Preacher 2.04 – Será que o Inferno é realmente tão ruim?

Capa da Publicação

Preacher 2.04 – Será que o Inferno é realmente tão ruim?

Por Fernando Maidana

Mas antes precisamos falar sobre Hitler!

Em uma trama completamente original, Preacher nos mostrou o inferno de Eugene na última semana. Condenado a relembrar o pior momento de sua vida por toda a eternidade, o Cara-de-Cu acaba encontrando o Führer quando o Inferno apresenta problemas de manutenção.

É engraçado notar como o Inferno sofre com as mesmas situações que enfrentamos no dia-a-dia, como se a morte fosse apenas uma extensão da vida, mas com regras diferentes.

Mais engraçado ainda é perceber que a série conseguiu transformar uma das figuras mais sombrias da história da humanidade em um personagem com o qual nos importamos e até mesmo compadecemos. Sim… Preacher consegue fazer com que tenhamos pena de Adolf Hitler!

Afinal de contas, as regras são diferentes no Inferno Eugene já percebeu como terá de se comportar para se manter fora de confusão. Mas como será que o ditador lidará com a traição de seu novo amigo?

De volta ao núcleo principal, a busca por Deus ficou ainda mais interessante. JesseCassidy descobrem o nome do ator que interpretou o falso Todo Poderoso quando Annville ligou para o Céu. No entanto, a audição do ator revela que ele foi morto por alguém de Nova Orleans.

1ª Temporada/Divulgação AMC

Apesar de algum avanço na trama, o destaque do momento fica para a excelente cena de Cassidy falando sobre o universo por trás da produção de Game of Thrones. Se a série não tem medo de mexer com Hitler, é claro que não haveria problema em cutucar a gigante produção da HBO.

As cenas na casa de Dennis também ajudam a construir um pouco da personalidade de Cassidy. Ele vive dizendo como o francês é engraçado e como eles são amigos, mas em nenhum momento conseguimos sentir nada disso. Na verdade, nem o público nem Cassidy conseguem entender coisa alguma, já que o Vampiro também não entende a língua francesa, deixando a situação ainda mais cômica.

Jesse finalmente percebe que Tulipa está em perigo real e parte para o resgate de seu “grande amor”… mais alguém se sente incomodado com o quanto o relacionamento entre os dois parece forçado?

Pastor invade a mansão de Viktor e usa a voz de Gênesis em alguns momentos bem divertidos. Mas a Cereja no Bolo fica por conta da excelente cena de luta entre Jesse e o Torturador. Em um combate que remete aos filmes de Jackie Chan, os lutadores usam todo o cenário como arma, incluindo um corpo pendurado no meio da sala e uma mangueira de incêndio!

As coreografias de Preacher vem se provando um dos aspectos mais impecáveis da série e isso merece muitos elogios.

Agora, o passado de Tulipa deve ser melhor explicado e isso deve nos ajudar a entender as repentinas mudanças de humor da personagem. Mas Jesse não tem muito tempo para resolver isso, já que o uso exagerado do poder de Gênesis atraiu a atenção do Santo dos Assassinos.

Ele pode vir a passos lentos, mas está chegando…

Imagem de perfil
sobre o autor Fernando Maidana

Boa piada. Todos riem. Rufam os tambores. Cortinas se fecham.