Capa da Publicação

Legion: 1.07 – Quer que eu desenhe pra você entender?

Por Felipe de Lima

Se você conhece os quadrinhos que deram origem a série de televisão baseada no Legião, deve ter sentido seu coração aquecer com a confirmação de que sim, o bom e velho Professor Charles Xavier é o pai do protagonista. Em um flashback da adoção de David, Não havia como antecipar que o programa fosse fiel ao material original nesse aspecto e a surpresa foi muito agradável.

Capítulo 7 foi o melhor episódio da série até o momento e abre um leque de possibilidades para o futuro, principalmente agora que David aprendeu um pouco mais sobre como conter o Rei das Sombras e explorar o potencial de seus poderes. O episódio começa com uma sequência de terror em clockworks, onde todos estão vivenciando uma ilusão dentro da mente de David. É realmente assustador ver Kerry lutando contra uma horda de pacientes zumbificados enquanto é perseguida pelo Olho, mas não há muitas novidades aqui, afinal, o conflito entre realidade e alucinação é o tema mais recorrente da série.

Ao mesmo tempo, descobrimos mais sobre como Farouk, O Rei das Sombras vem atormentando David desde que ele era um bebê. Descoberta essa, que surge junto de uma personalidade britânica e sã do protagonista. Interpretando duas versões de si mesmo, Dan Stevens dá um show de atuação, ficando cada vez mais claro o por quê dele ter sido escolhido para o interpretar um personagem com tantas facetas quanto o Legião.

A maneira que a produção escolheu para mostrar a história do passado de David é excelente, desde os diálogos até a animação completamente metalinguística feita em um quadro negro, onde o Professor X aparece enfrentando o Rei das Sombras. É essa nova personalidade que dá a David o conhecimento para se desvincular do controle e trocar de lugar com Faruk, voltando ao mundo real. Isso se o mundo for real.

Capítulo 7 é extremamente feliz em fazer alternâncias de tom tão absurdas de serem explicadas, que acabam sendo divertidas e conflituosas, casando perfeitamente com a proposta da série. Méritos da diretora Dennie Gordon, que pode abusar de seu talento. Há novamente uma sequência musical, mas desta vez a música funciona como uma espécie de escudo criado por Oliver Bird para proteger David e Syd.

É em cenas em preto e branco – homenageando o cinema mudo -, que Kenny coloca seu plano em ação, metodicamente tirando as peças do tabuleiro. Após matar O Olho, ela ameaça dar um fim a Kerry e Syd dentro do plano astral, mas é impedida por Rudy – que até então vinha sendo um personagem pra lá de secundário -, permitindo que todos saiam do plano astral e possam voltar em paz para Summerland.

É no fim que O Interrogador, interpretado por Hamish Linklater, faz seu retorno. A Divisão Três está pronta para capturar David e matar o restante do grupo, mas parece que o Rei das Sombras conseguiu se libertar e ninguém está a salvo.

Capítulo 7 é a melhor coisa que Legion poderia trazer, explorando ao máximo todos os conceitos que a série apresentou até o momento, além de lidar de maneira magistral com as soluções de roteiro. Perguntas importantes foram respondidas e não faltou suspense dentro da narrativa. Legion já é uma grande obra da televisão, resta saber se o episódio final vai manter a qualidade ascendente. Mal posso esperar. Noah Hawley, nos surpreenda. 

O último episódio da primeira temporada de Legion será exibido pelo FX Brasil na próxima quinta-feira, às 22:30.

Confira as últimas imagens divulgadas da série:

Imagem de perfil
Felipe de Lima

Pelo poder da verdade, eu, enquanto vivo, conquistei o universo. Me segue no twitter @tearsgodown