Capa da Publicação

Dragon Ball Super : Ep. 111 – Mercenário do 6 vs Monstro da Justiça do 11!

Por Márcio Jangarélli

Seguindo a estreia incrível do Ultra Instinctque mesmo muito foda, não salvou o Goku de perder a luta dessa vez – quem assumiu a batalha contra o Jiren  foi o Hit, um dos personagens mais legais apresentados em Super, e é daqui que o novo episódio retoma as coisas. Bom, não exatamente. Antes, temos uma coisinha pra tirar do caminho.

Depois do Hit assumir seu lugar, o Goku foi “resgatado” pelo Vegeta, mas não demorou muito para que o Príncipe Saiyajin o perdesse de vista. O protagonista foi “sequestrado” pelo Freeza, que deixou um gancho ameaçador no ar. Mas, não precisa nem pensar muito pra saber que isso era o anime mais uma vez brincando com o público, com a possibilidade o Imperador do Mal trair o 7. Novamente, sem traições, mas houve sim uma coisa bem bacana.

Como todo o especial estava remetendo à primeira transformação em Super Saiyajin do Goku, meio que em uma forma de metalinguagem disfarçada, a produção fez o próprio Freeza reconhecer as similaridades da situação – afinal de contas, ele era o inimigo invencível naquela época.

Ele leva o Goku para outra parte da Arena, fala o quanto isso lembra os “velhos tempos” e, aproveitando para aterrorizar o rival um pouquinho, doa parte do seu ki para o Goku se recuperar. Essa não é só uma referência para o final da batalha entre os dois em Namekusei, quando o Goku faz o mesmosem a parte do terror – mas uma forma do Freeza finalmente pagar essa dívida que ele tem pendente com o Goku há décadas. Sabemos que, além de odiar gente fraca, ele odeia coisas que ferem seu orgulho. Sensacional, né?

Em outro canto, o Vegeta AINDA está lutando contra as guerreiras do 2. Falando bem sério agora, por mais que eu ame as transformações e a trilha sonora das lutas delas, já deu essa enrolação. Ou elas mostram pra que vieram, ou acabem com isso de uma vez.

Mas o principal do episódio é Hit vs Jiren. Eles são os áses de seus respectivos universos e, considerando a luta contra o Goku, esse era realmente o momento perfeito para alguém com as habilidades do Hit atacar. Ele é um assassino, sua maior qualidade está em se aproveitar do momento certo para aplicar um golpe preciso e o Jiren tinha acabado de lutar com a única pessoa capaz de jogá-lo de um canto para outro da Arena.

Entre as coisas mais bacanas do Torneiro de Poder e desses novos personagens é que as lutas de Dragon Ball são “novas” quando eles ganham destaque. O Hit tem um poder completamente distinto, que muda a dinâmica do soco-soco-chute-raio de sempre. Essa é a mesma sensação de ver o Dyspo em ação, o Goku Ultra Instinct ou a Rozie, do 2. Dinâmicas diferentes, que às vezes não são as melhores do mundo, mas dão um ar fresco para o anime.

Garanto que o Goku ficou meio chateado com a possibilidade do Jiren cair.

No caso do Hit e do Jiren, porém, o estilo dos dois é demais! Enquanto com o Hit tem todo esse lance de dimensões e do Salto no Tempo, o Jiren é monstruoso com suas barreiras de ki e seus movimentos.

Algo que vale à pena apontar é que o Hit meio que passa o manto para o Kyabe. Caulifla e Kale cuidarem do 6 no Torneio, uma atitude que não tínhamos visto do personagem antes. Em muitos momentos, ele lembra o Piccolo em sua melhor forma, lá nos primórdios de Z, só que mais forte e obscuro.

Falando no Piccolo, quando menos esperávamos, os Namekuseijins do Champa finalmente deram a cara para bater. Obviamente um dos oponentes da dupla é o Piccolo, mas, pelo visto, teremos uma ação com o Gohan – só esperamos que funcionem como time mesmo e não escudo um do outro.

No fim das contas, esse episódio serviu para confirmar o que descobrimos no último, mas faltava uma gravidade para cair a ficha: o Jiren é um monstro. Nem com seus poderes no máximo, o Hit consegue atingi-lo e, assim, é eliminado do Torneio. Isso é grave para o 6, visto que Hit e Frost eram seus guerreiros mais “concretos”, por assim dizer. Mais um universo terá seu destino decidido por saiyajins e namekuseijins.

Agora vamos para a parte boa: finalizando seus dois objetivos – ele já deu o Goku como derrotado, só de pirraça – o Jiren simplesmente se retirou do meio da batalha para meditar, atitude que deixou até o Daishinkan chocado com a ousadia. Se o Goku não estava nervoso com o Cinzento antes, agora ele está. Isso foi um “vocês não são dignos de lutar contra mim”. Pessoalmente, depois dessa, eu quero ver o Jiren levando uns murros bem dados, seja de quem for.

50 taks se passaram, galera, e estamos oficialmente na metade do Torneio. Emocionante, não? E aí, o que acharam do capítulo? O que será preciso para machucar o rosto lisinho do Jiren? Na próxima semana, Vegeta e Kyabe nos holofotes! Não esqueçam de comentar!

Confira nossa galeria com imagens de Dragon Ball Super:

Você pode assistir os novos episódios de Dragon Ball Super todos os sábados, pela Crunchyroll. Não perca nossa review semanal todas as segundas, aqui na LH!

Imagens: DB-Z
Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.