Capa da Publicação

The Flash: 4×10 – O julgamento de Barry Allen!

Por Mike Sant'Anna

Se tem um episódio onde finalmente vimos a mudança de Barry Allen após sua estadia na Força de Aceleração, foi este décimo episódio da quarta temporada de The Flash. Voltando do hiato de fim de ano, Flash vem para sua segunda metade nesta que vem se mostrando provavelmente a melhor temporada da série.

Mas ao contrário dos episódios até aqui, este episódio abriu mão da diversão e das piadas, o que foi uma decisão muito sábia, visto que era um episódio sério, o julgamento de Barry Allen. Isso mostra que os roteiristas desta temporada estão sabendo muito bem como dosar a história e não simplesmente a transformaram em uma comédia. Existe hora pra brincar e hora para falar sério.

O episódio já começa interessante à partir do momento que ele de certa forma adapta um clássico quadrinho do Flash, que é justamente The Trial of the Flash (O Julgamento do Flash), que é um quadrinho que também dá o nome para o episódio. Neste quadrinho o Flash está sendo julgado pela morte do Flash Reverso, o que diferencia a história do episódio.

Mas vamos à série em si. Como eu disse anteriormente, foi o episódio onde mais percebemos o amadurecimento de Barry desde que ele retornou. O personagem foi de fato a rocha emocional para toda sua equipe, mesmo sabendo que poderia de fato enfrentar uma prisão perpétua, e sem a possibilidade de escapar. Mesmo assim Barry manteve sua calma, mostrando a maturidade que um verdadeiro herói precisa ter.

Interessante que tudo isso remeteu ao histórico de Henry Allen que também foi preso injustamente, e a série abraçou isso de todas as maneiras possíveis, e deixou o clima dramático do episódio muito mais denso. Até mesmo em uma cena envolvendo Ralph e Joe, que também mostrou um ótimo desenvolvimento de Dibny.

Mas nem tudo foram tantas rosas assim no episódio. Não que coisas ruins tenham acontecido, mas alguns elementos poderiam de fato terem sido melhores. Por exemplo, todo o arco envolvendo o meta-humano da semana, poderia ser completamente descartado. Eu sei que ele foi introduzido para que no fim o Flash pudesse salvar o dia, mas haviam maneira de fazer isso sem introduzir um personagem descartável em um episódio tão importante, nem tirar tempo de tela dos arcos mais relevantes.

Outra coisa que eu ainda não tenho uma opinião muito bem formada sobre isso, mas que por enquanto ainda me estranha, é o novo Pensador. Nada contra toda a ideia da transferência de corpos, mas o brilhantismo que o ator Neil Sandilands trouxe para o personagem, foi fora do comum. Isso unido ao visual quadrinístico que o personagem tinha, me cativou de uma maneira que este novo vilão ainda não conseguiu. Mas ainda temos tempo para que ele mude minha ideia.

No fim, eu só queria ressaltar e aplaudir a sequência onde Barry era condenado ao mesmo tempo em que o Flash era condecorado. Foi de uma delicadeza e uma sutileza ímpar da produção da série criar esta sequência, mostrando a dicotomia da vida de um herói mascarado.

E o que você achou do episódio?

Veja as imagens do próximo episódio de The Flash em nossa galeria:

The Flash vai ao ar às terças-feiras, no CW.

Imagem de perfil
sobre o autor Mike Sant'Anna

Eu sou o melhor no que eu faço, mas o que eu faço... É bem retardado.