Capa da Publicação

Atirar e Pilhar: Como The Division 2 resgata um gênero!

Por Lucas Rafael

The Division 2 é mais um título que cabe no crescente panteão dos jogos “Looter Shooter(Atirar e pilhar, em tradução  livre). Mas afinal, do que é feito um looter shooter? Como se joga um? Do que se alimentam e o que querem os Looter Shooters? Descubra hoje, na Legião dos Heróis.  

Looter Shooters são jogos como Destiny, Anthem, Warframe e Borderlands. Se uma fórmula de gameplay já se desenhou na sua cabeça ao ler o nome de alguns destes títulos, você provavelmente manja bastante do que eles oferecem. A experiência aqui tem como centro um ciclo de progressão que parece nunca ter fim. Existem mapas povoados com inimigos que, ao serem exterminados, costumam fornecer novas armas e equipamentos. Estas armas e equipamentos tornam o seu personagem mais poderoso, preparado para enfrentar outras ondas de inimigos mais fortes, que vão te recompensar com novos equipamentos e por aí vai.

A decrepitude urbana de The Division.

De uns tempos para cá, os Looter Shooters viraram sinônimo de experiências incompletas, mas sólidas o suficiente para atrair uma base de jogadores. Vimos empreitadas como Destiny e Anthem se desenrolando, trazendo um jogo base raso que vai tomando forma ao ser terraformado por atualizações e expansões.

Anos após seu lançamento, Destiny agora é um looter shooter enxuto com bastante conteúdo para ofertar àqueles que buscam algo neste tipo de jogo. The Division 1 passou pelo mesmo histórico perturbado de incompletude refém de atualizações e expansões antes de virar um produto finalizado.

É uma prática da indústria, lançar algo competente pela metade para expandir o lucro, fazendo você pagar pelas partes faltantes como se fossem conteúdo adicional. Já foram escritos diversos artigos online que condenam ou tentam justificar essa tática comercial particularmente moderna no meio dos jogos.  

Eu acredito em apontar erros de desenvolvedoras, em ser sincero em relação aos jogos que são me cedidos para teste.

Eu acredito também em recompensar acertos, atitudes louváveis e aplaudir feitos.

Dito isso, acho que The Division 2 é meu looter shooter favorito. Ele entende algo básico que se perdeu em meio ao gênero.

Que o conteúdo pós-lançamento seja adicional, e não essencial.

Existe uma experiência completa, gratificante e viciante inclusa neste pacote. Ela é permeada por uma história meia-boca mas que cumpre uma função crítica: estabelecer um universo. Este universo está contido dentro de um mapa-aberto delicioso de se explorar, por vezes até melancólico em sua decrepitude urbana. As missões secundárias podem ficar um pouco repetitivas, mas em geral, apresentam desafios que só podem ser contornados através de uma jogatina estratégica e acertada por parte do jogador e seus amigos.

Com amigos, The Division 2 fica ainda melhor

 

O núcleo da experiência em The Division 2, como em qualquer looter shooter, se trata em jogar constantemente para melhorar constantemente.

Um ponto decisivo no grau de apreciação que você terá por The Division está ancorado no seu apreço por esse tipo de jogo. Ele é muito mais divertido jogando com outras pessoas. Ele requer uma certa preocupação sua com os equipamentos de seu personagem. Ele requer uma conexão contínua com a internet e sua história serve apenas como uma desculpa para angariar itens e desferir tiros dentro de cenários de batalha intensos enquanto você procura o melhor lugar para se acobertar do caos sem que sua barra de vida desça rapidamente.

E funciona deliciosamente bem.

A partir do momento que seu personagem passa a atirar com melhores armas e a eliminar inimigos com maior rapidez e eficiência, você sente sua evolução. Até que os inimigos ficam fortes de novo, e você se esforça e batalha para subir de nível e pilhar itens melhores. De repente as coisas são fáceis novamente, contanto que você saiba como utilizar suas habilidades especiais e coordenar estratégias com seu amigo que está ali, aproveitando o mesmo ciclo de batalhas e recompensas e aprimoramentos que você.

Não bastassem as numerosas missões e um End Game extenso, Division 2 traz as Dark Zones, que são bastante intensas de se experimentar com amigos.  É conteúdo pra caramba.

E o melhor, o que vier depois do jogo em atualizações e DLCs será a mais. O essencial já está aqui e eu me divirto com ele sempre que ligo o Playstation 4. Obrigado aos envolvidos por acertarem a mão aqui e me lembrarem de como era me divertir com um looter shooter, gênero que estava ficando um tanto sacal na minha cabeça. Tomara que os demais representantes do mercado tomem nota.   

Mesmo que Looter Shooters não sejam sua praia, The Division 2 é o melhor deles em muito tempo.

Fique com imagens de The Division 2:

Junte-se à Divisão e seja a última esperança da humanidade! #TheDivision2 já está disponível para XONE, PS4 e PC.

Imagem de perfil
sobre o autor Lucas Rafael

Entusiasta de coisas demais