Capa da Publicação

Bem-vindos à Cultura do Spoiler!

·
Por Guilherme Souza

Nos últimos anos, você com certeza deve ter recebido um spoiler de algum jogo, filme ou série que estava ansioso para ver com seus próprios olhos, algo que, de certa forma, estragou sua experiência e tirou o impacto do momento.

Por definição, a palavra spoil é traduzida como estragar, um spoiler, é algo ou alguém que prejudica a experiência do espectador. Com isso, já conseguimos ter uma ideia de que spoilers são uma coisa que devemos nos manter longe.

Até um certo tempo atrás, era comum tomarmos spoilers por acidente, ao vermos um vídeo ou lermos uma notícia, mas como consumidores de conteúdos ligados à Cultura POP, estamos sujeitos a isso e, de certa forma, aceitamos correr o risco ao ler notícias relacionadas ao material em questão. Entretanto, ultimamente surgiram algumas pessoas que passaram a se aproveitar da situação e começaram a compartilhar spoilers propositalmente, tendo como objetivo principal estragar a experiência das outras pessoas.

Como redator de um site de cultura nerd, estou propenso a receber spoilers nos mais diversos níveis, afinal, meu trabalho é passar informação para outras pessoas, mas mesmo assim, conseguia evitar muitas surpresas grandes até o lançamento das produções, porém nos últimos anos isso se tornou praticamente impossível.

Além de ter alguns “amigos” desagradáveis, que sentem prazer em postar spoilers nas redes sociais, algumas páginas dedicadas à postar spoilers também começaram a surgir, facilitando ainda mais o compartilhamento dessas informações. Isso fez com que uma pergunta começasse a martelar constantemente em minha cabeça: Qual a graça disso?

Sim, saber o final de um filme ou de um jogo antes de assisti-lo não é o fim do mundo, entretanto, temos de considerar o fato de que consumir entretenimento no Brasil não é barato. Um jogo de videogame atual custa cerca de R$200 e uma ida ao cinema não custa menos de R$50, com isso, é óbvio que quem paga para consumir esses conteúdos quer se surpreender e não merece que uma foto de baixa qualidade, tirada de dentro da sala do cinema ou um texto mal escrito, estraguem essa surpresa.

Com o aumento dos usuários de redes sociais, a transferência de informações se tornou cada vez mais rápida, além disso, os próprios estúdios de cinema dificultam as surpresas, já que, muitas vezes, os próprios trailers acabam entregando coisas grandes dos filmes, como aconteceu com o Apocalipse em Batman vs Superman: A Origem da Justiça.

Para se ter uma ideia do quão longe a “cultura do spoiler” está indo, alguns YouTubers, na ânsia de chamar a atenção do público, estão colocando spoilers nas imagens de capa de seus vídeos, ou seja, não podemos sequer abrir a página inicial do YouTube, pois estaremos sujeitos a tomar um belíssimo spoiler.

Muitas pessoas não têm condições de assistir um filme ou pegar um jogo logo no lançamento, seja por motivos financeiros ou simplesmente pelo material não chegar ao local onde moram, com isso, essas pessoas recorrem ao spoilers como uma forma de se manterem informadas, contudo, o fato de você não saber sobre algo que acabou de ser lançado não é o fim do mundo. Algumas pessoas preferem esperar a euforia do lançamento passar para aproveitarem o material com calma, porém hoje em dia, você não pode mais se dar esse luxo, já que, ou você descobre tudo logo no primeiro dia ou senão outra pessoa irá te contar.

Isso fez com que as pessoas entrassem em um vórtice de consumo de entretenimento, a fim de descobrirem o mais rápido possível o que acontece, antes que outra pessoa lhe conte. É claro, a indústria agradece, já que os cinemas ficam cada vez mais lotados, uma temporada de uma série é maratonada em um fim de semana e os jogos vendem como nunca.

Acredite, se você compartilha spoilers achando que está prejudicando a indústria de alguma maneira, pense novamente, pois você está apenas fazendo publicidade gratuita. É muito bom ser o primeiro a saber de algo, mas isso não significa que você é melhor que o outro.

Apesar de todo esse lado prejudicial, também existe o outro lado da moeda, onde temos as pessoas que reclamam de spoilers mesmo depois de meses que o material foi lançado. Não existe um tempo limite para se consumir entretenimento. Até hoje, descubro filmes ou séries antigas que jamais havia assistido e o mesmo vale para quadrinhos, games e tantas outras coisas. Entretanto, tenho consciência de que posso acabar descobrindo alguma coisa sobre tais produções através de outras pessoas e tudo bem com isso.

Porém, nem todo mundo pensa assim. Existem pessoas que estão descobrindo os filmes de Star Wars agora e elas irão surtar se você contar que o Darth Vader morre (sim, é um spoiler de mais de 30 anos). Nesse caso, temos de levar em conta que o entretenimento não espera ninguém. Um filme lançado há dois meses já pode ser considerado “velho” e, nesse meio-tempo, muitos outros já foram lançados.

É complicado julgarmos quanto tempo devemos esperar para falarmos sobre tais assuntos publicamente, mas uma coisa é certa, falar sobre pontos-chave da trama ANTES que o material seja lançado publicamente com certeza é errado. Apesar dessa obsolescência acelerada, ninguém deve ter que “viver em uma bolha” só porque existem pessoas que sentem prazer em compartilhar spoilers, portanto, se você é uma dessas pessoas, apenas pare. Isso só te torna um “spoileiro e vacilão”.

Fique com imagens de Aquaman, próximo lançamento da DC que corre o risco de ser “spoilado” em breve:

Imagem de perfil
sobre o autor Guilherme Souza

Outra grande manchete: 'Água, molhada!'