Capa da Publicação

Crise na Terra-X: Partes 1 e 2 – Socando nazistas em um casamento!

Por Cristiano Rantin

Crise na Terra-X, o grande crossover deste ano para as séries do Arrowverso, começou segunda-feira com sua primeira parte (Supergirl e Arrow), que foi responsável por unir toda a galeria das quatro séries, apresentar a grande ameaça nazista da Terra-X e colocar lutas insanas no caminho dos nossos heróis.

Pra começar é preciso falar que, diferente dos outros crossovers, o episódio de Supergirl FINALMENTE teve importância no evento. Na maioria das vezes ou o episódio todo era sobre uma trama aleatória e só no final tínhamos uma menção ao evento (como foi no episódio musical com The Flash), ou tudo que acontecia era uma cena de um minuto que, no episódio da outra série seria recapitulada.

Dessa vez tudo foi diferente. Ainda que fosse possível notar um maior destaque para Kara e Alex – o que é compreensível já que as duas são as protagonistas de Supergirl – o episódio que abria esse crossover deu atenção para todo mundo.

Quando foi anunciado que Alex Danvers iria para o casamento de Barry e Iris, fiquei um pouco incomodado com isso, uma vez que os dois nunca tiveram nenhuma grande interação. A série, contudo, justifica isso colocando o evento como uma desculpa para que as irmãs Danvers saiam do sofá (e da bad dos seus relacionamentos) e vejam algo novo, algo como uma Terra diferente da delas.

Como era de se esperar, Kara conseguiu se dar bem com todo mundo, enquanto Alex ficou se sentindo um pouco triste, afogando suas dores no bar e conhecendo ninguém menos que Sara Lance. As duas acabam tendo uma rápida noite juntas – resultando em cenas hilárias no dia seguinte – o que já me fez começar a torcer pela possibilidade de um romance inter-dimensional.

O romance entre Alex e Sara seria uma desculpa perfeita para as Lendas aparecerem na Terra da Supergirl, além de que as duas personagens formam uma dupla extremamente poderosa, como pudemos ver na luta contra Prometheus. As chances do romance acontecer são pequenas, mas sonhar é de graça, não é mesmo?

Enquanto Alex se divertia, Kara revia seus amigos e cantava uma versão mega fofa de Running Home to You, a música que o Barry cantou para Iris na noite em que ele a pediu em casamento (de forma oficial e romântica). Como era de se esperar, no entanto, nada é perfeito e normal quando falamos de uma história de Super-Heróis.

Aproveitando o maior clichê da ficção, os nazistas da Terra-X invadiram o casamento bem na hora do “Fale agora ou cale-se para sempre”, o que foi uma boa deixa para a ação começar. Foi muito legal ver todo mundo agindo de forma meio descoordenada, uma vez que se tratavam de quatro times diferente e que todo mundo havia sido pego de surpresa.

Algumas coisas ficaram meio bizarras, especialmente quando você para pra pensar que Barry e boa parte dos seus amigos usaram seus poderes – e revelaram sua identidade secreta – pra proteger os civis que estavam tentando fugir dali. Provavelmente isso não vai dar em nada, mas foi algo que me deixou pensativo enquanto via o episódio. Por sorte isso foi corrigido algumas cenas depois, com Mick afirmando ter apagando a memória das pessoas.

Todo o resto, no entanto, foi muito bem trabalhado, com duplas interessantes sendo formadas para derrotar os inimigos misteriosos. Destaque para Nevasca que pelo visto finalmente conseguiu ficar de boas com a Caitlin e lutar ao lado dos mocinhos com direito a uma incrível espada de gelo – Será que finalmente teremos a moça sendo mais ativa nos confrontos de Flash? Eu realmente espero que sim.

Em pouco tempo a ameaça foi revelada aos mocinhos como as versões bizarras dos heróis de outras terras. Na Terra-X, a Terra 53, os nazistas venceram a Segunda Guerra Mundial, o que resultou em um mundo horrível. Os líderes desse time do mal são Oliver e Kara, um casal perigoso – e nazista – junto do Flash Reverso surge mais uma vez para assombrar o nosso Barry Allen.

Foi muito bom ver que, em um momento em que vivemos um grande crescimento do neonazismo e dos supremacistas brancos, que marcham declarando seu ódio contra as minorias e os negros, as séries não só foram ferrenhas ao criticar esses movimentos de ódio, como também apontar que ele cresce conforme as pessoas (e políticos) apoiam isso. É bom ver que a série aproveita esse grande evento que é o crossover para tocar em algumas feridas e falar sobre política. A mensagem é muito clara – como deveria ser pra todo mundo – Nazistas são os vilões, e eles são uns babacas.

No episódio de Arrow continuamos a ter grandes lutas, dessa vez dividida em dois times. Enquanto Oliver, Barry, Kara, Nuclear, Sara e Alex lutavam contra um bando de nazistas, a Supergirl do mal e o Flash Reverso; Nos laboratórios S.T.A.R.  Nevasca, Mick e posteriormente Canário Negro, Sr. Incrível e o Cão Selvagem enfrentavam o Arqueiro Verde do Mal.

Como era de se esperar os vilões conseguiram vencer com certa facilidade os heróis, uma vez que se eles fossem derrotados imediatamente não faria muito sentido ter uma segunda parte do crossover, né? Mesmo assim foi um tanto quanto triste ver que, especialmente na luta contra o Arqueiro, cinco heróis não conseguiram dar conta de um cara, aind a mais quando contamos que a Nevasca e a Canário possuem poderes bem apelões. Contudo, pudemos ter alguns momentos interessantes de lutas, o que sempre é algo bacana de ser assistir.

Com todo mundo derrotado – ou capturado e enviado para a Terra-X – apenas Felicity e Iris permanecem em jogo para tentar salvar o dia nessa segunda parte. Será que elas irão conseguir?

Em resumo o crossover foi muito bem trabalhado e já se tornou o meu evento favorito entre as séries deste universo. Houve um certo exagero de CGI em algumas cenas, onde tudo ficou meio caricato, mas nada que não pudesse ser perdoado.

É importante citar também que, como vocês podem ter notado, nem todo mundo do Arrowverso pode aparecer nos episódios. Alguns até mesmo desapareceram com desculpas mais fracas ou sob circunstâncias misteriosas que não foram explicadas. Isso acontece por questões contratuais, conflitos de agenda e várias outras coisas que, no final das contas, não chega a atrapalhar o crossover.

Também vale a pena comentar como o crossover conseguiu equilibrar os momentos de ação e tensão com o humor. As interações entre os personagens de outras séries foi muito divertida, o que por si só já faz com que o evento tenha valido a pena. Mick cantando a Nevasca, Sara e Alex formando uma dupla perigosa, Iris e Felicity tendo que lidar com situações que fogem do seu controle, e é claro, Kara e Barry que sempre foram extremamente carismáticos e com uma química incrível. O que foi aquela cena dos dois chegando e tendo que esperar o Oliver aparecer com sua moto? Hilária!

O que vocês acharam dessa primeira parte do crossover? Acham que valeu a pena esperar por ele? Comentem!

A grande Crise na Terra-X continuou na sua segunda parte (The Flash e Legends of Tomorrow). Você confere nossa galeria sobre Legends, com todos os heróis reunidos abaixo:

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação pela UEL • Twitter e Instagram: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"