Capa da Publicação

Batalha de Heróis: Realezas – Mulher-Maravilha x Pantera Negra!

Por Raphael Martins

Monarcas. Líderes. Exemplos. Heróis. Muitas coisas podem ser ditas da Mulher-Maravilha e do Pantera Negra, que apesar de separados por mundos e editoras diferentes, tem muito mais em comum do que qualquer um poderia inicialmente imaginar.

Mas em uma batalha hipotética, quem venceria? O vibranium de Wakanda ou o aço das espadas das amazonas? Antes de irmos para os finalmentes, precisamos conhecer melhor nossos heróis e os mundos que os cercam.

Pantera Negra surgiu nos quadrinhos em 1966, mas só foi apresentado ao grande público nos cinemas cinquenta anos depois, no filme Capitão América: Guerra Civil. Lá, T’Challa (Chadwick Boseman) embarcava em uma jornada de vingança após perdeu seu pai em um atentado cujo suposto autor era o Soldado Invernal (Sebastian Stan), tendo que encarar vários heróis pelo caminho.

Foi apenas em 2018 que o herói brilhou em seu próprio filme, Pantera Negra, dirigido por Ryan Coogler. Nele, descobrimos que houveram outros heróis que usaram o nome e a identidade do herói através dos séculos, sempre protegendo Wakanda e suas fronteiras de qualquer mal que ousasse se levantar contra o país.

O filme apresenta a mitologia do herói a um público que não conhecia a HQ de uma maneira muito eficiente, mostrando as diferentes tribos de Wakanda, a família do herói, como sua irmã Shuri (Letitia Wright), as guerreiras Dora Milaje e um de seus maiores inimigos, Erik Killmonger (Michael B. Jordan), que quer apagar o legado do antigo rei a qualquer custo.

Já a Mulher-Maravilha dispensa muitos comentários, já que se trata nada menos da heroína mais famosa de todos os tempos, que teve sua consagração no filme para os cinemas lançado em 2017.

No filme, Gal Gadot é Diana, a princesa das amazonas, filha da rainha Hipólita (Connie Nielsen). Ela vivia em Themyscira, uma ilha escondida do mundo habitada apenas por mulheres e onde viviam as poderosas amazonas, guerreiras criadas pelos deuses do Olimpo para combater Ares, o deus da guerra.

A vida de Diana muda quando o soldado Steve Trevor (Chris Pine) cai por acidente na ilha e lhes fala sobre os horrores da primeira guerra mundial. Tocada pelo relato do oficial e desconfiando de que Ares poderia estar por trás do conflito, Diana ignora as ordens de sua mãe e vai para o mundo exterior acompanhada de Trevor, levando a armadura e as armas de Themyscira com ela.

Em sua aventura, ela descobre a verdade sobre sua origem e o significado de ser uma heroína, enfrentando tanto os soldados inimigos no campo de batalha quanto o próprio Ares em um combate destruidor.

Como já dito anteriormente, apesar de serem dois personagens bem diferentes entre si, eles têm várias coisas em comum. Ambos viviam isolados em seus próprios mundos, sem nunca terem deixado as fronteiras de suas nações, e tem sua vida totalmente modificada assim que colocaram os pés para fora de casa. Seus lugares de origem, aliás, permaneceram escondidos do resto do mundo por milênios antes de finalmente abrirem suas portas, algo que, no caso da Mulher-Maravilhasó aconteceu nos quadrinhos por enquanto.

Diana e T’Challa também servem seus países como embaixadores. Nos cinemas, o príncipe de Wakanda decidiu revelar sua Terra ao mundo, iniciando relações de benefício mútuo com outros países. Nos quadrinhos, Diana foi por muito tempo embaixadora de Themyscira na ONU, numa fase escrita pelo quadrinista George Perez durante os anos 80.

Mas certamente, a semelhança mais óbvia diz respeito à representatividade feminina, algo extremamente forte tanto em Mulher-Maravilha quanto em Pantera Negra. As mulheres são vistas em posição de poder em todas as castas da sociedade, seja em casa como chefes de família ou na defesa de seu país como líderes militares e soldados.

