Capa da Publicação

Muito mais do que tiros: A narrativa de Fallout e como jogos contam ótimas histórias!

Por Morganna Gumes

Os jogos tem mudado muito nesses últimos anos, e com o avanço das tecnologias responsáveis pela programação, também temos o avanço da qualidade técnica narrativa. Vamos observar isso analisando a série de jogos Fallout, que desde de seu início apresenta um universo muito rico e complexo, que tem se estabelecido a cada novo jogo da desenvolvedora Bethesda.

Narrativa nada mais é do que o ato de contar a história do jogo, se pararmos para pensar até jogos mais antigos e simples tem sua história, como Mario ou Sonic. Quanto mais os jogos evoluem e fica mais fácil a comunicação do criador com o jogador, mais importante se torna a narrativa. É ela que irá te fazer ficar sentado por horas, fazendo coisas que muitas vezes não são relevantes ao seu objetivo final, que é terminar todo o jogo.

Em Fallout temos não só a história principal, que é o fio condutor do início até o final do jogo, como também temos outras histórias tão ricas quanto a principal que vão tecendo uma teia de aranha dentro da narrativa. Com isso temos uma expansão considerável na verdadeira história, e o que era algo talvez mais simples, se torna uma narrativa complexa, vemos isso muito bem com as missões secundárias de Fallout, que muito nos ensinam sobre aquele universo.

Podemos observar por exemplo que a apresentação do primeiro jogo da franquia e do Fallout 4 são muito semelhantes. Contudo a utilização de linguagem cinematográfica consegue dar uma maior dramaticidade ao texto do que imagens estáticas durante uma narração. Os dois dizem que a “A guerra nunca muda” contudo os planos, ângulos e sequências de Fallout 4 conseguem entregar maior dramaticidade ao texto. Como é possível ver no vídeo a baixo.

Faz parte também da narrativa, a personalidade do personagem, com o decorrer dos anos os personagens passaram a ter mais personalidade, reagindo às situações que o cercam. Passando a ter opinião sobre assuntos que fazem parte daquela realidade, isso tudo obviamente sendo influenciado pelo jogador, o que ajuda na imersão do papel de protagonista.

Contudo não só a história contada é importante, como a forma que ela é contada, quadros cinematográficos, trilha sonora dramática e uma fotografia acertada, fazem os jogos terem um diferencial. Principalmente os jogos atuais que conseguem entregar gráficos mais realistas e aproximam com isso os jogadores, aumentando a imersão obtida na trama.

Artistas como Akira Yamaoka, que trabalhou com essa forma variada de apresentar a narrativa foi aclamado pela crítica ao apresentar uma trilha sonora que muitas vezes era composta por silêncio nos jogos de Silent Hill, o que causava extremo desconforto durante a jogatina. Fallout tem rádios dentro do jogo que tocam desde música clássica até aquele jazz e blues mais dançante, criando uma atmosfera dos anos cinquenta para o jogo, e datando o mesmo sem ter que nada falar.

Outro aspecto importante é a fotografia do jogo, a utilização dos jogos de luz e sombra, a paleta colorida, porém quase zerada de saturação entrega em Fallout, um mundo triste, solitário, vazio. Mesmo que com frequência o jogador encontre NPCs e visite cidades, a falta de cor e o excesso de tons terrosos e o abuso da escala de cinza criam uma atmosfera de descolamento e falta de ligação empática com os personagens apresentados.

Isso não quer dizer que os jogadores não criem uma relação com o NPC, mas que suas ligações cognitivas estão sendo impactadas por um caminho diferente, a ligação é feita, mas o caminho percorrido é outro. É só lembrar que muitas pessoas descrevem o inverno, uma estação com muitos momentos nublados, como uma estação triste, e o verão com seu sol amarelado, cor muito saturada, como uma época de alegria.

Com isso cria-se o ambiente propício e se condiciona o jogador a receber a história, pois ela está sendo contada em cada detalhe do jogo, desde o ângulo escolhido para apresentar o personagem, as cores do cenário, até a música de fundo, e as falas que ocorrem naquele momento, narrativa é muito mais do que roteiro, ou cenas entre momentos jogáveis.

Um mercado tão aberto à experimentação como os dos jogos, tem sido um ambiente perfeito para que esse tipo de técnica seja explorado ao máximo, sim os jogos tem suas repetições e questões que já foram usadas até a exaustão. Entretanto, ainda existem empresas que tentam criar novidades e os jogadores continuam muito críticos e sedentos por novidades.

Confira nossa lista de jogos com histórias complexas e interessantes:

Imagem de perfil
sobre o autor Morganna Gumes

Apaixonada por cinema, quadrinhos e jogos, apaixonada por linguística e muito fã de Silent Hill. "the fear of blood tends to create fear for the flesh" - Silent Hill