Capa da Publicação

Legends of Tomorrow: 2.11 – O Rip que roubou o Natal!

Por Márcio Jangarélli

Antes de mais nada, vamos deixar estabelecido: Legends of Tomorrow entrega as melhores aberturas das séries da CW. Essa ideia de trocar os narradores todo episódio é muito divertida!

Continuemos.

Em “Turncoat” – “Vira-casaca“, auto-explicativo e condizente com o episódio – as Lendas do Amanhã foram atraídas para uma armadilha da Legião do Mal no Natal mais importante dos Estados Unidos, em 1776, quando George Washington vira o jogo da Revolução Americana. Para salvar a América como conhecemos, a equipe tem que enfrentar seu antigo líder, Rip Hunter, que sofreu uma lavagem cerebral do time de vilões.

Olha… que lavagem cerebral foi essa?! Rip ficou ótimo como parceiro da vilania. Com apenas um episódio no lado negro da força, ele já deve ter conquistado o ódio de muitos fãs, atacando seus ex-companheiros sem a MÍNIMA piedade. Quem aí não ficou chocado com o tratamento do personagem para a Sara? Até os outros membros da Legião respiram um pouquinho antes de entregar um ataque mortal. Esse não foi o caso de Hunter.

Ele planejou uma derrota quase perfeita para as Lendas; explorou as fraquezas do time, caçou cada um dos heróis de forma implacável e, em teoria, matou a Capitã! Vilões comuns demoram temporadas inteiras para atingir o nível que o Rip chegou em apenas um episódio.

Por parte dos heróis, o Jax mostrou que, mesmo não sendo o melhor líder possível, seu empenho para garantir o bem-estar de seus companheiros em momentos de crise é exemplar. Martin e Ray não ganham muito desenvolvimento. Os outros três merecem um parágrafo separado.

Quem diria que o Mick cresceria tanto? Ele saiu do status de vilão dispensável do Flash para se tornar um dos personagens mais legais de Legends! Foi elogiado pelo próprio George Washington, mostrando do que um Americano é verdadeiramente feito: perseverança e jogo sujo. E isso nem é uma crítica.

Já para o Nate e para a Amaya, primeiramente, é preciso comentar: Amaya nem descobriu as modernidades e o Tinder direito e já se jogou de cabeça nessa ideia. Gosto assim. No mais, é bem bacana ver o desenvolvimento do casal – um romance que não dá enjoos igual os da primeira temporada. Mas vamos combinar: vocês estão no meio da Revolução Americana, o ex-líder da sua equipe está maluco e sanguinário atrás de todo mundo, está tudo ferrado e vocês estão na cabaninha? Gente, moderação…

Legends é aquela série que permite que cada um de seus componentes cresça sem precisar diminuir outro. É incrível como cada um dos personagens, até os vilões, ganham arcos e desenvolvimentos sensacionais, enquanto a dinâmica de equipe se mantém intacta. Em uma viagem com as Lendas, não dá vontade de bater os sapatinhos três vezes e pedir para voltar para casa. A aventura é boa e maluca demais para isso.

Confira nossa galeria com imagens do episódio:

Legends of Tomorrow vai ao ar todas as terças-feiras, pela The CW.

Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.