Capa da Publicação

League of Legends – A ascensão de um fenômeno!

- – “Meu coração e espada sempre por Demacia!”

Por Guilherme Souza A menos que você more em uma caverna, você provavelmente já deve ter, no mínimo, ouvido falar de League of Legends. Considerado um dos jogos mais populares da atualidade, o jogo foi o responsável pela criação de um cenário competitivo que elevou os jogos eletrônicos ao patamar do futebol aqui no Brasil, fazendo com que milhares de brasileiros não só o joguem, como também acompanhem e torçam por seus times favoritos nos campeonatos. 

Hoje, iremos falar um pouco sobre um dos maiores fenômenos da atualidade. Sua criação, trajetória de sucesso e até mesmo algumas polêmicas. 

Antes do League of Legends sequer sonhar em existir, um dos MOBA mais populares que existiam era o DotA, que nasceu de um mod do Warcraft III. Curiosamente, LoL e DotA possuem mais em comum do que seu gênero e mecânicas. 

Steve “Guinsoo” Feak, foi um dos responsáveis por trabalhar no DotA Allstars, adicionando novos itens, heróis e por realizar mudanças na jogabilidade, porém ele encerrou sua participação na franquia ao se aliar a Brandon “Ryze” Beck e Marc “Tryndamere” Merrill, dois colegas de quarto que se conheceram na Universidade da Califórnia e juntos, o trio começou a trabalhar no que viria a ser o League of Legends. 

Assim, a Riot Games abriu suas portas em 2006, anunciado o LoL como seu primeiro projeto em 2008. Após alguns testes beta, o jogo foi lançado oficialmente em outubro de 2009, apenas nos Estados Unidos. Com o servidor brasileiro tendo estreado em 2012, atualmente, o jogo possui servidores espalhados para a maioria dos continentes do mundo, permitindo que milhões de jogadores tenham acesso a ele. 

Como era de se esperar, o surgimento de um novo jogo do gênero também criou uma rivalidade entre aqueles que eram fãs do DotA e os que passaram a seguir o LoL, rivalidade esta que foi agravada por algumas polêmicas relacionadas ao cenário competitivo, onde diversas fontes afirmam que a Riot passou obrigar times e campeonatos a deixarem de jogar DotA para favorecer o LoL. 

Apesar de ter sido recebido de forma divisiva pela crítica em seu lançamento, o jogo acabou conseguindo cativar os fãs e ir melhorando com o passar do tempo, tornando-se a potência que é hoje. Mesmo com a reclamação de muitos usuários em relação ao novo client, o LoL segue como um dos carros-chefes do cenário competitivo, ficando em terceiro lugar na lista dos jogos que mais pagam prêmios em dinheiro para os vencedores de campeonatos, com prêmios em torno de US$ 6 milhões.

O sucesso de jogos como LoL e DotA inspiraram outros estúdios a desenvolverem seus próprios MOBA, tais como o SMITE da Hi-Rez, que apesar de seguir a mesma premissa, apresenta um câmera em terceira pessoa e tem como cânone principal o confronto entre divindades de diversas crenças diferentes. Temos ainda também o novato Arena of Valor, que busca transportar os MOBA para o universo mobile e tem se saído muito bem nisso. 

Embora a Riot faça questão de não divulgar muitos dados sobre sua média de usuários, ao final de 2018, o jogo já registrava uma média de 111 milhões de usuários por mês, o que é um número impressionante. 

Mesmo com tanto sucesso, a Riot não está isenta de algumas polêmicas, principalmente relacionadas ao trabalho de seus funcionários e sua conduta pública. Em 2018, o site Kotaku publicou uma matéria extensa, onde conversou com cerca de 28 mulheres que trabalham ou que já haviam trabalhado na Riot, que revelaram casos de sexismo e de desigualdade dentro da empresa, onde algumas funcionárias até mesmo constataram que suas ideias só eram ouvidas se fossem apresentadas por homens. 

Embora a Riot tenha se pronunciado publicamente sobre o assunto, lamentando ouvir tais afirmações e negando veementemente qualquer prática discriminatória, em abril de 2019, a empresa tentou tomar medidas legais para impedir processos de seus funcionários, alegando que os contratos de trabalhos dos funcionários possuem cláusulas que requerem sigilo. A medida fez com que os funcionários organizassem uma passeata em protesto, pois caso essa medida fosse aprovada, os funcionários estariam a mercê de tudo o que a empresa fizesse, sem que nenhuma informação pudesse ser divulgada. 

Mesmo com polêmicas, controvérsias e até alguns bugs, o LoL segue como um dos jogos mais rentáveis da atualidade, gerando uma receita anual de cerca de US$ 1.4 bilhão, além de figurar em diversas premiações anuais, concorrendo como melhor jogo e entre outros. Ao que parece, o sucesso do título ainda se estenderá por muitos anos, permitindo que ele fique cada vez maior e melhor. 

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Guilherme Souza

Outra grande manchete: 'Água, molhada!'