Capa da Publicação

X-Men: Fênix Negra – Produtor e diretor falam sobre a violência presente no filme!

Por Raphael Martins

Filmes como Logan e os dois Deadpool, que ganharam censura 18 anos por sua violência, uso de palavrões e situações desconfortáveis para audiências mais jovens, abriram um pouco mais de espaço para que filmes de heróis com essa classificação fossem feitos.

Contudo, esse não é o caso de X-Men: Fênix Negra, também produzido pela Fox, que apesar de apresentar um grau de violência acima do normal para uma produção desse gênero, conseguiu manter sua classificação para maiores de 13 anos.

De acordo com Hutch Parker, produtor do filme, uma versão para maiores de 18 anos não foi exatamente considerada pelo estúdio:

 “Eu não acho que isso teria sido algo sobre o qual ficaríamos tímidos. Nós tentamos, assim como em Logan, que a história ditasse as regras. Então, para realmente decidir que história estamos contando, qual seria a melhor maneira de contá-la? E que classificação isso pediria? E nessa caso é realmente mais sobre emoção do que sobre violência, ou sobre sexo, ou qualquer outra coisa que teria empurrado o filme para uma classificação para maiores. Foi confortável. Quero dizer que esta ainda é uma história bem sombria, mas que se sente bem confortável com a classificação que tem.”

Fênix Negra conseguiu manter sua classificação para maiores de 13 anos, embora mostra personagens como Noturno e Magneto lutando de uma maneira bem mais visceral. Sobre isso, o produtor comenta:

“Estou feliz que tenha perguntado isso, porque uma das coisas que queríamos fazer na sequência final era realmente liberar todos os personagens, e soltar as rédeas de cada um dos X-Men. Ambos para conseguirmos vê-los lutando juntos, o que é algo que nós realmente nunca fizemos muito, e nos inclinarmos para isso foi muito divertido. E então dar a cada um deles seu momento para perder o controle, onde você pode vê-los lutando com raiva. E ver a Tempestade liberada foi incrivelmente gratificante para mim, ou o Noturno começando sua transição em algo mais parecido com o que foi mostrado em X-Men 2, com aquela intensidade. 

 

Um dos meus favoritos é Michael [Fassbender]. Nós projetamos a sequência de ação ao redor de Michael como se ele fosse um artista marcial, então ao invés de simplesmente mostrá-lo manipulando metal e jogando coisas, o que obviamente já o vimos fazer, a última sequência imita o que poderia ser uma luta de artes marciais, o que foi muito divertido.”

Simon Kinberg, diretor do filme, também falou sobre essa abordagem mais sem amarras dos personagens, no que para ele é a culminação de 20 anos de histórias:

“Eu trabalho nesses filmes há muito tempo, e temos sido bem sucedidos com os filmes dos X-Men, esses filmes realmente se tornaram meio que minha família nos últimos 10, 15 anos. Eu passei mais tempo nos sets de X-Men do que em casa. O estúdio passou a confiar em mim para fazer esses filmes. E quando a hora chegou, eu disse ‘Escutem, eu realmente quero dirigir esse filme,’ e eu tive muito apoio do elenco para fazê-lo. Minha visão para o filme era mais intensa, um filme dos X-Men mais cru do que os que já fizemos antes.

 

Então, como eu disse, eu fui muito claro com o estúdio desde o começo. Eu disse escutem, isso vai forçar o limite da censura 13 anos mais do que vocês jamais viram. Será muito mais parecido com os filmes de O Cavaleiro das Trevas, ou como Logan do que com os antigos filmes dos X-Men. E eu senti que era hora de mudar depois de 20 anos fazendo esses filmes, e essa história em particular, eu acho, requer uma certa intensidade para ser contada apropriadamente.”

Confira vários cartazes do filme na nossa galeria:

X-Men: Fênix Negra estreia em 7 de junho.

Fonte: ComicBook

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael