Capa da Publicação

Direto da BGS 2018: LEGO DC Super-Villains é adaptação “infanto-juvenil” de “Vilania Eterna”!

Por Felipe Vinha

Entre os jogos disponíveis na Brasil Game Show 2018 tive a oportunidade de aproveitar LEGO DC Super-Villains, que chega às lojas muito em breve e deve trazer mais conteúdo para os fãs da DC Comics e também de jogos da marca de brinquedos de montar. Mas o que ele traz de realmente novo?

Pude testar uma demo bem limitada, literalmente, com um cronometro de 20 minutos contando no canto da tela. Ao meu lado, um representante da Warner acompanhava a jogatina e me dava algumas instruções enquanto, ao mesmo tempo, era entrevistado conforme eu tirava dúvidas.

Como o título denuncia, o jogo é baseado em vilões. Os heróis somem da Terra por um motivo desconhecido e cabe aos vilões salvarem a humanidade e mostrarem seu valor. Como isso ocorreu? Ainda é um mistério.

Como leitor de DC, minha primeira dúvida foi perguntar: “Esse jogo tem alguma ligação com a saga Vilania Eterna?”. Para quem não se lembra, esta foi uma saga onde aconteceu algo parecido: o Sindicato do Crime invade o nosso mundo, vindos de uma Terra paralela, e liquida os principais heróis, cabendo aos vilões locais a salvação do universo.

A resposta foi quase que 100% positiva. “Na verdade, ele usa partes de Vilania Eterna como base, nós temos o Sindicato do Crime aqui, que é a nossa Liga da Justiça do Mal”, disse o representante. Assim, o game é quase que uma “adaptação infanto-juvenil” da famosa saga.

Além disso, outro ponto bem interessante que LEGO DC Super-Villains tem é a criação de personagem. Você começa com a oportunidade de criar um vilão do zero, mesclando “pecinhas” que existem de outros personagens e elaborando seus poderes nos mínimos detalhes. É possível até mesmo escolher, por exemplo, se um ataque de raios vai sair das mãos, olhos ou peitoral do vilão. É uma inovação interessante, apesar de não parecer tão apelativa a todo tipo de jogador.

No restante da demo, vimos tudo que um jogo da marca LEGO costuma oferecer: construção de cenários, quebra-cabeças, modo cooperativo e bastante bom humor. Mesmo as partes violentas são apresentadas em um contexto mais infantil, ainda que divertido, por motivos óbvios.

Por mais que tenha sido uma experiência curtinha, foi bem legal de acompanhar e deixou uma certa ansiedade para o lançamento da versão completa, que chega ao PS4, Xbox One, Switch e PC já nesta semana, em 16 de outubro.

Veja uma galeria com imagens do game, a seguir:

Imagem de perfil
sobre o autor Felipe Vinha

Já tentei salvar o mundo de uma invasão alienígena, mas hoje me contento em ser jornalista. Gosto de quadrinhos e suas adaptações na TV ou cinema, animes, tokusatsu, games (de luta principalmente) e tecnologia. Vamos trocar uma ideia no Twitter @felipevinha