Capa da Publicação

Legends of Tomorrow: 3×06 – Cavalo de Troia!

Por Márcio Jangarélli

Se Legends começou a terceira temporada devagar, agora já podemos relaxar e curtir a viagem. O episódio dessa semana foi, em síntese, uma celebração às heroínas e, também, às vilãsda série, algo que, vamos combinar, é totalmente merecido. Só a Sara sozinha merece uma homenagem por tomar a trama para si e carregar a produção. Assim, essa foi a aventura perfeita, com a personagem histórica perfeita e a finalização no lugar perfeito.

Uma coisa bacana desse ano das Lendas é que as figuras históricas são introduzidas sempre como parte de um plano maior, com interações e tudo mais, afinal, agora eles podem apagar memórias. Nesse caso, viajamos para 1937 para descobrir que ninguém menos que Helena de Troia foi parar no meio de Hollywood, gerando um conflito entre produtoras de cinema para tê-la como sua nova musa das telonas.

Esse é daqueles capítulos detalhistas, onde tudo se encaixa e te deixa com um sorrisão no rosto. A abertura feita no estilo cinema antigo foi o anúncio de que a coisa seria boa, mas a piadinha no título foi a cereja no bolo para falar: esse é O episódio. “Helen Hunt” serve tanto para falar da caça dos heróis à Helena de Troia em Hollywood, como é o nome da premiada atriz Helen Hunt.

Se a coisa toda ficasse só na brincadeira em Hollywood, talvez a aventura não fosse tão interessante. Porém, todo o “Time Mallus” estava reunido em 1937 para um ótimo embate com as Lendas. Descobrimos que o vilão precisa dos anacronismos por algum motivo e sua armada sempre estará lá para protegê-los. Essa é a primeira vez que vemos Damien, Kuasa e a Nora juntos e podemos dizer que eles são mais ameaçadores que a Legião do Mal – ainda que não tenham o mesmo carisma.

Inclusive, o Damien está mudado aqui. Seja por ter conhecido a morte, seja por ter descoberto a filha – que agora foi revelada oficialmente – ou por qualquer motivo, ele está um tanto “apreensivo” e até propõe uma trégua para a Sara antes de partir para o ataque. Estranho. A Nora não teve tanto espaço, mas ainda parece uma vilã muito promissora, principalmente por se mostrar incrivelmente maliciosa e poderosa, e a Kuasa ganhou um bom desenvolvimento com a Amaya. A diferença para a Legião do Mal é que esses vilões estão levando as coisas mais a sérioe talvez as Lendas tenham que fazer isso também no futuro.

Outro ponto alto do capítulo foi o foco no Nuclear. Seguimos no arco de despedida do Victor Garber da série e essa trama serviu para explorar as melhores nuances do personagem e sua relação com o Jax, usando o clássico plot da troca de corpos, algo que ficou bizarro, mas engraçado. Também colocaram o Martin como o principal da fusão do Nuclear dessa vez, para adiantar mesmo que seus dias na produção estão contados. Foi bacana, mas triste. Uma nota aqui para toda a trama com a Hedy Lamarr, atriz e inventora, que se encaixou perfeitamente no plot e na celebração das heroínas.

Para finalizar um episódio tão show, Legends fez um movimento que, confesso, me pegou completamente desprevenido e tive que voltar algumas vezes para assistir pela coragem do movimento. Todo o capítulo se desenvolve em torno de Helena de Troia e, no fim, mesmo que seja uma aventura em homenagem às personagens femininas, ela teria que voltar para o seu tempo onde, convenhamos, ela não estava levando a melhor vida.

A escolha dessa personagem, ainda que mitológica – algo que não é um problema, quando já trabalhamos com Camelot e, bom, é o Universo DC – não poderia ser melhor, porque trouxe esse conflito para Legends: Helena passa o capítulo todo admirando a força das outras mulheres e tentando se espelhar nelas, mas o final estava marcado para ser trágico. Por conta da Zari, porém, não foi. Como a própria coloca, ela encontra uma forma de “hackear o tempo” e devolver a Helena sem que altere o futuro, a levando para um lugar onde ela não teria que lidar com a guerra dos homens: sim, senhores, Legends mostrou Temiscira.

De primeira, parecia que a Ilha Paraíso das Amazonas iria ficar como algo implícito, mas a câmera afastou, mostrou a ilha completa e ainda deu a localização. Essa é a primeira vez que uma série no Arrowverse toma essa liberdade, ainda que lugares icônicos como Atlantis já tenham sido mencionados. Quem sabe as Amazonas não estão no futuro de Legends?

E vocês, o que acharam do episódio? Não esqueçam de comentar!

Confira nossa galeria com imagens de Legends of Tomorrow:

Lançamento não encontrado.

Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.