Capa da Publicação

Final Fantasy VII Remake – O clássico está voltando, maior e melhor que antes!

- – Grandes histórias nunca morrem!

Por Raphael Martins → Nos idos anos 90, a Sony estava decidida a entrar no mercado de games, algo que na década estava crescendo a níveis impensáveis em anos anteriores. Após ter sua oferta de parceria recusada tanto pela Nintendo quanto pela Sega, a empresa pegou todos os planos que havia desenvolvido e criou o monstro que as devoraria: o Playstation, um poderoso novo console que vendeu horrores e acabou por vencer a guerra dos 32 bits.

Além de ter especificações robustas para a época, o que colocou o Playstation na liderança do mercado foram seus jogos. Entre eles estava Final Fantasy VII, o primeiro game da série em 3D e também o primeiro a ser lançado em um sistema que não era da Nintendo, se tornando um clássico instantâneo.

A história de Cloud e seus amigos arrebatou os corações de jogadores do mundo inteiro, apresentando gráficos impressionantes para seu tempo, uma trilha sonora igualmente bela, personagens inesquecíveis e um grande nível de desafio, como todo Final Fantasy deveria ser. O sucesso do jogo, que vendeu mais de 11 milhões de cópias, significou também o sucesso do próprio Playstation, com muita gente adquirindo o console só para poder jogar Final Fantasy VII.

E assim, o tempo passou. Oito títulos se seguiram, mas o sétimo capítulo continuava firme e forte na memória dos fãs, que sempre acreditaram que um remake seria feito, mais dia menos dia. E durante a E3 de 2015, seu desejo foi atendido: Final Fantasy VII Remake foi revelado. O sonho se tornava realidade.

Após meses de mistério, a Square Enix, produtora do jogo, começou ir mostrando partes do novo gameplay, meio que a conta gotas. Foi só agora, em 2019, que a coisa engrenou de vez e pudemos conhecer em detalhes todas as novidades que o novo game oferecerá.

A primeira e mais gritante diferença são os gráficos, que estão simplesmente soberbos, aproveitando bem o poder do Playstation 4. São ainda mais bonitos que o que foi visto em Final Fantasy VII: Advent Children, filme de 2005 que continua os eventos do game. Cloud, Tifa e Aerith nunca foram tão belos.

A trilha sonora original de Nobuo Uematsu também está presente, ganhando novos arranjos que trazem ainda mais impacto às composições, que já eram poderosas. Mal podemos esperar para ouvir One Winged Angel, tema de Sephiroth, futuramente no game. Ênfase em “futuramente”, porque não vai ser desta vez que isso vai acontecer.

Para este nova versão, a Square Enix optou por recontar a história do game por partes. Ou seja, este Final Fantasy VII Remake é apenas a primeira parte de uma trama maior, que será contada aos poucos, através de lançamentos tão ambiciosos quanto aguardados. Em quantas partes o jogo foi dividido, isso nem mesmo seu produtor, Yoshinori Kitase, sabe responder.

O que se sabe é que este primeiro capítulo do jogo será inteiramente focado na luta da organização rebelde Avalanche contra a mega-corporação Shinra, que está usando a energia do próprio planeta como combustível para suas máquinas, algo que engloba todo o primeiro arco do jogo original. As ameaças e mistérios maiores, como as Weapons, Genova e Sephiroth, ficarão para frente.

Cloud e Tifa prontos para encarar a Shinra no remake do clássico de 1997

Outra grande mudança está no sistema de batalha. Tanto a exploração quanto o combate estão mais parecidos com os dos títulos mais recentes da saga, como Final Fantasy XV. No game original, quando em batalha, o jogador precisava esperar que sua barra de ATB (Active Time Battle) se enchesse até executar sua ação. Já no remake, a coisa é mais voltada para a ação, com os jogadores atacando livremente e fazendo a barra encher, para assim poderem usar suas técnicas mais poderosas e invocar criaturas. Também há um “modo tático”, que lhe permite desacelerar o tempo para montar estratégias de luta mais eficientes.

Contudo, se você for um jogador das antigas e não tiver gostado da novidade, não tem problema: o game virá com um “modo clássico”, onde você poderá jogá-lo exatamente como era no Playstation, esperando sua barra de ATB se encher e usando esse tempo para bolar a melhor estratégia para derrotar seus inimigos.

O menu de status dos personagens também sofreu uma mudança radical, mostrando seus guerreiros de corpo inteiro e as opções do jogo, entre elas algumas coisas novas exclusivas deste remake.

Pegando os fãs mais nostálgicos em cheio e também os mais novinhos que só ouviram falar do lendário game, Final Fantasy VII Remake parece melhor a cada nova prévia mostrada, justificando a espera de quem nunca desistiu de aguardar por uma nova versão que fizesse justiça ao tamanho de seu legado. O game sai em em 3 de março de 2020, exclusivamente para o Playstation 4.

Se você quiser experimentar o game em primeira mão bem antes do lançamento, uma boa notícia: ele vai estar disponível na Brasil Game Show, a maior feira de games da América Latina! O evento acontece de 9 a 13 de outubro, no Expo Center Norte, em São Paulo. Versões de demonstração do jogo estarão à sua inteira disposição no stand da Sony, que promete ser maior do que todas as edições anteriores da BGS. Para a compra de ingressos online e mais informações, vocês podem acessar o site oficial do evento, clicando aqui.

Confira algumas belas imagens de Final Fantasy VII Remake na nossa galeria:

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Já fui um pouco de tudo: apresentador de TV, repórter, roteirista e hoje sou redator nesse noblário site. Gosto de longas caminhadas na praia, HQs, games, tokusatsu, cinema e filé com fritas. Você pode trocar uma ideia comigo e me ver reclamar da vida no Twitter @aqueleraphael