Capa da Publicação

The Flash: 3.19 – De Volta para o passado!

Por Mike Sant'Anna

No episódio desta semana de The Flash nós retornamos de um longo hiato de praticamente um mês sem episódios novos, e era um dos episódios mais aguardados desta temporada, pois sabíamos que seria o episódio onde veríamos o famoso ano de 2024, o ano que vem aparecendo na série desde que ela começou.

Descobrimos rapidamente que o episódio começa bem onde o último terminou, com a Drª Snow completamente transformada em Nevasca e dando trabalho dentro do STAR Labs. É então que Barry resolve de uma vez fazer sua viagem no tempo – e acho que pela primeira vez a série entendeu que é uma viagem no tempo, já que Barry lembrou que ele pode voltar exatamente no momento em que ele saiu – é então que nós vimos o que o futuro reserva para Central City.

Barry chega no mais próximo de um futuro pós-apocalíptico que a série poderia chegar, tudo é cinza, tudo está deserto, sujo, abandonado. A fotografia dessa parte do episódio cumpriu perfeitamente o seu papel em te fazer sentir como se estivesse em um lugar triste, sem esperanças, pois é exatamente isso que está acontecendo ali.

Descobrimos que Mestre dos Espelho agora comanda a cidade, o que não me convenceu nem um pouco, não por culpa do roteiro ou das atuações, mas pelo simples fato de que com os vilões que já apareceram na série, justamente o Mestre dos Espelhos ser o grande chefe do crime quando o Flash se ausenta?

Mas o grande espetáculo do episódio é ver Barry visitando seus antigos companheiros em suas versões mais “quebradas” possíveis – com exceção de H.R que curiosamente estava em seu melhor momento de sua vida – e é esse o ponto mais alto do episódio, onde realmente temos uma carga emocional suficientemente pesada para te fazer entender Barry quando ele quer rapidamente fugir daquele futuro horrível e voltar para casa. Você compartilha o mesmo sentimento que o Flash, você quer parar de ver aquilo, mas não por ser ruim, e sim porque você não quer ver seus personagens que você já criou um elo afetivo com eles em situações tão deploráveis.

Uma pena que o episódio resolve estragar esse ótimo momento do episódio com uma sequência motivacional extremamente piegas e clichê, com direito a um discurso raso, e a cereja do bolo, uma cena – que pode ter me feito desviar o olhar da tela com um pouco de vergonha alheia –  com os personagens de mãos unidas pelo Team Flash.

O problema da resolução do grande problema do episódio foi o seguinte: Durante todo o arco no futuro, foi estabelecido que durante anos foi se destruindo a ligação entre todos os personagens e que Barry estava completamente quebrado. Então, de repente, um discurso de 3 minutos com todos personagens reunidos e tudo volta ao normal? E nem foi um discurso tão bom assim!

No fim das contas Barry volta para o passado sem saber a verdadeira identidade do futuro assassino de Iris, mas com o começo de um plano para impedir o vilão. Nós espectadores, por outro lado, estamos à uma semana de finalmente descobrir a identidade de Savitar.

No fim, foi um bom episódio, mesmo com um momento tão decepcionante como a resolução simples que teve, o episódio cumpriu seu papel de mostrar ainda mais como Barry está correndo em direção à um beco sem saída e que seu futuro começa a se mostrar cada vez mais inevitável. Além disso, ver o novo uniforme do Flash, mais próximo de sua versão dos quadrinhos, definitivamente conta alguns pontos positivos à mais para o episódio.

Confira algumas imagens do próximo episódio.

 

Imagem de perfil
sobre o autor Mike Sant'Anna

Eu sou o melhor no que eu faço, mas o que eu faço... É bem retardado.