Capa da Publicação

Midnight, Texas: 1.06 – Às vezes os piores monstros são humanos!

Por Cristiano Rantin

Essa semana Midnight, Texas decidiu quebrar a forma como estava conduzindo seus últimos episódios, optando por criar algumas reviravoltas interessantes e focar no aspecto mais humano do que sobrenatural. Depois de enfrentarem fantasmas, vampiros, demônios e até succubus, os heróis da série precisaram lidar com algo bem mais mundano: Psicopatas.

Amarrando a trama de Aubrey, a supremacista branca que era noiva de Bobo (e que apareceu morta logo no piloto da série) com alguns de assassinatos de garotas em Midnight, a série preferiu entregar as respostas do seu grande mistério faltando quatro episódios para finalizar a temporada.

Depois de apresentar um grupo de adolescentes arruaceiros, que só foram até Midnight para vandalizar as coisas dessa “gente estranha”, Aerin, uma das meninas desse grupo acabou sendo deixada para trás, se tornando mais uma vítima desse perigoso serial killer.

Enquanto os heróis tentam descobrir o paradeiro da garota, vemos que os efeitos do crescente mal presente na cidade já começou a afetar os seus moradores. Fiji voltou a ser assombrada pelo demônio que tentou banir, Manfred está sendo afetado por espíritos com mais frequência do que antes, Emílio, o reverendo, está tendo mais fome do que nunca quando se transforma em homem-tigre, enquanto Lemuel sente mais sede se sangue do que antigamente.

No meio disso tudo temos Creek, que finalmente decidiu oficializar sua relação com o médium, mesmo que isso irrite profundamente seu pai, que sempre pareceu ser o tipo de pessoa que tenta controlar a vida dos filhos com mãos de ferro. Sem que a moça obedeça seu pai, sobra para seu irmão Connor ter que aguentar os surtos de fúria do velho, que aparentemente está agredindo o rapaz.

Desde o início da série, sempre vimos Creek ser extremamente protetora com o seu irmãozinho, deixando bem claro que não iria embora da cidade apenas para poder proteger o garoto dos abusos do seu pai. Mas, como a gente bem descobriu, a maior reviravolta que a série já teve foi colocar Connor como o grande psicopata que estava matando as garotas.

Pouco depois de Shawn, o pai dos dois, ser considerado suspeito pelo grupo sobrenatural de Midnight, e quase morto por causa disso, finalmente descobrimos que quem esteve por trás da morte de Aubrey e da quase morte de Aerin era Connor, que desde pequeno sentia imenso prazer em matar animais.

Ainda que tenha sido uma reviravolta interessante, ela não aconteceu do nada. Desde o começo da série haviam pistas que apontavam para esse caminho, especialmente no episódio da Succubus, que como havia declarado só se alimentava dos homens que haviam machucado alguém. Quando ela tentou devorar Connor a gente não tinha ligado os pontos, mas isso só aconteceu porque, naquele momento, ele já havia matado pelo menos duas garotas na cidade.

Creek, no entanto, não estava presente na descoberta dos Midnighters, assim acabou embarcando com seu irmão em uma viagem para longe de Shawn, já que os dois estavam arrasados com a descoberta de que ele, supostamente, era o assassino.

A moça descobriu, quase tarde demais, a verdade e ficou extremamente chocada com a falta de remorso ou o mínimo arrependimento de seu irmãozinho. Como ela mesmo disso, existe uma grande diferença entre ele Olívia,Emílio e Lemuel, os moradores mais “sanguinários” da cidade, já que além deles tentarem se controlar o tempo todo, eles só matam os que representam uma ameaça para a cidade.

O mais interessante disso tudo é que, a partir do momento em que ela é salva por Joe Strong, que finalmente revela para seus amigos que é um anjo – deixando todo mundo boquiaberto -, ela entende que Connor não vai mudar e que não há nada que ela possa fazer.

Assim, sem se arrepender e bem distante de uma salvação, a moça deixa bem claro que ele precisa morrer. Foi uma atitude surpreendente da moça, especialmente depois de anos amando e cuidado do garoto, mas com toda certeza mostrou que ela é muito mais prática do que eu esperava, além de entender o peso do que Connor fez para com seus amigos e sua “família” sobrenatural na cidade.

Portanto, quando Lemuel quebra o pescoço do pequeno psicopata, não existe nenhuma gritaria ou drama. Ela entendia que isso era necessário e seguiu em frente, mesmo que isso quebrasse ela por dentro – algo que devemos ver sendo trabalhado no episódio que vem.

No meio de todas essas reviravoltas – e de Creek finalmente mostrando mais sal e personalidade do que já havíamos visto – tivemos alguns momentos interessantes entre os moradores da cidade, especialmente quando a amizade de Fiji e Olivia foi ainda mais explorada.

A gente já havia visto as duas juntas, chegando até mesmo a trocar roupas, agora vimos Olivia aliviar o drama de Fiji e Bobo, tendo agido até mesmo como uma conselheira para o rapaz. É muito interessante como as duas, mesmo sendo extremamente diferentes, conseguiram fazer uma amizade verdadeira e bonitinha. Definitivamente a relação entre as duas precisa ganhar mais tempo de tela.

Enquanto isso, as coisas parecem ficar mais tensas para Joe que, mais uma vez, precisou usar seus poderes o que significa que, em algum momento, quem quer que esteja caçando ele e seu marido estará presente na cidade. Será que teremos anjos vingativos querendo punir nosso anjão caído?

O mais interessante disso tudo é que, mesmo mandando Chuy para outra cidade, Joe declara para seu marido que Midnight não é mais segura para ele, já que quando seus inimigos chegassem eles matariam o Joe, mas exterminariam Chuy. Isso me faz pensar que realmente se trata de um demônio “do bem”, talvez sendo o romance dos dois a razão para Joe ter caído da graça divina.

Esse episódio foi o meu favorito até o momento, mostrando que nem sempre o monstro da semana precisa ser uma criatura sobrenatural. Explorando o aspecto humano, Midnight, Texas deixou claro que em meio a tantos vampiros, bruxas e demais seres, algumas pessoas podem ser ainda mais perigosas – e cruéis – do que nossas adoradas criaturas e que não tem como culpar a magia ou forças demoníacas por isso.

Agora, por mais que o mistério da temporada tenha sido revelado e concluído, dificilmente isso significa que a vida dos nossos heróis estará mais fácil. Faltando quatro episódios para o final da temporada, podemos esperar que a trama de Joe e todos os problemas causados pela força do mal na cidade se tornem ainda maiores.

No próximo episódio já veremos o início disso, quando uma caçadora de recompensas, que também é uma criatura angelical, surge em Midnight para caçar nosso Anjo e seu marido, que vai retornar para a cidade. Como nossos heróis irão lidar com isso? Só assistindo para saber.

Confira abaixo a nossa galeria sobre a série;

Midnight, Texas vai ao ar toda segunda-feira pela NBC, já a review do episódio sai toda quarta-feira aqui na LH!

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação Social pela UEL • Twitter: @ChrisRantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"