Capa da Publicação

Midnight, Texas: 1.02 – Simpatia para o Diabo!

Por Cristiano Rantin

Depois de um começo apressado e confuso na semana passada, tudo que eu queria era que Midnight, Texas relaxasse um pouco e explorasse melhor seus personagens de forma tranquila. Tudo que eu queria era que a série nos fizesse sentir empatia pelos dramas pessoais deles e que, cada vez mais, eles se tornassem queridos para o público. Bem, não foi exatamente isso que aconteceu.

Com um começo intenso, o segundo episódio do seriado deixa claro que o objetivo da série não é ter calmaria, tranquilidade e tédio. Ainda que fosse muito interessante a ideia de ver os personagens interagindo sem pressa, este não parece ser o plano dos criadores da série que, mais uma vez, colocaram diversas tramas grandiosas em movimento – algo que parece estar ligado ao fato de que, até o momento, a primeira temporada deve ter apenas 10 episódios, assim sendo não há tempo para perder.

Mas, por mais que um pouco de calma fosse bom para a série, isso não significa que Bad Moon Rising, com tudo que aconteceu e foi revelado, não tenha sido um episódio bem construído. Por mais que muita coisa tenha sido trabalhada ao mesmo tempo, tudo foi muito bem amarrado na narrativa, tendo uma construção bem melhor do que o piloto.

O grande destaque do episódio fica para o Reverendo, que mesmo sendo influenciado pela Lua cheia, não é o lobisomem que esperávamos. O religioso, na verdade, é um “tigromem”, ou seja lá qual é a palavra em português que possa ser utilizada para descrever um homem que se transforma em tigre.

Sim, mais uma vez a série distancia-se da maneira mais tradicional de trabalhar criaturas sobrenaturais, explorando outras versões dos seres que entopem a literatura e séries que conhecemos e amamos.

É claro que ver essa criatura incomum dando as caras na série nos faz lembrar de True Blood – aliás, é impossível ver Midnight, Texas sem ficar comparando a história e as criaturas com a série de Sookie e seus amigos. Como vocês podem lembrar, True Blood até que tentou trabalhar os Homem-Pantera, mas a trama foi descartada na bagunça que o seriado se tornou depois da segunda temporada.

Diferente da outra série, no entanto, Midnight, Texas parece ser bem mais equilibrada no quesito protagonismo e força das criaturas. Os vampiros não são tão apelões como na outra série e, mesmo sendo bem poderosos, também encontram dificuldades em lidar com um Homem-Tigre, por exemplo.

Esse equilíbrio entre as diversas criaturas é muito bem vindo, especialmente depois que os chupadores de sangue ganharam tanto destaque nos seriados. É bom ver que eles não são o “topo da cadeia alimentar”.

Voltando para o seriado, o episódio fez um bom trabalho em humanizar os amigos do Reverendo que, por mais que ele representasse uma ameaça para a segurança de toda a cidade, se recusaram a abandonar o homem e matá-lo.

Midnight, Texas vendeu a ideia de que teríamos uma espécie de grande família disfuncional e incomum, onde seus moradores protegem uns aos outros, e esse episódio reforça isso a todo momento. Por mais difícil e complicada que seja a situação, eles sempre podem contar um com o outro.

E é nesse espírito de irmandade que seguimos para o outro destaque do episódio: Fiji. Até o momento, é impossível negar que a personagem mais simpática do seriado é a bruxa que, por mais misteriosa que seja – com sua coleção de cabelo de todos os moradores da cidade – parece ter um bom coração.

Para resolver os problemas causados por Manfred, que no último episódio havia invocado uma legião de fantasmas violentos e possivelmente uma entidade demoníaca, a bruxa se prepara para executar um exorcismo.

É claro que isso não seria tão fácil, como já podíamos imaginar depois de ver as imagens promocionais desse episódio. Depois de uma longa jornada meditativa convencendo os fantasmas de que aquela casa não era o lar deles, tudo parecia tranquilo para Fiji, até que o próprio Diabo decidiu entrar em jogo e brincar de filme de terror com a bruxa – algo que ainda não foi concluído, já que a moça ainda está sendo assombrada por isso.

Ainda que os efeitos envolvendo o “inferno” não tenham sido dos melhores, foi bem tenso ver o desespero da personagem enquanto se via impotente diante da força infernal – que pelo que foi dito será o grande inimigo da série. Assim, já podemos esperar que a jornada dos “heróis” não será tão fácil quanto Manfred fez parecer ao banir o demônio utilizando o crânio de sua ancestral.

Afinal, segundo o anjo Joe, que no final do episódio revelou ser uma criatura bem mais antiga do que aparenta, existe uma profecia antiga envolvendo Midnight, Texas e a batalha contra as forças do mal. Quanto mais fino o véu entre o bem e o mal ficar, mais perto do apocalipse o mundo estará – algo bem parecido com o fim dos tempos bíblicos pelo que pudemos ver na pintura do anjo.

E quem vai liderar o exército do bem contra o mal? O protagonista da série, é claro. Não é surpreendente, mas também não parece que a série vai seguir pelo caminho clichê já que até o momento ela tem se mantido bem diferente do esperado.

Para finalizar, precisamos comentar sobre a trama envolvendo Bobo e a investigação de quem matou sua noiva. Ainda que o aspecto policial da série não tenha tanto apelo quanto as criaturas sobrenaturais, as coisas parecem mais complicadas do que imaginávamos no primeiro episódio e, mesmo que Bobo não seja tão indefeso quanto podia parecer, toda essa história envolvendo os Filhos de Lúcifer ainda deve causar muito problema para os cidadãos de Midnight e prova disso é o que aconteceu com o policial que estava avançando na investigação…

Em resumo, o segundo episódio do seriado foi agitado e com várias coisas acontecendo ao mesmo tempo, mas de forma alguma isso representou um problema para a narrativa. Caso a série mantenha o mesmo ritmo, vai ser difícil ficar entediado.

Isso, no entanto, não muda o fato de que os personagens precisam continuar a ser aprofundados e trabalhados de uma maneira que o público consiga gostar deles – e se importar com o que pode acontecer com suas vidas.

O que vocês acharam do episódio? Gostaram da maneira que a trama foi avançada? Comentem!

Depois de focar a narrativa no Reverendo e trazer as grandes revelações envolvendo esse personagem, o próximo episódio deve ser focado no vampiro Lemuel já que mais chupadores de sangue (e energia) invadirão Midnight, Texas.

Confira na nossa galeria abaixo as imagens do próximo episódio:

Midnight, Texas vai ao ar toda segunda-feira pela NBC, já a reviews do episódio sai toda quarta-feira aqui na LH!

 

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Mestrando em Comunicação Social pela UEL • Bruxo • Twitter: @ChrisRantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"