Capa da Publicação

iZombie 3:13 – O Apocalipse Zumbi começou!

Por Cristiano Rantin

Como eu disse na review da semana passada, se tem uma coisa que iZombie sabe fazer é ligar suas tramas e criar finais incríveis para suas temporadas. No primeiro ano da série tivemos a vingança de Major contra Blaine e seu açougue de carne humana, o que na época foi algo mais intenso do estávamos esperando; No final da segunda temporada tivemos um clássico filme de sobrevivência a um ataque zumbi, com direito a tiros na cabeça, machadadas e invasões; Agora, no encerramento do terceiro ano temos, de fato, o início do apocalipse zumbi.

O caso da semana passada envolvendo Katty, a antiga patroa de Ravi e pesquisadora do Centro de Controle de Doenças, continua a repercutir. Nesse episódio tudo ficou mais claro. A moça estava investigando um surto de uma gripe mortal, que havia matado diversos passageiros de um voo, algo que estava diretamente interligado ao vírus Zumbi – como descobrimos no episódio.

A investigação de Clive o leva diretamente para a filha de Carey Gold, um dos grandes nomes de Fillmore Graves. A teoria levantada por Liv e Ravi depois que eles recebem essa informação é que tudo se trata de um grande plano de Chase Graves e que a coleira do cachorro dele (que estava sendo carregado pela filha de Carey no voo investigado por Katty) estava carregada com o vírus mortal.

O motivo para tudo isso? Simples. Se uma epidemia mortal dizimasse a humanidade, isso significaria que os zumbis de Seattle teriam um grande buffet de cérebros para a eternidade. Liv fica chocada com essa teoria e junto de Clive decide invadir a nova casa de Chase  para analisar a coleira do seu cachorro.

As coisas não dão muito certo e nossa adorável zumbi acaba sendo pega pelo líder de Fillmore Graves, que fica ultrajado com as acusações e garante que não tem nada a ver com isso.

Isso, no entanto, o deixa pensando e o leva a confrontar Carey Gold. Eis então que toda as pontas que ainda continuavam soltas nessa temporada se juntam. A adorável professora zumbi é na verdade a grande vilã da série, sendo a responsável por espalhar esse vírus mortal, que era o “Plano B” que Fillmore Graves tinha, para caso o Dia da Descoberta de que Zumbis existem desse errado.

Mais isso não é tudo. Para conseguir colocar esse plano em movimento, ela teve que matar a adorável Vivian Stoll, a antiga líder de Fillmore Graves. Tudo isso em uma tentativa de abalar Chase Graves emocionalmente para que ele ficasse tentado a ir direto para o Plano B, abandonando a ideia de criar uma grande ilha paradisíaca que serviria como refúgio para todos os zumbis de Seattle. Como se isso não fosse o bastante, Carey também foi a responsável por acobertar a morte de Katty, assassinada por sua filha Patrice, e pela morte de Wally e sua família.

A zumbi se defende dizendo que fez tudo isso para proteger sua espécie e que a ideia de abrigar todos os zumbis em um único lugar era estúpida – o que convenhamos, era mesmo – e só facilitaria para que todos acabassem mortos de uma vez por todas.

Depois de tentar chamar seus homens para fazer com que Carey fosse presa, Chase descobre que a maioria deles estão do lado dela e que planejam matá-lo. Por sorte ele se prova mais rápido com sua arma e encerra os dias de maldade da senhorita Gold.

Isso, no entanto, não é nem metade das reviravoltas que estão acontecendo. Para proteger as pessoas dessa peste mortal liberada por Carey, uma campanha de vacinação gigantesca começa a acontecer por toda Seattle. Filas gigantescas se formam e centenas de pessoas são vacinadas contra esse mal.

Mas é de iZombie que estamos falando, e as coisas nunca são tão simples assim. Depois de ter uma visão que confirma que Patrice foi a assassina de Katty, nossa adorável legista decide ir até a casa da garota. Lá, enquanto a zumbi se bronzeia, Liv descobre que alguma coisa está errada com essas vacinas, uma vez que os adolescentes zumbis ainda estão falando sobre ter um banquete de cérebros por causa do vírus da gripe espalhado.

Quando pega em flagrante – pela segunda vez no mesmo episódio – Liv acaba sendo obrigada a entrar no modo zumbi total para sobreviver ao ataque de Patrice e Tatum (a filha do assassino da Doce Senhora Dor). A protagonista leva a melhor, mostrando ser uma excelente usuária do martelinho de bater carne, e, uma vez que conseguiu a informação de onde a vacina estava sendo mantida com Peyton, segue correndo até lá.

A grande revelação é que os Zumbis de Fillmore Graves estão lá, adulterando as vacinas e injetando o pouco do sangue deles nos frascos. Ou seja, todos aqueles que já tomaram a cura acabaram contraindo o vírus zumbi: Seattle se tornou, de uma vez por todas, uma capital de zumbis.

Liv foge da escola, não antes de ser confrontada por Justin que chama seus amigos para tentar capturar nossa zumbi. Aproveitando esse momento, podemos falar sobre o quão babaca o ex-namorado de Liv foi? Mais cedo nesse episódio vimos o encontro dele com a legista, depois da explosão da festa de Major. Ao invés de se tentar se recuperar do choque e ficar extremamente grato pelo fato de que Liv não estava presente na festa que matou diversas pessoas, a primeira pergunta de Justin é porque ela não estava lá.

Tipo, sério mesmo? Sério que ele preferia que ela corresse o risco de estar morta ao invés de estar “presa no trabalho” como ela havia dito para ele no episódio anterior. Obviamente Justin não aceitou muito bem o fato de que Liv dormiu com Chase Graves e acabou as coisas com ela. Problemas no relacionamento todo mundo tem, agora isso não é motivo para literalmente perseguir sua ex-namorada sem explicar a cena chocante que ela acabou de ver.

Liv consegue fugir dos agentes de Fillmore Graves e depois de avisar Clive para que ele não tomasse a vacina (um pouco tarde demais, já que Dale, a ex-parceira e namorada do policial – que acabou de descobrir que zumbis existem – tinha acabado de tomar a vacina\vírus zumbi.

Indo direto para a televisão e conversando com o recém transformado em Zumbi Jonny Frost, Liv explica para ele o que está acontecendo, o alimenta com cérebros, e o obriga a anunciar para todo mundo que Zumbis existem, que a vacina foi adulterada e o que significa ser uma zumbi (e como as pessoas deveriam agir em relação a isso).

Pouco tempo depois de causar pânico em toda a cidade com a notícia, a emissora de TV é invadida por Chase Graves e seus homens que obrigam a exibição de um comunicado oficial que diz que agora não existe mais uma preocupação por doenças – e o vírus da gripe mortal – e que não há necessidade dos zumbis matarem humanos por causa dos seus cérebros, uma vez que Fillmore Graves providenciará as pastas alimentares dos novos mortos-vivos.

É claro que as coisas não terminariam tão de boas assim e nem todo mundo aceitaria essa nova realidade, como fica evidenciado pelo confronto entre um grupo anti-zumbi com aqueles que buscavam comida com o exército de Fillmore Graves – incluindo Major (que voltou a ser zumbi no começo do episódio, se entregando de corpo e alma para a causa) e Justin.

No fim do episódio temos um momento incrivelmente fofo entre Liv e Ravi, que parece finalmente ter encontrado uma segunda cura para o vírus zumbi. O médico relembra de como ele encontrou Liv, ainda na primeira temporada, e como ela era uma pessoa sem esperanças apontando como ela evoluiu nesses anos. Sem nenhum rato para testar sua cura, Ravi a ingere e pede para que sua melhor amiga o arranhe, sendo o teste definitivo para ver se a cura zumbi realmente funciona. Terminamos na incerteza do que vai acontecer com nosso gentil legista.

A incerteza parece ser o aspecto geral deste final de temporada. Toda Seattle está incerta de como será o seu futuro, agora que zumbis são uma realidade e estão “fora do armário”. Nossos personagens terminaram em posições delicadas, sem saber o que o futuro lhes reserva além de problemas e tendo que lidar com os problemas que surgiram nesse final tão cheio de reviravoltas.

Major não parece se importar mais com nada depois de perder tantos amigos – e o seu interesse amoroso – na explosão causada por Harley; Liv tem que lidar com a nova realidade zumbi, sem encontrar apoio no seu, agora ex, namorado Justin ou no complicado Chase Graves; Clive, que é germofóbico e já declarou diversas vezes que gostaria de continuar sendo humano, precisa aprender a conviver com o fato de que sua amada contraiu o vírus; Peyton ainda não está totalmente certa de que Baracus é inocente ou não no caso da Doce Senhora Dor; E, por fim, temos Ravi que pode ou não acabar se tornando um zumbi caso sua cura falhe. O único que terminou a temporada muito bem foi Blaine, que teve seus negócios de comércio de cérebros alavancados pela grande quantidade de novos zumbis.

E é com esse clima de incerteza que encerro essa review da terceira temporada da série. Fico extremamente feliz cada vez que vejo alguém comentando sobre a série, dizendo que iria começar a assisti-la por falarmos dela aqui na Legião dos Heróis ou quando vocês apontam nos comentários que a série é incrível. Nada me deixa mais feliz quando leio que alguém deu uma chance para iZombie – que acaba passando ignorada em meio a tantas séries que adaptam HQs ou que falam sobre zumbis – especialmente quando apontam que foi a minha lista que fez alguém começar a vê-la.

Mas, convenhamos, não existe um público muito grande para a série aqui no site. Poucos são os comentários e discussões que surgem nas reviews. Então, é difícil não ficar na incerteza se retornarei, ou não,  para quarta temporada para divulgar, enaltecer e comentar sobre os novos rumos de iZombie.

Caso isso aconteça será um imenso prazer, caso não, foi uma boa jornada até aqui. Foi bom fazer com que algumas pessoas conhecessem a série e ouvissem sobre essa produção divertida, engraçada, sanguinolenta e assustadoramente humana (o que é irônica em uma série sobre mortos-vivos monstruosos).

Assim sendo, até uma quarta temporada – ou não. Foi um prazer falar com vocês sobre essa terceira temporada.

Relembre alguns momentos da terceira temporada na nossa galeria abaixo:

 

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação Social pela UEL • Twitter: @ChrisRantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"