Capa da Publicação

Midnight, Texas: 1.05 – Você não pode fugir do seu passado!

Por Cristiano Rantin

Depois do episódio da semana passada em que os protagonistas se uniram para derrotar a Succubus, nesta semana a grande ameaça para nossos herói foi o passado obscuro deles que finalmente os alcançou.

Infelizmente todo o suspense criado ao redor de Hightower, o inimigo de Manfred que o perseguia por causa do dinheiro que ele sabia, não resultou em uma ameaça muito grande para o pessoal da série, mas fez com que tivéssemos respostas sobre o passado do médium.

Diferente do que eu havia sugerido semana passada, Hightower não matou Xylda, a cigana-médium e avó de Manfred, que acabou morrendo em decorrência de um câncer. Tudo que o vilão queria, no entanto, era ter os poderes da linhagem de Manfred na sua família, fazendo com que ele casasse com sua filha Violet. O rapaz e sua avó fugiram roubando o dinheiro do vilão, o que fez com que a noiva – arrasada com o abandono – acabasse se matando de desgosto.

Louco por vingança, Hightower jurou que iria fazer com que Manfred pagasse pelo que fez, chegando até mesmo a trocar um olho por poderes vindos da magia negra. Nem toda telecinese do mundo, no entanto, foi suficiente para machucar Manfred, que mais uma vez, conseguiu contornar sua situação com sua lábia e pensamento rápido (tendo uma ajuda da perigosa Olivia).

Assim, depois de conseguir capturar Hightower e conversar com ele, Manfred o convenceu que melhor do que morte e violência, ter a chance de conversar com Violet mais uma vez – e finalmente colocar um ponto final nessa situação.

Acontece que passar tanto tempo morta não deixou Violet mais calma ou tranquila. Quando seu espírito foi invocado a moça tinha algumas coisas para dizer para o seu pai, expondo toda sua frustração que ela remoeu durante todo esse tempo. A moça nunca perdoou o fato de que Hightower praticamente a vendeu para ter a chance de devolver os dons mágicos para a sua família.

Infelizmente, ao invés de continuar sendo uma grande ameaça para Manfred, o final do vilão veio por suas próprias mãos, quando Hightower se esfaqueou com pedaços de vidro.

Não estou dizendo que o episódio – e esse arco do Hightwoer – não foi positivo, pelo contrário, foi muito bom finalmente termos respostas sobre o passado de Manfred e o que realmente o fez chegar até Midnight, Texas, o problema é que toda a finalização desse arco foi fácil demais.

O vilão tinha o potencial para continuar aparecendo, assombrando Manfred e seus amigos ou, ao menos, representando algum tipo de problema real para o herói – talvez até envolvendo Creek para trabalhar melhor o drama entre o casal. Ao invés disso, tudo que aconteceu foi uma conclusão simples (assim como no caso da Succubus).

A melhor parte do episódio veio do arco envolvendo a Fiji e Bobo – e eu não digo isso apenas por gostar muito da bruxa. A revelação sobre o passado do rapaz foi melhor trabalhada do que a de Manfred justamente por não prometer algo grandioso demais. Ninguém esperava que tivéssemos mais informações sobre Bobo, assim não houve tempo de criarmos expectativas.

Além de retomar a trama de Aubrey, a falecida noiva do rapaz, morta pelos Filhos de Lúcifer, o episódio jogou um pouco de luz sobre o passado obscuro de Bobo, revelando que sua família é um bando de extremistas que fazem parte de um grupo supremacista branco. Sim, a família de bobo é neo-nazista e já chegou a inclusive explodir igrejas.

Toda a trama de Bobo, que resultou no sequestro de Fiji pelos criminosos, veio muito bem a calhar com o momento atual em que vivemos, o que é uma coincidência assustadora. Enquanto no mundo real temos que lidar com pessoas que anunciam publicamente serem neo-nazistas, a principal ameaça da série (depois dos demônios) são esses supremacistas raciais.

Felizmente na série, pelo menos, parte desse grupo deixará de ser um problema, já que Lemuel surgiu para proteger a bruxa e o humano, deixando que sua fúria e sede de sangue fizesse com que ele matasse todos eles.

Ainda que isso represente uma recaída para o vampiro, com toda certeza foi uma boa ideia resolver a questão de Aubrey – ainda que eu sinta que não chegamos realmente ao fim desse arco – e acabar com a ameaça mais imediata dos Filhos de Lúcifer.

Sei que fica um pouco complexo esse meu argumento, uma vez que critiquei o arco Hightower-Manfred por ter se resolvido rápido demais, mas a questão é que, desde o começo da série, vemos o Médium ser ameaçado por essa figura misteriosa que parece ser perigosíssima, mas quando aparece oficialmente na série, é apenas um humano decepcionante que acaba morrendo no final do episódio.

Enquanto isso, toda a trama dos Filhos de Lúcifer e Bobo estava sendo desenvolvida desde o piloto, em uma crescente constante que resultou no sequestro da Fiji. Assim sendo, tudo foi muito melhor trabalhado, e mesmo que essa trama tenha chegado ao fim, o seu impacto permanece, uma vez que isso afetou o relacionamento do rapaz com a bruxa.

Em suma, o episódio trouxe ação e aventura, o que é sempre bem vindo. Mesmo decepcionando na trama de Manfred, descobrimos pontos importantes sobre os personagens, que conseguiram ser melhor aprofundados nesse episódio.

Mas o que vocês acharam do episódio? Comentem!

Semana que vem teremos o rapto de uma garota em Midnight, sendo investigado pelo grupo de heróis, enquanto Fiji volta a ser assombrada pela entidade demoníaca, o que a leva conversar com o Reverendo sobre o caso. O anjo caído continua guardando o segredo sobre o futuro da cidade, mesmo quando o equilíbrio entre o bem e o mal é ameaçado mais uma vez.

Confira as imagens do próximo episódio na nossa galeria abaixo:

Midnight, Texas vai ao ar toda segunda-feira pela NBC, já a review do episódio sai toda quarta-feira aqui na LH!

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Mestrando em Comunicação Social pela UEL • Bruxo • Twitter: @ChrisRantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"