Capa da Publicação

The Flash 4×16 – Uma ideia tão ruim quanto a gente previa!

Por Mike Sant'Anna

Antes mesmo de começarmos esta análise, obviamente ela irá inflamar os defensores mais fervorosos da série, que provavelmente acusarão que ela foi feita por um hater ou algo semelhante. Então se essa é a primeira review da série que você lê aqui no site, sugiro que leia as anteriores, para ver o quanto este site vem considerando esta a melhor temporada de The Flash até agora.

Dito isso, desde o princípio, em meio à tantos elogios, tantas risadas, tantas alegrias proporcionadas pela série nesta quarta temporada, desde o início estamos enfrentando uma pequena pedra no sapato da excelência que vem sendo estes episódios, e esta pedra tem nome e sobrenome: Iris West.

Não vamos gastar seu tempo, caro leitor, listando aqui motivos pelos quais Iris tem sido um tanto quanto problemática nesta temporada, mas apenas vamos ressaltar algo que você pode constatar em qualquer fórum sobre a série, na área de comentários de qualquer review sobre a série aqui no site, ou em qualquer outro lugar onde estejam reunidos fãs de The Flash: A fanbase está em sua maioria extremamente incomodada com Iris.

E o que a série faz quando tem um personagem que está tirando reações negativas do público, dá um episódio completamente sem sentido e exclusivamente focado nesta personagem. E assim temos o episódio onde graças a um meta-humano do ônibus, Iris ganhou os poderes do Flash. 

O problema é que os problemas desse episódio não se resumiram apenas ao fato de Iris ser uma velocista, e sim que eles resolveram puxar todos os clichês negativos que a série construiu, e juntar em um único episódio. Então estão presentes neste episódio, um vilão genérico que foi apresentado e derrotado em um único episódio, um vilão muito mal atuado que em alguns momentos chegou a dar um pouco de vergonha alheia, os efeitos especiais mal feitos, as decisões burras de muitos personagens genialmente inteligentes, e a cereja do bolo, uma chuva de discursos motivacionais. Eu parei de contar lá pro 4º discurso motivacional.

Não é possível que após 4 anos sendo o Flash, ou qualquer membro do Team Flash, não conseguiria pensar em algo que Iris pudesse fazer para derrotar um vilão tão simplório, que sequer recebeu um nome. O mesmo time que está tentando vencer o Pensador, não conseguiu pensar em nenhuma solução pra impedir um vilão que estava fazendo um tornado de fogo, isso se eu resolver relevar que o vilão ficou parado enquanto uma tsunami se formava em sua direção, lentamente. Isso tudo apenas para validar a importância da nova invenção de Harry.

Me perdoem os fãs mais intensos da série, não me entendam mal, eu amo The Flash, e eu venero o que esta temporada tem feito, mas este episódio foi de uma preguiça sem igual. Uma preguiça na direção, no roteiro, nas atuações, em tudo. A única coisa que se salvou de todo este episódio, foi o final onde Iris encontra mais uma vez sua vocação para ser uma jornalista, coisa que ela jamais deveria ter deixado de ser.

Iris como o Flash não agregou em absolutamente nada na série. Não foi uma personagem divertida, ela não trouxe nenhuma revolução para os paradigmas já estabelecidos da série, as lições que ela aprendeu, ela poderia ter aprendido de outras maneiras melhores, ou seja, nada mais do que uma enorme forçada de barra.

Eu sinceramente quero apagar este episódio da minha mente e focar em tudo que tem sido feito até aqui.

Confira imagens da série abaixo:

The Flash vai ao ar às terças-feiras, no CW.

Imagem de perfil
sobre o autor Mike Sant'Anna

Eu sou o melhor no que eu faço, mas o que eu faço... É bem retardado.