Em Wakanda temos Shuri como a mente mais brilhante da divisão de tecnologia, descobrindo novas aplicações para seu vasto estoque de Vibranium e usando essas descobertas tanto para fazer do país uma das nações mais avançadas do mundo quanto para melhorar a vida de seus cidadãos. Liderando as Dora Milaje, as guerreiras de elite do país, está Okoye (Danai Gurira), cuja habilidade em combate só é superada por sua total lealdade ao trono.

Em Themyscira, não é diferente. Antiope (Robin Wright) lidera as amazonas com firmeza, sendo respeitada e admirada por todas como estrategista infalível e guerreira temível. O respeito que todas tem à rainha Hipólita também é absoluto, e o mesmo pode ser dito de sua filha Diana, que representa a ilha no mundo como sua maior heroína, a Mulher-Maravilha.

Letitia Wright como Shuri: o cérebro de Wakanda

Agora chegamos no momento que todos queriam: quem venceria em uma batalha entre Wakanda e Themyscira? Bem, a força das amazonas em combate é reconhecida e temida por todos há milênios, servindo de inspiração para lendas e canções através dos séculos. O mesmo pode ser dito das Dora Milaje, o exército feminino que é a ponta de lança do exército Wakandano.

Em uma batalha entre os dois exércitos, Wakanda levaria uma pequena vantagem por sua tecnologia extremamente avançada, que desenvolveu armas com um elevado poder de destruição como preparação para um eventual conflito com nações invasoras. Como pudemos ver em Vingadores: Guerra Infinita, eles estavam mais do que prontos para uma guerra, fazendo frente às forças de Thanos de maneira bastante efetiva.

Themyscira não dispõe da mesma tecnologia de Wakanda e teoricamente estaria em desvantagem em um conflito direto, mas a tenacidade das guerreiras amazonas não deve ser subestimada sob nenhuma hipótese. Elas já venceram longas guerras contra invasores alienígenas, criaturas do submundo e um sem-número de seres malignos nos quadrinhos, o que as tornam uma força a ser reconhecida.

Tudo seria decidido em um confronto decisivo entre a Mulher-Maravilha e o Pantera Negra, com a vitória ou derrota de um dos dois encerrando prontamente a guerra e declarando o vencedor.

Por maiores que sejam as habilidades de combate de T’Challa, suas capacidades físicas aprimoradas ao limite pela magia Wakandana e seu traje altamente tecnológico, ele não teria como fazer frente a Diana em um combate mano a mano. Criada pelo desejo dos deuses e tão poderosa quanto qualquer um deles, ela é simplesmente forte demais para o Pantera Negra conseguir lidar. Nessa, a vitória estaria com Themyscira.

Caso a Mulher-Maravilha e o Pantera Negra lutassem diretamente, a vitória seria da princesa amazona

Mas se pararmos um pouco para pensar, mesmo que os dois personagens se encontrassem, essa luta teria chances muito pequenas de acontecer, simplesmente por que eles não têm nenhum motivo para brigarem. Os dois são grandes heróis, que tem plena consciência do que é certo e justo, e saberiam que suas semelhanças seriam muito superiores às suas diferenças. No final, eles se uniriam para tornar o mundo um lugar melhor, com Wakanda e Themyscira compartilhando história e experiência e se aliando para a proteção da Terra.

Se você ainda não viu Mulher-Maravilha Pantera Negra, ou gostaria de assistir tudo de novo, não pode perder o especial Batalha de Heróis do Telecine, um especial que veio para deixar os fãs de quadrinhos ainda mais empolgados para as novidades da San Diego Comic-Con. De 18 a 21 de Julho, dois super-filmes serão exibidos seguidos no Telecine Pipoca e também estarão disponíveis direto pela internet no Telecine, para ninguém perder essa disputa. Você pode conferir todas as informações desse confronto clicando aqui.

Veja também imagens de Mulher-Maravilha 1984 na nossa galeria:

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael