editor-Chefe | @LeoGravena
"...It was never going to be okay..."