Capa da Publicação

Marvel faz grande mudança no vilão Apocalipse nos quadrinhos!

Por Felipe Vinha

Atenção: Alerta de Spoilers!

A primeira edição de X-Men Black, uma nova série limitada e focada nos vilões mutantes, chegou às lojas norte-americanas nesta semana e trouxe uma grande revelação: Apocalipse, um dos principais inimigos da linha X, não é mais um mutante. Mas como isso aconteceu? O desenvolvimento é longo.

A história, chamada “Degeneration”, ou Degeneração, é centrada em En Sabah Nur, que é a identidade real de Apocalipse, desde o Egito Antigo. Considerado o “primeiro mutante”, ele também teria poderes quase ilimitados, mas não era imortal. Em sua história, o vilão revela que um de seus grandes planos era criar um corpo perfeito, que o permitiria viver para sempre.

Para prolongar sua vida, Apocalipse passava por fases de hibernações, como se estivesse em coma, por milhares de anos. Contudo, ele retornou de maneira prematura, utilizando tecnologia Celestial, que pode torná-lo, enfim, imortal.

Mas algo não dá muito certo. Corpo e mente de Apocalipse são separadas como efeito colateral e ele se encontra em um local que não via há muito tempo: o lugar de seu nascimento. Seu corpo também repara que está respirando normalmente e pior: seu corpo está se desfazendo.

Apocalipse descobre que está como mortal, pode sangrar e pior de tudo: não é mais mutante. Seu corpo começa a rejeitar células mutacionadas, como organismos invasores. E assim o primeiro capítulo de X-Men Black é concluído, prometendo mais surpresas no próximo número e as implicações sobre o que será de Apocalipse após a mudança.

Fique com as imagens do momento em que Apocalipse descobre ser mortal, cortesia CBR:

Imagem de perfil
sobre o autor Felipe Vinha

Já tentei salvar o mundo de uma invasão alienígena, mas hoje me contento em ser jornalista. Gosto de quadrinhos e suas adaptações na TV ou cinema, animes, tokusatsu, games (de luta principalmente) e tecnologia. Vamos trocar uma ideia no Twitter @felipevinha