Capa da Publicação

Quarteto Fantástico – Ator fala sobre Doutor Destino e batalha final!

Por Gus Fiaux

Quando perguntado se preferia atuar com maquiagem e próteses ou captura de movimentos, Toby Kebbell não hesitou em responder: “Captura de movimentos. É como fazer teatro. Então você é pago como se fosse trabalhar em um filme, o que é fantástico, e justamente o oposto do que é fazer teatro. Mas você tem que dar uma performance muito honesta e bem centrada. Especialmente interpretando um macaco, ou um orc. Se você faz algum movimento em falso, o modelo parece não funcionar.”.

A entrevistadora, então, perguntou o que Toby usou para a transformação final de Destino no filme, e o quanto do personagem tinha sido feito na pós-produção: “Foi tudo maquiagem. Uma roupa e uma máscara. Quase tudo foi feito no próprio set. Na pós-produção, fizeram ele ter luzes.”.

A entrevista, então, passou a ser centrada numa certa “cena do corredor”, que segundo a entrevistadora, foi violenta e inesperada. Toby, por sua vez, disse: “Era isso que queríamos. Especialmente Josh. Ele queria que isso fosse o horror do momento. Quando Destino deixa uma sala e parte para a outra. E a maioria do que se via era devido às atuações dos outros. Quanto mais eu fazia algo, parecia mais brega. Não precisava ter movimento corporal.”.

Kebbell então acabou soltando que achava que o Destino que estava no Planeta Zero durante a batalha final era apenas um Doombot, uma espécie de “drone” do Dr. Destino nos quadrinhos. Logo em seguida, ele disse que achava que não tinha permissão de falar aquilo, em tom jocoso. Depois, seguiu com uma piada, o que nos leva a crer que não passou de uma brincadeira.

Sobre a alteração do nome de Domashev para Doom, Toby revelou: “acho que os fãs ouviram aquilo e falaram ‘TEM QUE SER DOOM!’ E eles sabiam disso. Eu pensei que fosse minha culpa. Tenho pesadelos toda noite. E eu acho que arruíno tudo” brincou Kebbell.

E você, já viu Quarteto Fantástico? Diga o que achou nos comentários!

Fonte: Collider

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux