Capa da Publicação

The Gifted: 1×10 – O Belo Sonho acabou!

Por Cristiano Rantin

Depois do episódio da semana passada que terminou de forma desesperadora com boa parte dos nossos queridos personagens sendo capturadas pelo Serviço Sentinela, The Gifted decidiu seguir por um caminho ainda mais obscuro, mostrando que nessa guerra entre os humanos e mutantes, as consequências podem ser horríveis para os dois lados.

Ok, vou começar falando daquilo que não sai da minha cabeça desde que terminei esse episódio: PRA QUE MATAR A MINHA BELOS SONHOS????? A personagem era extremamente gentil, fofa e, como vocês puderam notar nas minhas reviews anteriores, uma das minhas favoritas.

Já dava pra imaginar que esse seria o destino da personagem, inclusive eu imaginava que ela morreria no episódio anterior, mas ainda assim é uma pena ver que Sonya morreu daquela forma.

Afinal, desde o começo, vemos Sonya como alguém gentil e fofa, mas que é capaz de fazer o que for necessário pelo bem maior nessa guerra. Ainda que muita gente tenha pelo um certo ranço por causa da Blink com o Pássaro Trovejante, é importante lembrar que o relacionamento entre Johnny e Sonya era bem mais antigo.

Belos Sonhos era, como seu nome sugeria, uma sonhadora, sempre lutando pelo que acreditava ser certo e utilizando seus poderes para fazer com que a vida das pessoas pudesse ficar melhor (seja descobrindo informações para a Resistência ou aliviando traumas do passado). Mas será que ela morreu atoa?

Duvido muito. A morte da personagem, que era a melhor amiga de Lorna, pode servir para colocar Polaris em um caminho bem mais perigosos e extremista, afinal a gente já viu o quão louca ela pode ficar para punir aqueles que machucam seus amigos. Além disso, a série decidiu trabalhar um confronto entre Sonya e o Agente Turner que foi extremamente cruel com ela – dizendo até mesmo que era pra ela levar o que quer que acontecesse com ela para o lado pessoal. Talvez a morte de Sonya sirva como um peso na consciência de Turner, que já anda sendo confrontado por suas ações.

Por fim, como pudemos ver no próprio episódio, os irmãos Strucker reagiram de forma bem intensa a morte da Belos Sonhos. Ainda que a gente tenha visto poucas interações entre eles, os dois viram ela se sacrificando por eles (antes da captura) e até mesmo entregando sua própria vida por aquilo que acreditava ser certo. Enquanto Andy parecia tentar encontrar uma forma de agir mais lógica e segura, Lauren ficou extremamente chocada com o que aconteceu e revoltada. Não sei vocês, mas aquela conversa entre os dois irmãos me fez pensar em como minha teoria pode estar certa: É a Lauren que vai acabar surtando e se tornando uma mutante mais violenta.

Enquanto a gente sofria com toda essa trama nas indústrias Trask, os demais membros da família Strucker decidiram invadir a casa do Agente Turner armados e prontos pra ter uma conversa séria com ele. É, as coisas poderiam ser melhores, sem ficar tanto naquele mimimi repetitivo, mas precisamos lembrar que nessa história os Struckers são os mocinhos e, como eles mesmo lembraram, a mudança não aconteceu da noite pro dia com eles, levou tempo até que eles vissem como o governo estava errado na sua forma de tratar os mutantes.

Coube a esposa de Turner dar um choque de realidade nele, apontando que ele está cometendo atrocidades – como colocar crianças como ratos de laboratório para um cientista louco – em nome da sua filha morta. Ou seja, ele está sendo um grande monstro hipócrita.

O resultado disso foi Turner colocando a mão na consciência e indo para a Indústria Trask resgatar os mutantes que serviam de cobaia para ele, uma pena que já era tarde demais para a Belos Sonhos e para os irmãos Strucker, que sem outra escolha já haviam usado seus poderes como Fenris e mostrado a real extensão da sua força destrutiva, que é capaz de trazer um grande impacto até mesmo para o Adamantium – inclusive, vocês sacaram a referência ao Wolverine?

Mas enquanto tudo isso acontecia tínhamos Esme Cucko mostrando que sangue de Emma Frost é sinal de perigo. Infelizmente para a Resistência Mutante ninguém conseguiu perceber esses sinais até que fosse tarde demais, só depois que toda a trama de manipulações da moça já havia dado aquilo que ela queria: Sua família.

Desde o começo Esme tinha manipulado as pessoas da Resistência, brincando com os sonhos deles, estimulando que eles seguissem um plano criado por ela e até mesmo virando membro contra membro. Vi em alguns grupos que algumas pessoas não entenderam a razão pra ela fazer isso, mas desde o início fica muito claro que ela vai fazer tudo que precisa para resgatar sua família – e convenhamos, a Resistência tava cautelosa e lenta demais pra fazer isso.

E a sequência final, onde Esme decide que não precisa mais deles para resgatar suas irmãs é insana! Finalmente vimos a mutante usando seus poderes de forma ofensiva, literalmente sussurrando na mente das pessoas o que elas deveriam fazer. O resultado disso foi uma pilha de corpos e destruição. Pra que aquela cena ficasse melhor só se o Agente Turner também tivesse morrido, mas né, a vida não é perfeita e o roteirismo existe. Outro exemplo desse roteirismo – ou nesse caso falha no roteiro – é o fato de que Pássaro Trovejante, que consegue rastrear pessoas a quilômetros de distância, não conseguiu ouvir o inferno desencadeado por Esme, que contou até mesmo com explosões….

Quando Esme se reune com suas outras irmãs e elas finalmente se unem como a mente de colméia que nós, fãs de quadrinhos, amamos eu estava todo arrepiado! Ver os seus movimentos sincronizados e, é claro, o alcance ainda maior da telepatia que se provou uma arma de grande destruição, foi algo incrível.

Creio que agora, depois de tudo que Esme e as Cuckoo fizeram, finalmente teremos um contraponto na ideologia mutante. Nada de ficar sendo passivo em relação aos ataques dos humanos, eles possuem armas e é melhor agirem antes que seja tarde demais. Ao menos nesta reta final, acho que cabe as Irmãs Cuckoo o papel do Magneto nos quadrinhos – e de Emma Frost em algumas histórias – se não existe um meio de convivência pacífica, é melhor ser aquele que vence a guerra. Talvez agora, ainda mais depois da morte de Sonya, vejamos Polaris seguindo por esse mesmo caminho.

Como será que os outros mutantes irão reagir a tudo que aconteceu? Só esperando pra saber.

Vale lembrar que a série só volta depois de três semanas de hiatus, então é melhor ficar de olho nesse promo e controlar a ansiedade até o retorno da série:

Veja também a nossa galeria de The Gifted:

The Gifted retorna em 1º de Janeiro de 2018.

 

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação Social pela UEL • Twitter: @ChrisRantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"