Capa da Publicação

The Magicians: 3×03-04 – “A coisa real é muito mais f*#$#@ e suja…”

Por Leo Gravena

The Magicians está com tudo em sua terceira temporada. Depois dos dois primeiros episódios, já sabíamos que boa parte desta temporada seria focada nos personagens em busca das chaves, contudo, não é apenas isso que a série está fazendo e, enquanto em busca das chaves que podem trazer a magia de volta, vamos vendo ainda mais das relações entre os “heróis” e seus desafios pessoais.

No terceiro episódio, intitulado “The Losses of Magic”, logo de início vemos o barco de Elliot sendo abordado por piratas. Obviamente isso rendeu cenas muito divertidas, como Fen louquíssima tirando duas facas gigantes do nada e dizendo que protegeria a família. Fen, inclusive, cresceu muito desde sua introdução e nesta terceira temporada está excelente em suas cenas, tendo um timing cômico muito bom.

Porém, não é Fen e suas facas que salvam Elliot, mas sim Margo. A amizade entre ela e Elliot é de longe o melhor e mais saudável relacionamento da série. O mais interessante é que, sendo Fillory, os piratas queriam mais do que apenas ouro e riquezas. A trama do Munjac, o barco mágico, na verdade ser “uma barco fêmea” e que o barco dos piratas queria se “acasalar” com ela a força foi uma trama completamente louca, mas que trouxe momentos excelentes, como costuma acontecer com The Magicians.

Margo conversando com a barco foi um dos momentos mais fofos e tristes do episódio, além disso, foi ótimo ver a Rainha Fada matando todos os piratas e mostrando que possui sim um “coração”. Contudo, cada vez mais os planos das fadas se torna mais misterioso e confuso, o que elas querem, de onde elas vieram, para onde vão, o que elas comem? Somente nos próximos episódios.

Contudo, no terceiro episódio a grande trama do episódio foi Alice fugindo do Lamprey. Sempre é bom ver a família “excêntrica” de Alice. A jovem, inclusive, estava muito boa no episódio, o que é bom, já que além de Alice estar apagada como personagem, Olivia Taylor Dudley sempre parece entregar menos do o resto do elenco.

Ela eletrocutando Carol, a vizinha e amiga de sua mãe, foi uma cena ótima, assim como ela passando papel de plástico filme por todo seu corpo para que o Lamprey não pudesse possuí-la. Certamente uma das melhores cenas foi Alice dizendo que matou toda a família do ser simplesmente porque queria ver as “luzes bonitas” foi o ponto alto do episódio, assim como a expressão dela ao ver as luzes novamente.

Infelizmente, a trama também trouxe a morte do pai de Alice. isso foi abordado rapidamente no quarto episódio, porém, é triste o fato de que, provavelmente, a série não dará mais atenção para isso, já que a morte do pai de Alice poderia fazer com que a personagem continuasse cada vez mais a ir por um lado mais “sombrio”, algo que vem acontecendo desde que ela voltou dos mortos.

Por fim, vimos Kady e Julia tentando salvar Penny. Com a bateria mágica que Kady roubou no segundo episódio, ela invocam um Demônio para tirar o “cancer mágico” de Penny, porém, isso não dá muito certo. O episódio foi ótimo por mostrar Kady e Julia trabalhando juntas, já que elas facilmente foram uma das melhores tramas na segunda temporada e funcionam muito bem juntas.

Obviamente, Penny deve retornar até o final da temporada, porém, até o momento, seu corpo está morto, enquanto sua “alma” está fora do corpo, em viagem astral…Contudo, o “Oh, shit” do final do episódio foi ótimo em um nível superior aos outros “oh. shit” do Penny.

Essa é a trama que levou para o quarto episódio, “Be the Penny”. Até o momento, este é o melhor episódio da série e facilmente um dos melhores da série. Após “morrer”, a consciência de Penny fica tentando descobrir o que aconteceu e como retornar, desta forma, ele passa a acompanhar todos os personagens da série, sem que eles saibam que ele está lá.

Quentin, Julia e o Diretor Fogg estão em busca da chave que estava com Irene, uma das diretoras do conselho que mantém Breakbills ativa. Contudo, foi inteligente das personagens não contar a ela que Julia ainda possui suas habilidades, já que ela não parece ser uma pessoa realmente confiável.

O episódio também mostrou mais do passado dos Chatwin, dessa vez de Rupert, que não teve muito destaque, a não ser dito que ele utilizou o Rhineman Ultra (o feitiço que Alice utiliza para deter Martin). Dessa vez descobrimos que ele tinha um romance com um dos antepassados de Irene e deu uma das chaves para ele.

A terceira chave, que estava na casa da misteriosa personagem, possui a habilidade de “revelar a verdade”. Aparentemente, assim como os mágicos, todas a chaves permitem que magia seja feita, porém, cada uma possui uma habilidade que se distingue e é mais “fácil de ser utilizada”. Enquanto a chave de Elliot possui a magia de ilusão, acredito que a encontrada por Julia é a do conhecimento.

Vemos também Elliot e sua família nas Terras de Ninguém fugindo de canibais e Kady tentando descobrir o que fazer com o corpo de Penny. Uma das melhores cenas, contudo, é quando Penny consegue entrar no “corpo” da Margolem, que retorna para um triste fim.

Uma cena que deve ser comentada é Margo dizendo o que pretende fazer com as fadas assim que voltar para Fillory. Quem leu os livros, ou sabe o que acontece lá, está mais do que ansioso para ver a Destruidora botando suas mãos em um belo machado de vidro. Falando em Margo, a cena em que ela descobre que Penny está morto e diz: “Sempre achei que a gente ia transar” já se tornou clássica.

O melhor do episódio é Penny ficando irritado com o fato de que ninguém chorou porque ele morreu. Contudo, vemos também que ninguém conhecia ou realmente gostava dele. Enquanto Elliot e Margo tem uma grande amizade, Quentin ama Alice e é um grande amigo de Julia, que realmente se importa com Kady. Apenas Kady realmente tinha sentimentos fortes por ele, simplesmente porque Penny afasta a todos o tempo todo. Ninguém o conhece, não de verdade, ele sempre está estressado, puto ou não quer nada com ninguém e, talvez, esse tempo ajude ele a perceber que enquanto ele continuar se afastando, não existe a possibilidade das pessoas realmente se importarem com ele.

PS: Parabéns para a série por trazer Margo dizendo: “Antes disso, achava que piratas eram bonitinhos, de um jeito meio Johnny Depp. Mas na verdade, a coisa real é muito mais f*dida e suja… De um jeito meio Johnny Depp”.

Confira também o teaser e imagens do próximo episódio:

Imagem de perfil
sobre o autor Leo Gravena

Editor-Chefe | @LeoGravena
"...It was never going to be okay..."