Capa da Publicação

Game of Thrones – Emilia Clarke revela que teve dois aneurismas em meio às gravações da série!

Por Raphael Martins

Quem vê grandes astros e estrelas brilhando em produções milionárias e posando para capas de revistas famosas às vezes esquece que, no final das contas, são pessoas comuns, humanos feitos de carne e sangue assim como qualquer um de nós. E Emilia Clarke, que interpreta Daenerys Targaryen em Game of Thrones, nos lembrou disso mais uma vez durante essa semana.

Em uma matéria reveladora para o site The New Yorker, a atriz compartilha uma história muito pessoal sobre quando precisou lutar contra dois aneurismas cerebrais logo após o término das gravações da primeira temporada de Game of Thrones, que no momento é a série de TV mais popular do mundo. Ela já começa seu relato sem rodeios:

“Justo quando todos os meus sonhos de infância pareciam ter se tornado realidade, eu quase perdi minha mente e então minha vida. Eu nunca contei essa história publicamente, mas agora está na hora.”

A atriz então descreve a experiência angustiante de sofrer de um aneurisma, o que a fez acreditar que estava morrendo, o que de fato poderia ter acontecido:

“Como eu descobri logo depois, cerca de um terço dos pacientes com hemorragia subaracnoide morre imediatamente ou pouco tempo depois. Para os pacientes que sobrevivem, é necessário um tratamento urgente para selar o aneurisma, já que existe um alto risco de um segundo sangramento, muitas vezes fatal. Se eu fosse viver e evitar sequelas terríveis, eu teria que fazer uma cirurgia de emergência. E mesmo assim, não haviam garantias.”

As gravações de uma série com uma escala tão grande, ainda mais para uma atriz com pouca experiência profissional como ela, já haviam sido estressantes por si só. Em uma passagem de seu relato, Emilia Clarke fala sobre suas preocupações e angustias quanto à sua participação em algo tão grandioso:

“Apesar de toda a animação da campanha publicitária e da estreia da série, eu não me senti como se havia conquistado algo. Eu estava assustada. Assustada com a atenção, com um negócio que eu mal entendia, com medo de tentar preencher as expectativas que os criadores da série tinham colocado em mim. Eu me senti, de todas as maneiras, exposta. Logo no primeiro episódio, eu aparecia nua, e desde a primeira coletiva de imprensa, eu sempre ouvia a mesma pergunta: alguma variação de ‘Você interpreta uma mulher tão forte, e ainda assim tem que tirar a roupa. Por que?’ Na minha cabeça, eu respondia ‘Quantos homens eu vou ter que matar pra provar do que eu sou capaz?'”

Após realizar a cirurgia no cérebro que salvou sua vida, a atriz voltou ao trabalho, mas não sem dizer aos produtores sobre o estado de sua saúde:

“Mesmo antes de começarmos a gravar a 2ª temporada, eu estava profundamente insegura. Eu costumava ficar tão tonta e tão fraca que eu pensava que fosse morrer. Enquanto estive em um hotel em Londres durante uma turnê de publicidade, eu me lembro muito bem de pensar que não ia conseguir acompanhar ou respirar e muito menos tentar ser charmosa. Eu tomava morfina entre as entrevistas. A dor estava lá e a fadiga era a pior exaustão que eu já havia sentido, multiplicada por um milhão. E, vamos encarar, eu sou uma atriz. Vaidade faz parte do trabalho. Eu passava tanto tempo pensando sobre como eu me parecia. Se tudo isso não fosse o bastante, eu parecia bater minha cabeça toda vez que tentava pegar um táxi.”

Um segundo aneurisma apareceu tempos depois, o que necessitaria de outra cirurgia, teoricamente mais simples que a primeira.

“Nenhum problema. Exceto que havia um. Quando eles me acordaram, eu estava gritando de dor. O procedimento havia falhado. Eu tive um sangramento massivo e os médicos deixaram bem claro que minhas chances de sobrevivência eram precárias se eu não operasse de novo. Dessa vez eles precisariam acessar meu cérebro da maneira tradicional – através do meu crânio.”

Na matéria, a atriz entra em detalhes sobre sua recuperação e a incerteza que reinava quanto à sua própria saúde, mantendo tudo em um segredo tão bem guardado que ninguém jamais a perguntou sobre isso. Ela explica:

“Mas agora, depois de manter isso em segredo por todos esses anos, estou lhes contando toda a verdade. Por favor, acreditem em mim: eu sei que eu dificilmente sou a única e que dificilmente estou sozinha. Incontáveis pessoas já passaram por muito pior, e nenhuma teve o cuidado que eu tive tanta sorte por receber.”

Depois de lutar por sua vida por anos a fio, indo de hospital em hospital, cirurgia após cirurgia, Emlia Clarke passou a se dedicar também à caridade. Ela ajudou a desenvolver o SameYou, que tem como objetivo oferecer tratamento para pessoas se recuperando de danos cerebrais.

“Eu sinto uma gratidão sem fim – à minha mãe e meu irmão, aos meus médicos e enfermeiras, aos meus amigos. Todos os dias eu sinto falta do meu pai, que morreu de câncer em 2016, e eu jamais poderia agradecê-lo o suficiente por segurar minha mão até o final.”

Fique com imagens de Game of Thrones na nossa galeria:

Game of Thrones retorna no dia 14 de abril, na HBO.

Fonte: Collider

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael