Capa da Publicação

Supergirl: 3×10 – Kara Danvers vive!

Por Cristiano Rantin

O hiatus de Supergirl finalmente acabou meus amigos, e o que isso significa? Significa que finalmente iremos ver o real estado da nossa heroína depois de ter sido feita de tapete pela perigosa Régia.

Para ajudar na cura de Kara, que estava em coma, a moça foi colocada nas instalações de Mon-El e dos demais viajantes do futuro, enquanto o incrivelmente zoado Brainiac 5 vasculhava sua mente em busca de danos cerebrais. Sim, desde que as primeiras imagens do herói foram liberadas eu já estava vendo o quão feia seria sua adaptação, que não só é bastante diferente dos quadrinhos como também tem uma peruca bem zoada pra completar o visual.

Mesmo que o personagem seja engraçadinho, especialmente pela sua estranheza e comportamento meio robótico em algumas situações, é difícil prestar muita atenção nele quando seus olhos querem focar em qualquer coisa exceto o personagem. Contudo, depois das declarações do ator que interpreta o personagem – e é claro da péssima recepção do seu visual – eu duvido muito que a série não encontre uma maneira de melhorar isso. Seja dando uma desculpa pra ele ficar “camuflado” ou qualquer coisa do tipo. Sim, talvez eu esteja me iludindo, mas tenho fé que a série não vai continuar insistindo nesse smurf bizarro sem tentar melhorá-lo.

Gongadas a parte, o herói constata que não existe nenhum dano permanente no cérebro de Kara, ainda que ela não consiga escapar desse “refúgio mental” que ela mesmo criou. Ao longo do episódio vamos vendo as diversas tentativas da heroína para escapar dali, usando força bruta, suas rajadas de calor e tudo mais que estivesse no seu alcance, mas acontece que tudo isso fazia parte da sua jornada.

Conforme descobrimos na reta final do episódio, tudo aquilo era uma jornada pessoal da Supergirl, já que desde o começo da temporada ela tem tentado ao máximo sufocar seu lado humano (que significa ter medo, dor, arrependimentos…) e focar apenas na parte alienígena  (forte, heróico, poderoso).

No último episódio antes do hiatus vimos até mesmo a Alex pedir que a moça deixasse de ser humana, fosse completamente alienígena para poder focar na sua luta contra Régia. É claro que no contexto o que ela queria dizer era “foque na luta, não no seu ex-namorado babaca”, mas fica clara a mensagem que vem sendo passada desde o início da temporada: Kara Danvers está sendo sufocada, negligenciada e ignorada.

Mas ninguém quer ver isso acontecendo, nem mesmo a própria Supergirl, que em seu refúgio mental foi confrontada com isso. O seu lugar seguro, o que a deixa feliz, o que faz dela quem ela é, é sua parte humana, não a alienígena. Para que ela consiga seguir em frente – e consequentemente derrotar Régia – ela precisa ser humana. Ela precisa deixar Kara Danvers viver. Ao descobrir isso (e usar seus óculos) a chave da porta aparece – o jeito mais mundano de fazer com que ela se abrisse – e Kara finalmente consegue sair da sua própria mente.

E foi bem na hora, também. Afinal, enquanto ela ficava em coma, Régia decidiu expandir seu reino de terror e justiça, punindo agora não só os criminosos mas aqueles que mostravam misericórdia a eles.

Depois de uma tentativa frustrada dos humanos (e Caçador de Marte) de combater a alienígena, o que resultou na perna de Alex sendo quebrada, foi a vez da Legião dos Super-Heróis finalmente decidindo fazer alguma coisa além de ser enigmáticos e, bem, ficar passeando pela Terra.

É claro que eles tinham um bom motivo para evitar se envolver nisso, segundo Mon-El, o DNA deles carrega uma sequência que PRECISA chegar ao futuro, já que apenas assim eles serão capazes de derrotar um inimigo capaz de literalmente devorar mundos. Ou seja, segundo o herói, caso eles morram será impossível salvar o que restou da Terra no futuro.

Também achei uma desculpa meio fraca, mas provavelmente veremos isso ser melhor trabalhado nos próximos episódios, só fico incomodado com o fato de que Mon-El continua escondendo informações importantes. Ele não falou que tinha mais gente na nave, não falou sobre seu relacionamento, não falou sobre a devastação na terra, não falou sobre seu DNA… O que mais ele está escondendo? E mais do que isso, porque ele está com tantos segredos?

Por sorte, Satúrnia (Ou Moça de Saturno, como você preferir chamar), conseguiu convencê-lo de que a Terra precisava deles agora, ou Régia mataria muitas pessoas antes de “ir embora”, como eles haviam dito que aconteceria em algum momento. No instante em que a vilã invade um dos presídios para iniciar seu massacre, a Legião chega para impedí-la. Todos uniformizados com couro preto…

A luta é interessante por apresentar poderes diferentes do clássico “força bruta, voo e visão de calor” que vemos com bastante frequência na série. Satúrnia utilizou sua telecinese para levantar pesos e atirá-los contra a vilã, que os destruiu usando sua visão de calor. Obviamente eu adorei muito essa cena, especialmente porque me lembrava do primeiro filme dos X-Men o tempo todo (o que nessa cena faria de Satúrnia a Jean Grey e a Régia o Ciclope):

Mas é claro que os disparos da nave, a força do Mon-El, a telecinese de Satúrnia e bem, o Caçador de Marte não seriam capazes de derrotar a vilã da temporada. Ainda que tenha recebido alguns danos, Régia mostrou ser mais forte que seus inimigos e depois de nocautear boa parte do grupo, avançava para matar minha adorável, inocente e fofa Satúrnia.

Eis que surge Supergirl, saída do coma – e ciente do plano de injetar kryptonita na vilã – pronta para se sacrificar na tentativa de salvar todo mundo e acabar com Régia. É claro que isso só deu certo em partes, e ela só consegue proteger seus amigos, afinal seria fácil demais derrotar a maior vilã que já enfrentou Kara (na série) com algo simples.

No fim, tudo que a kryptonita fez foi deixar Régia extremamente irritada e com dor, tudo isso para descobrir que ela não é a única “arma” na Terra. Ou seja, existem mais pessoas como ela perdida por ali, agora eu te pergunto: Se uma Régia já é o bastante para surrar todos os personagens com poderes da série, como Supergirl pode ter a mínima chance contra um grupinho de pessoas como ela?

Para descobrir isso teremos que continuar assistindo, pois se depender do fanático religioso covarde – que trocou de time no instante em que Kara perdeu sua luta contra a vilã – ele vai fazer tudo que for preciso para ajudar Régia no seu reinado de terror.

Mas o que vocês acharam do episódio? Comentem!

Confira abaixo a nossa galeria sobre a série:

Supergirl vai ao ar todas as segundas, na CW. A Review dos episódios sai toda quarta-feira aqui na LH.

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação pela UEL • Twitter e Instagram: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"