Capa da Publicação

Agentes da S.H.I.E.L.D.: 5×06 – Uma Nova Esperança!

Por Gus Fiaux

Atenção: Alerta de Spoilers!

Mais uma semana, e nós finalmente tivemos o primeiro episódio de Agentes da S.H.I.E.L.D. de 2018. E, antes de qualquer coisa, podemos dizer que foi um excelente começo, prometendo viradas grandiosas para a série pelo restante da quinta temporada e, quem sabe, para o futuro. Após o excelente episódio anterior, “Rewind”, focado no que aconteceu com Fitz depois que toda sua equipe foi sequestrada, o novo episódio acerta em cheio em corresponder às expectativas dos fãs mais exigentes.

Normalmente, eu costumo deixar para falar da parte técnica no final. Mas esse é um caso a parte, que precisa ser discutido agora. Como alguns já sabem, o episódio foi co-escrito e dirigido por Clark Gregg, nosso querido agente Phil Coulson. E, para quem ainda não tinha dirigido nada na televisão, o astro se saiu muito bem.

Gregg se mostrou um diretor extremamente competente. Embora não tenhamos nenhuma sequência verdadeiramente marcante, todo o episódio se sustenta em uma consistência muito alta, de forma que não há um único momento onde a história acabe ficando arrastada ou entediante. Ele se esforça ao máximo para fazer valer a pena o trabalho da equipe, na frente e atrás das câmeras.

Há uma qualidade excepcional na direção dos atores e na performance dos personagens, ao mesmo tempo em que temos uma injeção muito bacana de ação e romance, que certamente vai deixar alegres os fãs do casal mais adorado da série.

A trama segue, de forma simples, os acontecimentos dos dois últimos episódios. Aqui, Leo Fitz chegou à nave-colônia dos Kree, disfarçado e com a ajuda do misterioso e peculiar Enoch. Ele precisa se disfarçar como o caçador de recompensas Boshtok, atraindo a atenção do maligno Kasius. E é justamente nesse desenrolar de trama que vemos as nuances de atuação de Iain de Caestecker.

Como era de se esperar, o ator provou sua jornada e hoje se mostra um artista completo. Temos cenas em que reconhecemos o velho Fitz, divertido e engraçado, e outras onde somos apresentados a um de seus lados sombrios, fruto da passagem devastadora pelo Framework, na temporada passada. Mas, é claro, o ponto alto do episódio é sua declaração de amor para Jemma Simmons.

Os fãs do casal – eu incluso – já estão acostumados a sofrer, uma vez que eles parecem nunca ter sossego. Ou ela está em um planeta diferente, ou ele foi absorvido por uma realidade artificial. Agora, os dois foram separados por mais de 80 anos de distância. Isso só torna tão potente e bonita a declaração e o pedido de casamento de Fitz, ao mesmo tempo que o fato de Simmons não poder ouvi-lo parte nossos corações em migalhas.

Aliás, Simmons, após uma sequência de episódios onde apenas respirava, finalmente voltou aos holofotes, e souberam aproveitar bem o talento de Elizabeth Henstridge, uma das melhores atrizes da série. A personagem tem momentos brilhantes, onde vemos ela lidando com situações complexas. Ao final, ela retribui a confissão de Fitz e o pede em casamento, deixando todos nós com o coração na mão.

(E é exatamente aqui que as coisas começam a me preocupar, porque se eles finalmente encontraram um jeito de serem felizes, é agora mesmo que um dos dois vai ser morto na série).

Ao final do episódio, a dupla consegue arquitetar um plano silencioso em conluio com Daisy Johnson, e finalmente conseguem fugir, mas não antes de uma luta formidável entre a Tremor e a guarda pessoal de Kasius, Sinara. A sequência é de tirar o fôlego, e, até então, é a melhor luta da temporada.

Por falar em luta, nós também descobrimos um pouco do destino de Melinda May. A mortífera guerreira foi feita de prisioneira pelos Kree, e enfrenta o jovem psiônico em uma sequência bem legal. Ainda não sabemos como ela será liberta, ou se Kasius irá realmente usá-la como uma forma de chegar e ameaçar os outros agentes.

Enquanto toda essa trama se desenvolve no núcleo, Coulson, Mack e Yo-Yo precisam lidar com outro problema: um novo Inumano, que precisa ser resgatado para não ser vendido para os mecenas espaciais. Nesse ponto, o jovem Coy Stewart faz um serviço competente ao interpretar Flint, que existe nos quadrinhos mais recentes dos Inumanos. Aqui, ele já demonstra seus poderes de manipulação de rochas e minerais, para finalmente dar cabo a um dos piores personagens da temporada, o asqueroso Grill.

Ao mesmo tempo que essa trama planta frutos interessantes para o futuro, ela também não traz muitas consequências marcantes para o episódio – com exceção da morte de Tess, algo que realmente me pegou de surpresa.

Agora, finalmente a rebelião está instaurada. Nas próximas semanas, veremos os agentes tentando derrubar o sistema dos Kree enquanto se preparam para fugir da estação espacial e retornar ao seu período temporal. Com sorte, isso trará mais explicações e um arco mais aprofundado, sobretudo para Tremor, que precisa aprender como foi “responsável” pela destruição do planeta.

Falando nos Kree, eu devo fazer uma confissão pessoal: por mais ameaçador que Kasius seja, eu não consigo deixar de achá-lo um vilão extremamente chato. Nesse episódio, temos um desenvolvimento maior de suas motivações e seus problemas familiares, mas ainda assim, ele não deixa de ser unidimensional – aliás, ele e seu irmão (e outros Kree) usam uma maquiagem preta tão carregada que não pude deixar de reconhecê-los como fãs daquela banda emo, o My Kreemical Romance.

Fun & Games” veio para manter a qualidade do excelente episódio anterior. Evidentemente, é uma construção lenta e gradual, mas a série finalmente parece ter engatado a marcha certa nesse quinto ano de exibição, após alguns episódios um tanto quanto… fracos. Agora, torcemos para que eles mantenham a linha e nos deem algo tão bom ou até melhor que a excelente quarta temporada.

Até lá, podemos torcer para que Kasius se torne um personagem mais suportável, que Tremor descubra todos os segredos desse futuro desolador, e – mais do que tudo – que nem Fitz e nem Simmons morram, não agora com um casamento para acontecer.

Abaixo, veja algumas imagens do episódio:

Agentes da S.H.I.E.L.D. vai ao ar às sextas-feiras, na ABC. Não perca a minha review semanal da série, todas as segundas-feiras aqui na Legião dos Heróis.

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux