Capa da Publicação

Vingadores – Joss Whedon revela que não tinha planos para o Thanos!

Por Leo Gravena

Em entrevista com o IGN Joss Whedon, o diretor de Vingadores e Vingadores: Era de Ultron, revelou que não tinha grandes planos para o Thanos originalmente e que deixou o Thanos “de lado”, explicando que não tinha planos para o personagem após o segundo filme da equipe de heróis.

Whedon  não está mais envolvido com o Universo Cinematográfico da Marvel, porém, ele moldou os primeiros anos do estúdio, tendo dirigido o primeiro longa dos Vingadores e tendo sido consultor em vários outros filmes do estúdio. Após sair da Marvel, o diretor finalizou Liga da Justiça e, agora, planeja reviver um de seus maiores trabalhos na TV, Buffy: A Caça-Vampiros.

Agora, em entrevista, o diretor foi perguntado sobre o Thanos, já que foi ele quem introduziu o vilão na cena pós-créditos de Os Vingadores. 

“Eu amo o Thanos. Eu amo sua visão apocalíptica, seu romance com a Morte. Eu amo seu poder. Mas, eu não entendia de verdade. Ele tinha muito poder e ele era tão legal nos quadrinhos e fiquei tipo, ‘Thanos é o maior vilão da Marvel!’ e então era tipo, eu não sabia o que iria fazer com o Thanos. Então gostei muito do que [os Irmãos Russo] fizeram e acho que Josh Brolin foi excelente. Eles fizeram um trabalho incrível de manter essa atuação em tela”

Ele também falou sobre como não havia deixado instruções das motivações ou história que Joe e Anthony Russo deveriam utilizar:

“Eu não fiz tipo, aqui estão as direções [do que vocês tem que fazer]. Eu fiquei tipo, vou fazer [Vingadores: Era de] Ultron, cochilar por quatro anos e ai vou na estreia. O que eu fiz. Foi muito legal!”.

Por fim, ele também falou das motivações do vilão. Nos quadrinhos, tudo o que Thanos faz é para impressionar sua amada, a Morte. Já no filme, como os fãs viram, ele tem motivações bem diferentes.

“Eu acho que eles fizeram o que precisavam fazer. [Thanos se apaixonar pela morte] não é um conceito que necessariamente vai ser traduzido bem. Algumas vezes é uma saída fácil para um vilão, dizer ‘Eu amo destruição! Não, na verdade estou apaixonado por isso’. E ainda assim, você é apenas um niilista. Então eles deram para ele uma perspectiva e fizeram com que ele se sentisse correto, o que é uma ideia melhor, então gostei bastante do que fizeram”.

 

E você, o que achou da transição dos filmes dos Vingadores de Whedon para os Russo? Não deixe de comentar.

Confira também algumas artes conceituais incríveis de Vingadores: Guerra Infinita:

Imagem de perfil
sobre o autor Leo Gravena

Editor | @LeoGravena
Escrevo sobre cultura geek na internet desde 2012
"Don't look back -- the past is exactly where it belongs."