Capa da Publicação

Testamos na BGS 2018 – Pokémon Let’s Go é bom, mas pode durar pouco na sua mão!

Por Felipe Vinha

Jogamos Pokémon Let’s Go a portas fechadas na BGS 2018 e apresentamos nossa opinião preliminar sobre o jogo. Esta não é uma análise completa, justamente por termos testado apenas uma versão bem curta, de demonstração, do game.

O título, que chega para Switch em 16 de novembro, trará como protagonistas Pikachu e Eevee, dependendo da escolha do jogador, e será um remake de Pokémon Yellow – mas com gráficos 3D e elementos de Pokémon GO. Agora, como será a longevidade do título?

Perguntamos isso por um breve detalhe que notamos durante nosso tempo de teste: ele é legal, divertido, mas corre o perigo de se limitar aos 151 Pokémon iniciais, com algumas limitações envolvendo também os controles vindos de Pokémon GO.

Como sabemos, Let’s Go terá elementos similares aos de Pokémon GO, principalmente na captura. Mas não é possível, por exemplo, lançar bolas curvas. Também não há categorização da qualidade de seu arremesso: excelente, bom, ótimo, e por aí vai. Ele parece ser uma simplificação da experiência, realmente voltado a um público de entrada, mas que deve agradar saudosistas.

Porém, algo que nos chamou bastante a atenção foi o controle em formato de Pokébola, o Pokéball Plus. Ele funciona como um controle completo. Com a Pokébola na mão, você pode até largar o Joy-Con na mesa, pois ela possui um direcional analógico para movimentar o personagem e menus, além de dois botões clicáveis, bem disfarçados. A primeira impressão deste acessório foi incrível e muito positiva, só é uma pena que ele seja vendido separadamente e seja opcional.

Mesmo assim, o pacote completo de Pokémon Let’s Go impressionou por ter tudo que um fã da série precisa: os Pokémon mais populares, bons controles, batalhas, gráficos incríveis e diversão na medida certa. Será um bom título de entrada no Switch e esperamos que ele surpreenda, quando a versão completa for lançada.

Veja ainda imagens de Pokémon Let’s Go, a seguir:

Imagem de perfil
sobre o autor Felipe Vinha

Já tentei salvar o mundo de uma invasão alienígena, mas hoje me contento em ser jornalista. Gosto de quadrinhos e suas adaptações na TV ou cinema, animes, tokusatsu, games (de luta principalmente) e tecnologia. Vamos trocar uma ideia no Twitter @felipevinha