Capa da Publicação

Direto da BGS 2018: The Division 2 traz realismo incrível e promete melhorar muito a experiência do primeiro!

Por Felipe Vinha

Quando joguei o primeiro The Division, achei incrível! Por mais que o jogo tenha sofrido o fatídico “downgrade” gráfico desde sua revelação, ele ainda era uma experiência digna de nota. Um mundo aberto de grande proporção, sem muitas limitações e com bastante coisa para fazer em termos de ação. Tinha tudo ali.

Mas daí eu cansei. Joguei até o final da campanha e não me senti mais compelido a voltar. Não senti tanto apelo para continuar.

Os anos se passaram e a Ubisoft revelou The Division 2, sequência direta do primeiro, que leva a ação de New York para Washington, capital dos EUA. Será que o jogo vai ser bom o suficiente para me fazer voltar, ou melhor, para trazer novos jogadores à série?

Para conferir de perto eu testei o game durante a BGS 2018, na rápida demo que estava por lá, e, de cara, já fiquei surpreendido pela qualidade gráfica. O título não está só mais bonito. Os visuais estão bem colocados em cada lugar. Os personagens bem desenhados. As coisas fazem rima com sua visão e graficamente. Sem falar na abrangência do território, que agora é muito maior.

Muito maior também é a responsabilidade de Cloé Hammoud, pesquisadora da Ubisoft, com quem também conversei durante a BGS 2018. Ela trabalha com pesquisa para The Division 2, justamente voltada para o desenho deste mundo e em alguns aspectos técnicos de criação. Hammoud me contou que Washington é enorme está recriada nos mínimos detalhes, tudo para prover uma grande imersão aos jogadores.

A ideia da equipe é que The Division 2 não seja uma mera sequência, mas como se fosse um novo começo para quem quer chegar agora e aproveitar. É neste sentido também que Cloé Hammoud me esclareceu que elementos do “end game”, ou seja, para depois que você terminar o jogo, serão melhorados. Haverá mais apelo para continuar voltando e, esperamos, que atualizações constantes também estejam presentes.

Depois do breve teste, só achei uma pena que The Division 2 chegue somente em 15 de março do próximo ano, pois queria, desde já, colocar em prática as promessas de grandiosidade que Hammoud me fez. Se o game seguir metade do que foi prometido, já será, por si só, uma força incrível para o catálogo da Ubisoft em 2019.

Fique com imagens de The Division 2:

Imagem de perfil
sobre o autor Felipe Vinha

Já tentei salvar o mundo de uma invasão alienígena, mas hoje me contento em ser jornalista. Gosto de quadrinhos e suas adaptações na TV ou cinema, animes, tokusatsu, games (de luta principalmente) e tecnologia. Vamos trocar uma ideia no Twitter @felipevinha