Capa da Publicação

Diretora de Mulher-Maravilha 1984 afirma que é dela o corte final do filme!

Por Evandro Lira

Durante sua passagem pelo Brasil, Patty Jenkins e Gal Gadot falaram sobre o que podemos esperar de Mulher-Maravilha 1984, e ainda sobrou tempo para que elas refletissem acerca do impacto cultural que os novos filmes de super-heróis tem sobre o nosso tempo.

Jenkins está realmente empolgada para compartilhar com os fãs o que elas estão fazendo desde o primeiro dia que começaram a filmar.

“Estou super empolgada por finalmente as pessoas verem o que estamos fazendo, porque há duas coisas com as quais realmente me importo”, começou Jenkins. “Antes de tudo, a mensagem deste filme é algo em que acredito profundamente e chegou até nós enquanto estávamos trabalhando no primeiro filme.”

A cineasta queria fazer um filme que não só realmente se passasse na década de 1980, como também queria que ele se parecesse com às produções da época.

“Quero que pareça que você está vendo um filme dos anos 80, então fizemos quase todas as nossas cenas de ação, nossas lutas, do modo tradicional, com efeitos práticos”, ressaltou. “Temos um dos mais extensos e incríveis trabalhos feito com cabos que ninguém jamais fez antes, porque ninguém nunca tentou.”

Jenkins explica que a visão, voz e mensagem de Mulher Maravilha estarão super claros no filme, e que não se trata apenas de uma mulher que tem poderes e luta.

“A mensagem que a Mulher Maravilha está enviando ao mundo é sobre amor e crença nesses personagens, assim como é sobre tentar tornar as pessoas melhores”, disse ela. “Ela lutará se tiver que lutar, mas na verdade é sobre outra coisa.”

Jenkins conta que seu filho atualmente brinca com bonecas da Mulher-Maravilha e Hipólita, algo não era comum até uma década atrás.

“Isso me impressiona, porque é super importante para mim que todos se sintam contemplados por este filme”, ​​disse ela. “Isso se torna algo fácil de fazer, quando você está assistindo pessoas de todos os sexos e raças na tela, e não está pensando nisso.”

“É assim que você pode ver o DNA deste filme”, ​​acrescenta Gadot. “Pensamos sobre isso, mas não lutamos apenas com essa ideia, porque para nós é muito claro.”

Patty Jenkins é a primeira mulher da história do cinema a comandar um filme tão grande, em termos de produção, como Mulher-Maravilha. Agora, ela admite que é só com Mulher-Maravilha 1984, que ela tem a oportunidade de fechar o corte final do longa.

“O filme está pronto. Como não sai por alguns meses, pela primeira vez na minha carreira, o que ótimo, eu pude dizer: ‘Ei, pessoal, vocês podem me deixar mexer nele? Vocês podem me deixar brincar com isso?’ Então, estou brincando com ele, mas o filme está tecnicamente pronto.”

Sobre a ambientação dos anos 80, Patty Jenkins conta que escolheu esse momento por que se trata de uma década em que o mundo estava vivendo vários extremos.

“A maneira mais fácil de resumir sem estragar alguma coisa, é que este filme trata de colidir a Mulher Maravilha com o mal de nossos tempos, que é o excesso e a opulência em que nos encontramos. Estamos levando-a até a humanidade da melhor forma possível e na pior delas, além dos vilões que nasceram disso.”

Quais suas expectativas para Mulher-Maravilha 1984?

Fique com imagens de Mulher-Maravilha 1984 em nossa galeria:

Fonte: Deadline

Imagem de perfil
sobre o autor Evandro Lira

Editor, bacharel em Cinema e Audiovisual, bruxo nascido trouxa, filho dos filhos do átomo, mestre dos quatro elementos, fã de mais coisas do que deveria, frequentemente falando sozinho no Twitter. Segue: @evandroslira