Capa da Publicação

Deadpool – Criador do anti-herói fala sobre o impacto do filme nos cinemas!

Por Márcio Jangarélli

Deadpool estreia só em 11 de fevereiro, mas já ganhou críticas ótimas. É uma leitura inédita de um quadrinho no universo cinematográfico, mostrando alguém que pode ser um super-herói, saindo por aí salvando o dia, mas faz isso em uma maneira única, numa mistura de violência, palavrões, comédia e sexo.

E pode ser apenas o começo para uma revolução no mundo dos filmes de super-herói.

O Homem de Ferro de 2008 começou uma nova era dos filmes de quadrinhos. Eles eram inteligentes, eles eram bem produzidos, suas performances eram melhores”, disse o criador do Deadpool, Rob Liefeld, em entrevista para a ComicBook. Ele chamou o Homem de Ferro de “virada de jogo”, depois da construção dos super-heróis no cinema pelos X-Men de Bryan Singer, o Homem-Aranha de Sam Raimi e o Batman do Nolan.

Aquele Homem de Ferro de 2008 foi uma virada de jogo. Era inteligente, ridiculamente bem dirigido, bem escrito e contou com uma performance poderosa de Robert Downey Jr.”, ele disse. Para Liefeld, ele sabia o quanto de impacto o filme teria quando sua mãe lhe disse que ia assistir o longa, principalmente porque ela amava o Downey Jr. “Ele se tornou o rosto da Marvel e do Homem de Ferro em um filme porque as pessoas foram simplesmente arrasadas. Fez o mundo arder pela Marvel”.

Deadpool, com sua pegada única perto dos outros super-heróis, e um ator como Ryan Reynolds, que está envolvido no filme do começo ao fim, podem ser os próximos.

Deadpool é onde tudo começa de novo”, disse Liefeld. “A nova era dos filmes começa com Deadpool. É uma afirmação ousada, mas você concordará quando ver o filme. É diferente, reflete a era que eu cresci. Meus amigos e eu pegávamos o carro e íamos ver filmes o final de semana todo. Eu cresci com Robocop, Exterminador do Futuro, Alien, Duro de Matar; as pessoas esquecem que esses eram todos filmes rated R (+18), os filmes da Máquina Mortífera, esses era filmes rated R, eles eram mais adultos, mais violentos, eles tinham humor adulto“.

E esse é o ponto onde Deadpool espera operar e criar um novo sub-gênero.

Quando você ver o que esses caras fizeram, eu estou falando, vai arrasar. Eu estou desacreditado ainda que estou associado com isso de alguma forma”, disse o criador. Ele elogiou os roteiristas, diretores e atores envolvidos várias vezes durante a conversa, dando a eles todo crédito pelo esforço que colocaram no filme.

Com o tempo, claro, eu me tornei amigo de todos esses caras. Eu sou um grande fã e eu tenho muita afeição por eles. Eu sei os problemas que eles tiveram e o que eles tiveram que fazer. Eu estou muito animado também por conta de Ryan no filme. Rhett e Paul são roteiristas estabelecidos. Tim Miller, esse é seu primeiro filme e eu estou aterrorizado pelo tanto de ofertas que ele vai receber a partir de segunda-feira”.

Liefeld disse que ele está feliz por passar a tocha para esse time, e que, mesmo antes do trailer, ele disse, “Vocês são os caras do Deadpool agora. Vocês conseguiram se tornar os caras do Deadpool e isso é divertido. Nós vamos todos para a fraternidade Deadpool agora”. O criador essa esperançoso que essa será a visão do Deadpool de agora em diante, assim como “o mundo vê Robert Downey Jr. como o Homem de Ferro”.

Deadpool chega aos cinemas brasileiros amanhã, 11 de fevereiro.

 

Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.