Capa da Publicação

O Mundo Sombrio de Sabrina (Parte 2) – Da luz para as trevas!

Por Gus Fiaux

A segunda parte de O Mundo Sombrio de Sabrina chega à Netflix nesta sexta-feira, com muito mais magia e satanismo. Agora, após ter finalmente assinado seu nome no Livro da Besta, a jovem Sabrina Spellman fez sua escolha e não está mais dividida entre dois mundos.

Decidindo estudar integralmente na Academia de Artes Ocultas, a bruxa está deixando para trás sua vida como “humana” – por medo do que seu pacto pode acabar fazendo com seus amigos. Ainda assim, os dramas não acabaram, e agora ela precisa lidar com um mundo verdadeiramente sombrio e aterrador.

A primeira parte da série foi um sucesso. Lançada em outubro do ano passado, ela conseguiu amplamente desassociar a imagem que tínhamos da personagem graças à série Sabrina, Aprendiz de Feiticeira. Em vez de encantos bobinhos e feitiços suaves, a nova versão já começou com dedo no c* e bruxaria.

Após um especial de natal, a segunda parte veio para trazer a continuidade da história – e certamente acertou nos percalços desse caminho. Nos cinco primeiros episódios, Sabrina é destemida e precisa lidar com problemas reais, ainda que envoltos em uma aura de ocultismo.

E talvez esse seja o maior acerto desse novo bloco de episódios. Enquanto o primeiro traz a protagonista dividida entre dois mundos, com sua trama “humana” apenas tangenciando sua trama “bruxa”, dessa vez os dois lados da narrativa não são separados.

E isso cria um pano de fundo para discutir assuntos do dia-a-dia – até porque, não se engane, O Mundo Sombrio de Sabrina é sim uma série adolescente. Aqui, vemos a bruxinha tendo que confrontar demônios e conspirações, ao mesmo tempo em que lida com o machismo na Academia, a pressão para perder a virgindade e uma série de outros elementos.

Em cinco episódios, a série volta a nutrir o clima jovial, mesmo que as apostas agora sejam maiores. A trama toma seu tempo para andar, mas quando todas as cartas estão na mesa, os assuntos se tornam mais graves – e o quinto episódio já traz bem o que podemos esperar do restante da temporada.

Mais interessante é a forma como algumas tramas são desenroladas. Para quem esperava um triângulo amoroso entre Sabrina, Harvey Kinkle e Nick Scratch, pode respirar aliviado, já que isso não chega a tomar tempo e mostra como Sabrina evoluiu, tanto como personagem como quanto pessoa.

Aliás, como bem disse a review do Bloody Disgusting sobre a série, o verdadeiro “triângulo amoroso” está em outro lugar. É óbvio que Sabrina está no centro dele, mas quem preenche as lacunas são o Senhor das Trevas e Madame Satã. Essa dinâmica cria profundidade e mostra como Mary Wardwell pode ser uma grande parte do futuro da série.

No entanto, isso não consome toda a energia da série, deixando muito gás para os personagens coadjuvantes. Os amigos humanos de Sabrina continuam tendo sua própria trama, dessa vez mais “isolada” do que acontece com a jovem Spellman, mas ainda assim muito interessante.

Harvey está lidando com o fim do relacionamento – enquanto precisa aceitar alguns detalhes sobre si mesmo. Roz tem que aceitar as responsabilidades de seus poderes, mesmo que isso signifique uma perda grave. E Susie ganha uma das tramas mais importantes da série, discutindo temas como transgeneridade e aceitação.

Do lado das trevas, as coisas também andam mais rápido. O Padre Blackwood é o grande destaque, se tornando um antagonista cada vez mais pérfido. Sua presença é imponente e sua trama ganha força no quinto episódio.

Por outro lado, a casa das Spellman está encontrando mais paz. Zelda é a única que realmente está com uma trama bem empolgante, mas Hilda e Ambrose foram deixados um pouco mais de lado, embora devam ter grande participação no futuro.

Ainda restam quatro episódios para o fim da temporada, mas O Mundo Sombrio de Sabrina já se prova, mais uma vez, uma baita série de horror e mistério, ao mesmo tempo em que as tramas humanas são o foco. Se não menosprezasse o pobre Salém, tinha tudo para ser perfeita.

 

Na galeria abaixo, fique com imagens da temporada:

O Mundo Sombrio de Sabrina está disponível na Netflix.

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux