Capa da Publicação

The Gifted: 1×06 – É melhor ser um guerreiro em um jardim, que um jardineiro em uma guerra!

Por Cristiano Rantin

Desde que The Gifted estreou, a série tem feito um ótimo trabalho para mostrar que, por mais que eles tentem, os mutantes jamais serão bem recebidos pela sociedade, eles serão caçados, agredidos, condenados e excluídos simplesmente por terem nascido do jeito que são. Esse é um dos principais pontos que vemos ser trabalhado nas HQs dos X-Men e, como sempre falo nas reviews, está sendo muito bem trabalhado na série.

Por que estou falando tudo isso nessa introdução? Porque isso foi basicamente o tema deste episódio. Desde o início, quando vemos um flashback do Pássaro Trovejante – que deveria ser um herói americano por ter servido seu país – ser agredido e vítima de um ataque a bomba simplesmente por ser mutante, fica claro que infelizmente um dia normal de um mutante é tentar sobreviver.

Enquanto que nos quadrinhos, temos os X-Men continuando a tentar salvar o dia, mesmo que pouco depois eles continuem sendo vítimas de preconceito e ataques organizados por humanos raivosos, em The Gifted a principal prioridade dos nosso mutantes é continuar vivo e proteger seu povo, afinal é difícil tentar salvar outras pessoas quando você pode ser preso ou morto apenas por existir.

Talvez seja por isso que The Gifted destoe tanto das outras séries heróicas que costumamos ver, eles não tentam proteger uma cidade ou defender o mundo de grandes ameaças, tudo que eles querem é sobreviver e não dá pra culpar eles por isso. Então, esse é um dos motivos pelos quais algumas pessoas podem achar a série meio parada – como li em alguns comentários, mesmo ela tendo uma proposta diferente.

O que você faz quando possui poderes e precisa lutar para sobreviver? Você treina e se prepara, e é justamente isso que Polaris – agora já restabelecida na Resistência Mutante faz com os novos recrutas. Sabendo que eles sempre serão caçados, a filha do Magneto vai usar o que for preciso para que eles aprendam a usar seus poderes (e estejam prontos para enfrentar o mundo).

Foi muito bacana ver o treinamento dela, por mais que parecesse um pouco extremo atirar martelos e serras em crianças, mas foi impossível não sentir uma vibe meio X-Men ali, vendo eles realmente aprendendo a usar seus poderes. É claro que, sendo uma mãe, o primeiro instinto de Caitlin seria tentar proteger sua filha. Ela continua como uma aliada dos mutantes e continua ajudando aquela causa, mas para a realidade dela tudo aquilo é um absurdo pois no mundo dela crianças são crianças.

Infelizmente, como ficou claro enquanto a enfermeira vasculhava o depósito da Resistência, quando você é um mutante sua infância não é perdoada e você é tratado como uma ameaça que deve ser eliminada, não importa qual seja a sua idade. Esse contraponto entre Lorna e Caitlin serve para mostrar qual é a gravidade da situação e como o mundo é cruel. Se preparar para um guerra é o novo normal de um mutante.

Enquanto isso vimos que a Resistência perdeu uma integrante extremamente valiosa: Blink. Depois de saber que foi manipulada pela Belos Sonhos e que, mesmo sabendo disso tudo, o Pássaro Trovejante não falou com ela por precisar dos poderes dela, Clarice ficou de saco cheio de ser usada e enganada, preferindo voltar a viver nas ruas do que continuar ali.

É claro que, pra gente que está assistindo a série, a decisão dela parece exagerada e, como já disse em outra review, chega a ser quase mesquinha ela não ver a gravidade da situação como um todo – a guerra contra o Serviço Sentinela – escolhendo levar as coisas pro lado pessoal, mas quem de vocês gostaria de ser enganado apenas para que alguém pudesse usar suas habilidades?

Levando em conta por onde a trama está caminhando, e como seria interessante aumentar o drama entre Johnny, Sonia e Clarice, eu realmente acho que nossa querida Blink vai acabar sendo capturada pelo Serviço Sentinela e transformada em uma arma contra os mutantes.

Falando nisso, enquanto Lorna e Caitlin discutiam sobre o treinamento, Reed, Andy e o Eclipse tentavam aprofundar as investigações sobre o inimigo – e como eles estavam conseguindo controlar os mutantes. Toda a jornada dos três serviu para aprofundar o relacionamento entre Reed e Andy (que está cada vez mais agressivo e destrutivo) e mostrar o real alcance dos poderes de Marcos, já que descobrimos que ele não apenas consegue projetar luz, mas também absorvê-la.

Agora sobre Reed, foi só eu que ficou com a impressão de que ele não está sendo totalmente honesto? Não só pela foto dele dentro da instalação do Serviço Sentinela, já que né, ele trabalhava nisso, mas ainda tenho a impressão de que existe algum segredo que ele não está contando.

Enquanto víamos os três conseguindo pegar as informações que precisavam, finalmente entendemos qual o verdadeiro motivo para trabalharem a perda da filha do agente Turner no episódio passado. Sofrer o luto duas vezes não foi algo feito para que a gente sentisse pena dele, mas sim para mostrar o quão insano ele iria ficar.

Como vimos nesse episódio ele não só ficou mais agressivo e duro, como fez uma perigosa aliança com o Doutor Campbell, o mesmo cara que estava investigando o acidente mutante no Rio de Janeiro e que estava interessado nos irmãos Struckers. Como pudemos ver, o doutor possui o seu próprio guarda mutante, e deve ser o grande responsável pela transformação deles em armas, o que provavelmente será melhor trabalhado no decorrer da temporada.

A junção disso tudo foi ver Lauren, Polaris e o novo mutante Wes – o rapaz capaz de criar paredes de ilusão – conseguindo salvar o outro trio de uma emboscada policial. O sorrisinho de orgulho da Lorna ao ver que os garotos conseguiram usar seus poderes de forma fenomenal em uma missão mostrou exatamente como eu estava sentindo.

No meio disso tudo, enquanto o Serviço Sentinela intensifica seus ataques contra os mutantes, o abrigo da Resistência vai ficando cada vez mais cheio e pouco a pouco vai sendo transformado em um verdadeiro forte de guerra.

Falando nisso, eu realmente não estava esperando aquela conexão com os X-Men. Desde que a série foi anunciada – e em todos os episódios até agora – os heróis eram colocados como uma figura distante que havia desaparecido, mas como descobrimos nessa semana o grupo do Pássaro Trovejante foi criado pelos X-Men, que inclusive colocaram o rapaz como o líder daquela resistência que deveria se preparar para uma guerra. Será que em algum momento iremos ver os alunos do Professor Xavier aparecendo na série? Só esperando para saber.

O que vocês acharam do episódio? Comentem!

Enquanto aguardamos a outra semana, confiram abaixo o promo do próximo episódio:

Veja também a nossa galeria de The Gifted:

The Gifted vai ao ar às segundas-feiras, na FOX. No Brasil, a exibição acontece no dia seguinte, na mesma emissora. Já a review sai toda quarta-feira, aqui na LH.

 

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação pela UEL • Twitter e Instagram: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"