Capa da Publicação

Supernatural: 13×02 – Conheça Asmodeus, o quarto príncipe do inferno!

Por Bia Oninawa

Esse segundo episódio, assim como o primeiro, teve uma pegada mais lenta, uma narrativa com menos lutas e mais desenvolvimento dos personagens. No caso, personagem. O Jack. Esses dois primeiros episódios foram basicamente em volta dele, do que ele pode fazer ou não e o que os outros personagens esperam dele. 

Já está mais do que claro que Dean não concorda em manter o garoto vivo, e que ele só continua assim por que eles ainda não descobriram como matá-lo. E Sam está todo mãezona com o filho de Lúcifer. Mas conhecendo os dois como conhecemos, depois de 16 anos, já podemos imaginar que é só uma questão de tempo para que Dean acabe cedendo ao instinto paterno com o garoto. Afinal Jack tem todo aquele ar desprotegido, apesar de termos descoberto que ele tem o potencial para ser mais forte do que Lúcifer, e é natural dos dois caçadores querer proteger todo mundo que precise. 

Mas a grande novidade do episódio foi conhecer Asmodeus, o quarto príncipe do Inferno, no seu terno impecavelmente branco, e seu jeito meio cowboy malvadão, ele chegou mostrando que pretende liderar as coisas de um jeito bem rígido até o filho de Lúcifer estar pronto o bastante para assumir o inferno. Ele até conseguiu enganar o garoto para –quase– liberar alguns monstros das profundezas do inferno que até mesmo Lúcifer teme. E apesar de Jack ter conseguido impedir o desastre logo de cara, ficou meio implícito que uma pulguinha ficou atrás da orelha do menino. Talvez a desconfiança de que os Winchester sejam mesmo seus amigos? 

Num geral o vilão convenceu bem, sua história explica bastante porque ele é devoto a Lúcifer e suas motivações. Apesar de caricato, não foi um personagem forçado. E meio que já estávamos esperando que o quarto príncipe do inferno aparecesse, mesmo sem saber como ele se parecia. 

Enquanto isso, no universo paralelo em que Mary e Lúcifer estão presos… 

Os dois parecem que não tiveram muitas escolhas a não ser se unirem para sair desse mundo apocalíptico que estão presos. Mais por escolha do Lúcifer do que de Mary na verdade, afinal o anjo quer usá-la para conseguir seu filho de volta quando eles retornarem ao universo que pertencem. E a longo prazo a gente sabe que isso vai acontecer porque Winchesters nunca morrem, e Lúcifer aparentemente também não. Mas será que os dois vão desenvolver uma relação parecida com que Crowley tinha com Dean? Um broomance que mistura um pouco de amor e ódio? Nós já vimos que Mary é boa em se relacionar com caras babacas, então quem sabe? 

Talvez Lúcifer precise de ajuda, porque nesse mundo em que eles estão presos Miguel ainda está vivo, e apesar de não estar disposto a matar o irmão, parece ter algum plano. Que convenhamos, não deve ser algo bom em um mundo destruído como aquele, não é? 

Um elogio a parte para o tratamento de cor que o seriado deu para essa realidade alternativa. Não é preciso mostrar Lúcifer ou Mary para sabermos que estamos no outro universo. Os tons mais cinzas já remetem o telespectador automaticamente para esse novo mundo, e quando troca de volta para a história de Sam e Dean o contraste pula aos olhos ainda mais. Ficou bem bonito de ver. 

Agora, quanto a Jack ser bom ou mau, ainda está difícil de saber. Ele parece inocente e amigável agora, mas no final desse episódio ele mesmo disse que eventualmente matará alguém. Será que nem ele está acreditando que pode ser bom? Será mesmo que é algo da natureza dele? Ou é algo que possa ser aprendido? Seja como for, ainda não dá para saber ao certo, apenas podemos brincar com as várias teorias que começam a surgir na cabeça dos fãs. 

Para conferir mais de Supernatural enquanto o próximo episódio não chega é só conferir tudo que está acontecendo na série bem aqui:

Imagem de perfil
sobre o autor Bia Oninawa

"Naturalmente está acontecendo dentro da sua cabeça, mas por que é que isto deveria significar que não é verdadeiro?" - Alvo Dumbledore | Twitter/ Instagram: @casamentonerd