Capa da Publicação

Roteirista faz grande revelação sobre sexualidade da Mulher-Maravilha!

Por Gus Fiaux

Em uma entrevista com o Comicosity, o autor foi perguntado a respeito da sexualidade da Mulher-Maravilha, tendo em vista que, em sua nova revista, a personagem tem fugido do modelo heterossexual. A pergunta feita pelo site foi “A Mulher-Maravilha é uma personagem queer?“, e Rucka respondeu afirmativamente.

O termo queer sempre foi usado para se tratar de pessoas LGBT nos Estados Unidos. Inicialmente considerado um xingamento, a palavra foi apropriada pelo movimento e atualmente, é uma espécie de “rótulo neutro”. Pessoas queer se envolvem e se atraem por pessoas do mesmo sexo, embora não necessariamente de forma sexual ou romântica.

Rucka disse que a sexualidade de Diana sempre foi difícil de ser definida, mas que as pessoas sempre viram as Amazonas como personagens lésbicas – já que na ilha de Themyscira, só haviam mulheres -, o que para ele, não é algo tão bom para desenvolver as personagens. “E quando você começa a pensar no conceito de Themyscira, você se pergunta ‘Como elas não estão em relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo?‘ Certo? Não tem outra opção.

Ainda sobre Themyscira, o autor comentou: “É supostamente um paraíso. As pessoas supostamente devem viver felizes lá. Elas devem – no contexto onde as pessoas, para serem felizes, possuírem parceiros – ter um relacionamento completo, romântico e sexual. E as únicas habitantes são mulheres. Estamos falando que Diana já se apaixonou ou teve relacionamentos com outras mulheres? Como eu e Nicola temos escrito, a resposta é obviamente sim.

Entretanto, Rucka reafirma que o rótulo “gay” ou “lésbico” não convém entre as amazonas. “Uma amazona não olha outra amazona e diz ‘você é gay‘. Elas não são. Esse conceito não existe,” e é por isso que Rucka determina que a Mulher-Maravilha é queer, e não lésbica – até porque a personagem já teve relacionamentos com homens, o que não a torna homossexual.

Para finalizar, ele comentou o seguinte: “Pela cultura em que vivemos em 2016, Themyscira é um conceito da cultura queer. Não estou escondendo isso. E todos que querem mentir sobre isso estão sendo idiotas. Para as amazonas, apenas não é uma palavra ativa em seu vocabulário. Da mesma forma que Diana precisa usar a palavra ‘irmão‘ para descrever a relação de Steve Trevor com seus subordinados“.

Fonte: Comic Book

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux