Capa da Publicação

iZombie 3:10 – O encontro de zumbis, fantasmas e torturadores!

Por Cristiano Rantin

Se você leu as minhas resenhas anteriores, você percebeu que que uma coisa que me deixa bem irritado no seriados é a falta de consequências para as ações dos personagens. Nada me irrita mais do que uma ação sem reação nesse fantástico mundo das séries. Um dos pontos que eu levantei na minha primeira resenha sobre iZombie aqui no site foi que Liv não mostrou muita reação ou sofrimento pelo fato de que, no fim da segunda temporada, teve que atirar na cabeça do namorado zumbi dela.

Ainda que meu maior shipp continue sendo Liv e Major, eu gostava muito de Drake e fiquei chateado não apenas por ver o fim dele como também por não ter nossa querida zumbi legista lidando com o fato de que a verdadeira morte dele aconteceu pelas mãos dela. Bem, isso mudou nesse episódio.

Tudo acontece porque desejando ter o apartamento só pra ela e o namorado, Liv faz um acordo com Peyton – que ainda está investigando o caso da Doce Senhora Dor, a Dominatrix que filmava suas sessões de sadomasoquismo e que foi morta por um cliente. Tudo que a zumbi tinha que fazer para a advogada era comer o cérebro do assassino confesso da dominadora, que estava no soro azul da memória criado por Ravi por vários dias. Como a própria legista aponta, além de um assassino e possivelmente suicida, o cara ainda sofria de sérios distúrbios mentais e via a esposa morta dele por todos os cantos, ou seja, não o plano não iria prestar. Mas é aquilo, amigo é pra essas coisas.

Para engatilhar uma visão e resolver tudo isso logo, Peyton se veste como uma dominatrix improvisada – mesmo a contragosto – e começa a encenar seu papel enquanto Liv assume a postura de submissão. Depois de alguns momentos cômicos a visão acontece e é confirmado que ele realmente enforcou a Doce Senhora Dor. Mesmo assim, como a Peyton sente, algo está muito estranho nessa história por isso ela escolhe continuar investigando.

Quando achamos que esse assunto seria concluído, Drake aparece como uma alucinação de Liv que se sente culpada por ter matado ele (assim como o assassino da Doce Senhora Dor se sentia mal por ter matado a esposa dele em um acidente de carro). Isso resulta em momentos hilários de Liv tendo que interagir com ele nos momentos mais inoportunos, como quando ela está na cama com Justin – o atual namorado dela.

Ainda que mais engraçados do que melancólicos, esses momentos em que ela conversa com o Drake são importantes para que ela tire algumas coisas do peito. Dizendo em voz alta, pela primeira vez desde o primeiro episódio dessa temporada, como ela ainda se sente culpada por ter atirado na cabeça dele, ainda que não houvesse outra escolha. Perto do final do episódio vemos um momento muito conclusivo da nossa zumbi, assumindo que comeu cérebros diferentes um atrás do outro porque não queria ter que lidar com a tristeza e a culpa, mas que agora era hora de terminar aquilo e terminando o ultimato com uma boa em uma pegação com o ex-namorado que era um zumbi, agora aparece quase como um fantasma, mas que na verdade é só uma alucinação.

Enquanto Liv nos presenteava com momentos de comédia e encontrava a paz para a sua culpa, Ravi não estava em uma situação muito boa. Como vimos no episódio passado Don E. ainda estava sob o efeito do cérebro-azul do veterano de guerra, ou seja, estava louquíssimo, e por causa disso acabou sendo sequestrado pelos extremistas do fórum de apocalipse zumbi que planejavam faze-lo passar fome e o torturar até que todo mundo (que assistia a transmissão ao vivo do zumbi) vissem o quão perigosos eles era.

Ravi consegue ganhar algum tempo dizendo que queria estudar o espécime e, o tempo todo, fica buscando uma maneira de libertar Don E. e pedir ajuda. Vale lembrar que, ainda que supostamente ele estivesse ali de boa vontade, os extremistas basicamente o sequestraram – tomando o celular dele e não o deixando ir embora.

As coisas só pioram quando Major – a pessoa que Ravi ligou quando ainda tinha um celular – não deu muita atenção para o que o amigo disse, pois estava focado demais em conhecer intimamente sua nova amiga (que pode muito bem ser uma psicopata, já que se interessou pelo ‘Chaos Killer‘ e até agora não sabemos nada sobre ela).

Depois de muita tensão, Ravi consegue pegar o celular que Don E. havia escondido e decide ligar pra Liv pedindo ajuda mas… quem é que, nos dias de hoje, se lembra de cabeça do número das pessoas? Por causa disso, ele acaba ligando para o único número gravado naquele celular: Blaine. O médico legista pede socorro e explica rapidamente a situação.

Blaine, por sua vez tem que lidar com assuntos mais obscuros. O grande inimigo que Mr. Boss voltou para enfrentar não era Peyton, mas sim o zumbi. Depois de vários tiros e tentativas de assassinar o loiro, o grande contrabandista descobre a verdade sobre os zumbis e – sem muita escolha – aceita entrar no negócio de Blaine para transportar cérebros internacionalmente.

Enquanto isso temos Peyton se aprofundando na investigação do assassino, descobrindo graças a uma última visão de Liv que ele foi assassinado. Isso resulta em uma das poucas vezes que a advogada interage de fato com Clive, mostrando que existe um bom relacionamento entre os dois cheio de potencial para a série explorar. Não, eu não estou falando romanticamente, mas sim pelo fato dele ser um policial e ela uma advogada que, por muitas vezes, acaba lidando com os criminosos que Clive e Liv prendem.

Eles descobrem que uma ligação suspeita da filha do assassino da Doce Senhora Dor, que afirma que “eles o obrigaram a fazer isso” e depois de um “interrogatório” muito suspeito com a menina, conduzido por Liv e Clive, descobrimos que a garota e sua amiga curiosa são zumbis também, possivelmente envolvidas com a Fillmore-Graves por causa da pasta de cérebro que elas comem.

O episódio termina extremamente tenso com os extremistas anti-zumbi se preparando para torturar Don E. e Ravi, de maneira muito corajosa, ficando entre eles para proteger o segredo de que zumbis existem – e a integridade do seu colega.

O que eles não sabem é que Blaine e Liv, superando as diferenças que possuem, estão prontos para o resgate e no modo zumbi-total (ativado em uma cena muito engraçada no carro de Liv). O que veremos na semana que vem deve ser zumbis fazendo justiça com as próprias mãos, salvando Ravi e Don. E.

O episódio todo é muito bom, avançando as tramas ao mesmo tempo em que coloca alguns pontos finais nas histórias sem conclusão (como a morte do Drake). Repleto de cenas que te faz gargalhar alto, um dos melhores momentos de todo o episódio é ver AJ de novo.

Pra quem não se lembra, ainda na primeira temporada, Liv acaba se metendo em uma confusão com uma gangue por achar que o Clive estava envolvido com eles. No fim do episódio quando AJ invade o apartamento dela para matar nossa zumbi, ela descobre que o cérebro que ela devorou conhecia muitas coisas sobre Kung Fu e, depois de entrar no modo zumbi-total, surra AJ. É muito bom a série fazer uma referência a algo que aconteceu duas temporadas atrás – e mostrar que o perigoso bandido ainda tem medo da “mutante” que o surrou.

Não sei como a trama do novo relacionamento de Major vai se aprofundar, mas já passou da hora dele ser confrontado pelas ações dele que, agora, envolve não dar muita atenção para a ligação de Ravi, algo que poderia ser decisivo para a salvação dele. Tudo isso por um dia de prazeres com uma mulher até então desconhecida. Já passou da hora de Major ser mais do que o par romântico de alguém.

Em suma, Return of the Dead Guy, ainda que sem um caso da semana aleatório, nos apresenta tudo aquilo que gostamos: bom humor, ação e momentos de tensão enquanto a trama avança.

Mas o que você achou desse episódio?

Faltam poucos episódios para fim dessa temporada, que será mais curta que a segunda. Na semana que vem, em Conspiracy Weary veremos Liv e Blaine indo salvar Ravi, que fará uma descoberta importante no episódio. O cérebro da semana será de um cara fã de teorias de conspiração, o que pode ser a causa da investigação de Liv para com a nova amiga do Major.

Confira as imagens na nossa galeria abaixo:

iZombie vai ao ar toda terça-feira pela CW. Agora, resenhas sobre a série serão publicadas na quinta-feira aqui no site.

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação pela UEL • Twitter e Instagram: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"