The Walking Dead: 8×06 – Andando à passos de Walker…

Capa da Publicação

The Walking Dead: 8×06 – Andando à passos de Walker…

Por Mike Sant'Anna

The Walking Dead veio com uma ideia de fazer uma temporada muito mais concentrada em um curto período de tempo, onde pouquíssimos dias se passaram desde o primeiro episódio – na verdade desde a morte de Glenn – até agora, o que nota-se pela gravidez de Maggie. Mas, mais uma vez este episódio vem para mostrar que a produção da série não está conseguindo cumprir a promessa de uma temporada muito mais eletrizante.

Um sentimento que eu venho tendo nestes últimos episódios, é esta necessidade que a série está tendo de fazer uma “introdução lúdica” para cada episódio, muitas vezes tentando terminar o episódio com a mesma sequência que começou. Isso é um gatilho de narrativa cíclica muito interessante, tirado das mais rebuscadas técnicas de poesia. Seria muito bonito e rico para a série, se não tivesse ficado cafona. 

É simples, apenas reparem no tanto de cenas com um violino triste ao fundo, com personagens dizendo suas falas em um tom sussurrado e pesado. Tudo bem, a gente entende, não estamos em momentos de alegria nem nada do tipo, mas nem mesmo os diálogos dos personagens parecem mais coisas reais, seja em Carl encontrando Siddiq no meio da floresta e tendo diálogos completamente artificiais que ninguém teria em uma situação daquela, seja na presepada completamente sem sentido de Rick visitando Jadis e seu grupo, sozinho, com mais um diálogo completamente forçado e digno de vergonha alheia tanto de Rick quanto pelos seus “anfitriões”, ou então na necessidade de fazer um texto todo empostado, simulando um discurso motivacional no início do episódio nas cartas de cada uma das comunidades.

Esse sentimento se permeia por todo episódio, algo artificial, sem muito sentido para estar acontecendo como um caminhão milagrosamente aparecendo do nada para salvar o dia, sem muita emoção. Nem mesmo quando Rosita explodiu uma pessoas com um lança-foguetes, tivemos um pingo de emoção. Todos os personagens estavam apagados e apáticos, todas os grandes dilemas foram mais uma vez apenas uma ruminação do que já foi resolvido, e eu mesmo já não aguento mais dizer isso em toda review que faço, eu queria estar gostando da série, eu amo The Walking Dead mas vem sendo um martírio acompanhar a série que em sua grande maioria, me prende mais a atenção na tela do celular do que na TV.

Para não dizer que o episódio faltou de bons momentos. Maggie foi a cereja do bolo deste episódio, assumindo de uma vez por todas a posição de líder de Hilltop, chamando as decisões difíceis para seu ombro, e aceitando todas as possíveis consequências de fazer ou não fazer as coisas.

Nós já estamos no sexto episódio da temporada, mesmo que ela viesse em uma crescente, já era para estarmos em um ritmo muito diferente do que estamos agora.

Veja também a nossa galeria da série:

The Walking Dead é exibida aos domingos, na FOX.

Imagem de perfil
sobre o autor Mike Sant'Anna

Eu sou o melhor no que eu faço, mas o que eu faço... É bem retardado.